Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA
Mostrando postagens com marcador #Juízo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #Juízo. Mostrar todas as postagens

abril 28, 2017

PARA ONDE IREMOS?

PARA ONDE IREMOS?

Imagem extraída do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=Imagens+de+pessoas+caminhando&newwindow=1&safe=active&espv=2&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwjSkIH6_5zTAhVDfpAKHf3kCC4Q_AUIBigB&biw=1517&bih=708

Acessada em: 11/04/2017

Jer. 15:1-9

Quantos de nós já tivemos a experiência de estarmos perdidos e vem aquela sensação de mal estar, de angústia e de que precisamos de ajuda, e nem sempre a temos na hora que precisamos. Hoje tem o GPS para guiar nesses casos. A Bíblia é o GPS do cristão verdadeiro e de todos os que querem andar verdadeiramente com Deus e em sua presença. Jesus diz em (Jo. 12:46) "Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas". Todavia, aqueles que não querem andar na luz de Jesus Cristo estão perdidos. É o caso do povo judeu no tempo do profeta Jeremias.

Estamos diante de um texto da Palavra de Deus de expressões fortíssimas. Diante de expressões que descrevem a ira do Senhor Deus contra o seu povo, chamado o povo de Deus. Todavia, o povo é que provocava a ira de Jeová sobre ele, a justiça, a correção e o juízo, com sua desobediência, incredulidade deliberada e consciente, depravação, mundanismo, zombaria, deboche, idolatria, rebeldia sem causa, teimosia e obstinação do seu coração.

Foi neste contexto que o profeta de Deus, Jeremias, orou fervorosamente ao Senhor Deus por eles, como vemos em (Jer. 14:7) que diz: “Posto que as nossas maldades testificam contra nós, ó SENHOR, age por amor do teu nome; porque as nossas rebeldias se multiplicaram; contra ti pecamos”. No entanto, o profeta não obteve o cancelamento do flagelo que o Senhor havia determinado, nem atenuar, amenizar ou diminuir o julgamento, porque o Senhor já havia decretado. E depois que o Senhor Deus decreta não muda a sentença. Era e é irreversível. Logo, seria e é executada.

Deus estava negando, claramente, o favor, a bênção, o perdão procurados por Jeremias, o seu profeta, ao seu povo, o povo do Senhor.

Imagem extraída do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=Imagens+de+pessoas+orando&newwindow=1&safe=active&espv=2&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwiI3uOVgZ3TAhWJPpAKHT2qBIwQ_AUIBigB&biw=1517&bih=654

Acessada em: 11/04/2017

Deus proibiu o profeta de orar em favor do povo. Que ponto chegou a situação do povo para com Deus! É o que lemos em (Jer. 7:16-17) que diz: “Tu, pois, não ores por este povo, nem levantes por ele clamor ou oração, nem me supliques, porque eu não te ouvirei. Porventura não vês tu o que andam fazendo nas cidades de Judá, e nas ruas de Jerusalém?” Não era uma proibição para sempre, era uma proibição temporária, até que o povo de Deus mudasse de comportamento e reconciliasse com o seu Deus.

Imagem extraída do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=imagens+de+pessoas+trabalhando&newwindow=1&safe=active&espv=2&source=lnms&tbm=isch&sa=X&sqi=2&ved=0ahUKEwiJzIuQgp3TAhVFkZAKHcO-AIUQ_AUIBigB&biw=1517&bih=654

Acessado em: 11/04/2017

Ao invés de orar ao Senhor Deus, o profeta devia revelar ao povo a tristeza da alma do Próprio Deus por causa dos pecados do povo. É o que vemos em (Jer. 15:17-18). Como prova de que o Senhor estava negando atender ao profeta em suas orações, V.1, mandou o profeta dizer ao povo, que, ainda que Moisés e Samuel se pusessem diante do Senhor em oração, não atenderia, não porque as orações dos dois fossem mais poderosas e eficazes do que a de Jeremias, mas porque o Senhor estava enojado, entojado, enjoado com a vida depravada que o povo vivia e provocando a justiça do Senhor Deus.

Deus se refere a Moisés que orou pedindo o perdão de Deus pelo povo de Israel no deserto e foi ouvido como lemos em (Êx. 32:11,14), “Moisés, porém, suplicou ao SENHOR seu Deus e disse: Ó SENHOR, por que se acende o teu furor contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande força e com forte mão? [...] Então o SENHOR arrependeu-se do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo”. Quando Samuel orou e foi respondido, (I Sam. 7:9), o que lemos: “Então tomou Samuel um cordeiro de mama, e sacrificou-o inteiro em holocausto ao SENHOR; e clamou Samuel ao SENHOR por Israel, e o SENHOR lhe deu ouvidos”. Já o (Sal. 99:6) diz: “Moisés e Arão, entre os seus sacerdotes, e Samuel entre os que invocam o seu nome, clamavam ao SENHOR, e Ele lhes respondia”. Agora o Senhor não quer responder a oração de seu profeta, Jeremias. Não havia oração que pudesse mudar a sentença que Deus dera ao povo diante do que o povo havia escolhido para si.

Deus manda Jeremias responder aqueles que por ventura perguntassem: “Para onde iremos?” Irá para onde escolhera ir. Os que escolheram a morte, irão para a morte. Os que escolheram a espada, irão para a guerra, para a morte a espada. Os que escolheram a fome, irão morrer de fome diante do cerco feito a cidade santa pelo exército de Nabucodonosor. Os que escolheram o cativeiro, a escravidão, irão ser escravos na Babilônia. Os que escolhem o Céu irão para o Céu. Os que escolhem o inferno irão para o inferno.

O povo de Israel e nós poder-se-iam dizer: Mas não escolhemos nada disso! Escolhemos sim! Quando deixamos de escolher vivermos para o Senhor, já estamos fazendo uma escolha pelo mundo com suas mentiras e enganações. Quando deixamos de escolher crer, já escolhemos ser incrédulos. Quando deixamos de escolher andar com Deus, já de antemão escolhemos andar com o Diabo. Quando deixamos de escolher fazer à vontade, já escolhemos fazer a vontade de Satanás. Quando deixamos de buscar ao Senhor em primeiro lugar em nossas vidas, já buscamos as coisas matérias, os prazeres, os divertimento, o lazer como a prioridade para as nossas vidas. Quando deixamos de viver uma vida de santidade para com Deus, é porque já estamos vivendo uma vida profana para nós mesmos. Quando deixamos de escolher a Palavra de Deus como meio de orientação para pautarmos as nossas vidas, é porque estamos escolhendo vivermos pelos parâmetros deste mundo enganador e mentiroso para as nossas vidas.

Para onde iremos?

Imagem extraída do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=imagens+de+pessoas+trabalhando&newwindow=1&safe=active&espv=2&source=lnms&tbm=isch&sa=X&sqi=2&ved=0ahUKEwiJzIuQgp3TAhVFkZAKHcO-AIUQ_AUIBigB&biw=1517&bih=654#newwindow=1&safe=active&tbm=isch&q=imagens+de+pessoas+fazendo+escolhas

Acessada em: 1/04/2017

Para o destino que escolhemos. O Senhor nos dá o privilégio de escolhermos como queremos viver: Com Deus ou sem Deus. Se salvos ou perdidos. Se santos ou profanos. Com fé ou incrédula. Com obediência ou rebeldes e revoltados sem causa. Se em paz com Deus ou em guerreando com Deus. Sabendo, porém, que somos responsáveis pelas nossas escolhas. Ainda que não seja prazeroso para o Senhor Deus atender o nosso desejo de destruição, todavia Ele respeita as nossas escolhas. Se não vemos o que diz (Jer. 4:4) que diz: “Circuncidai-vos ao SENHOR, e tirai os prepúcios do vosso coração, ó homens de Judá e habitantes de Jerusalém, para que o meu furor não venha a sair como fogo, e arda de modo que não haja quem o apague, por causa da malícia das vossas obras”. O que o Senhor quer de nós é arrependimento e conversão de nossos pecados para que Ele possa nos curar e nos abençoar.

Jer. 29:13 "E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração". "Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes", Jeremias 33:3

Bibliografia

1 - GILLl, John. Comentário de Jeremias 15:1-9. E-Sword-the Sword of the LORD withan electronic edge, Tradução do Google Tradutor.

2 – DELITZSCH, Keil. Comentário de Êxodo 2:1-10. E-Sword-the Sword of the LORD withan electronic edge, Tradução do Google Tradutor.

3 – HENRY, Matthew. Comentário de Êxodo 2:1-10. E-Sword-the Sword of the LORD withan electronic edge, Tradução do Google Tradutor.

4 - OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: http://www.baixaki.com.br/download/a-biblia-sagrada-versao-digital.htm . Acesso em: 15 dez. 2014.

julho 09, 2014

É PROIBIDO JULGAR!

        É PROIBIDO JULGAR!

       Em (Mt. 7:1-5) o Senhor Jesus Cristo diz: “Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão”.

        Esclarecendo algumas palavras do texto bíblico.
        “Argueiro” – Significa Pequena partícula ou cisco, uma palhinha.
        “Trave” – Significa “Grande tronco de árvore, empregado para sustentar uma construção, viga”.
        “Hipócrita” – "É a pessoa que finge qualidade ou sentimentos bons, que realmente não tem”. Pessoa fingida, falsa.

        Essa é a ideia que o Senhor Jesus Cristo quer ensinar com este texto.
        No (V. 1) Jesus Cristo diz: “Não julgueis, para que não sejais julgados”.
        Jesus Cristo está usando um imperativo. Ele está ordenando.
        É para não julgar em hipótese alguma, ainda que a outra pessoa dê motivo. Porque quando julgamos as pessoas, estamos trazendo para nós, de imediato, o juízo do Senhor sobre nós.
        Por trás de um julgamento há a censura, a crítica amarga, a injustiça, a inveja pois somos falhos em nossas avaliações, nem sempre vemos com o mesmo olhar de amor, de bondade, de misericórdia que o Senhor vê.
        A ideia é que o Senhor nos julga e é um julgamento constante. Proporcional, todavia justo.
        Com isso não quero dizer que já é o juízo final. Esse juízo de Deus é no dia a dia. Podemos perceber que as pessoas que vivem julgando os deslizes alheios dos outros, criticando o viver das pessoas, que tem inveja são infelizes, vivem uma vida miserável, de sofrimento e não sabem o porquê, com raras exceções!

        No (V. 2) Jesus Cristo fala da incoerência, da proporcionalidade, pois quem julga, vê um pequeno cisco no olho do irmão, que dá a ideia de ficar reparando, bisbilhotando, mexericando, intrigando a vida dos outros, para achar defeito, erro, pecado, o que falar, o que criticar, esquecendo de olhar para dentro de si mesmo para ver os seus defeitos, erros e pecados muito maiores.

        Quantos que vivem a ver os defeitos, os erros ou até os pecados dos filhos dos outros, mas não veem os defeitos, os erros, os pecados de seus filhos. Pensam que os filhos dos outros são ímpios, pervertidos; e que os seus são puros, perfeitos e santos. Quanto engano!
        Há um ditado antigo que diz “que se cuspirmos para cima, cairá em nosso rosto”. Também dizem “que não podemos jogar pedra no telhado dos outros se o nosso é de vidro”.
        O Senhor Jesus Cristo ao fazer estas colocações Ele está enfatizando a ideia, a conotação de hipocrisia, de falsidade que há naqueles que vivem a julgar as pessoas pelo seu padrão moral.
        A pergunta de Jesus Cristo pressupõe uma resposta conclusiva. Por que não bisbilhota a sua própria vida? Por que não vê, repara a trave, a grande tora, o grande tronco de árvore que está em seu olho?

        A ideia que Jesus Cristo quer enfatizar é que as pessoas em seu moralismo, legalismo religioso não conseguem demonstrar afeto, amor, bondade, misericórdia para com o seu próximo, porque estão cegas ou se fazem de cegas.
        Veem os pequenos erros, defeitos dos outros, mas não querem ver os seus grandes defeitos, erros e pecados de suas vidas ou de seus familiares. Isso caracteriza como um péssimo habito, um péssimo defeito de caráter das pessoas.

        Para terminar, sem esgotar todo o conteúdo, que eu e você, estejamos fora desta lista de pessoas que ficam procurando pequenos defeitos nos outros para criticar, para julgar, usando o nosso moralismo sem afeto para condenar pessoas que tem sentimentos melhores, maiores, mais puros do que os nossos.
        Que possamos aprender nesta manhã, assumirmos o propósito de não julgarmos, não criticarmos as pessoas, ainda que estejam erradas, pois é atribuição do Senhor Jesus Cristo.

        Pr Flávio da Cunha Guimarães

Bibliografia:
1 - Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.
2 - Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.
3 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.
4 - Bíblia de Promessas. Tradução João Ferreira de Almeida. RC. 2ª Edição, Co-edição JUERP e King's Cross Publicações, 2009.
5 - RIENECKER, Fritz e Cleon Rogers. Cheve Linguistica do Novo Testamento Grego. Trad. De Gordon Chown e Júlio Paulo T. Zabatiero. 1985, Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, São Paulo, 639 p.

6 - Marcelo Ribeiro de Oliveira. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere, marcelo@blasterbit.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

FALE CONOSCO

Nome:


Email:


Assunto:


Mensagem:


PAZ VERDADEIRA SÓ EM JESUS! Jo. 14:27 "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou..."