Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

outubro 24, 2016

JESUS CRISTO TORNOU-SE MERCADORIA?

Autor: Pr Flávio da Cunha Guimarães

Do ponto de vista da liderança religiosa e civil dos Judeus, tais como: Sumo sacerdote, Escribas, fariseus e anciãos, Jesus Cristo não passava de uma mercadoria. Mercadoria barata e de pouco valor. Tão desprezível que foi vendido ao preço de um escravo, trinta moedas de prata, (Mat. 26:15; 27:3,9), o que fora profetizado por Zacarias (11:12-13). Profecia que se cumpriu literalmente. Entre o escrito de Zacarias e de Mateus, passaram mais ou menos quatrocentos anos. Podemos observar a clareza e a precisão dos detalhes. Coincidência? Não! Planos do Senhor Deus Pai, revelação e inspiração dada pelo mo Senhor ao profeta de Deus. 

QUAL FORA O PREÇO DE JESUS CRISTO? QUANTO VALIA?

Para as autoridades judaicas, Jesus Cristo valia nada mais nada menos do que trinta moedas de prata. O preço de um cemitério, (Mat. 27:7), o que as autoridades religiosas e civis compraram para enterrar os estrangeiros que não tinham valor, a não ser como escravos, em que não podiam ser enterrados junto com os judeus. Para Judas Iscariotes valia apenas o preço de um escravo. Do ponto de vista moral, humano e como cidadão não valia nada, era sem valor, pois crucificaram-no como um criminoso, bandido e marginal perigoso. Mas que perigo Jesus Cristo oferecia para as autoridades judaicas? Nenhum! Não foi revolucionário fazendo motim. Não pegou em arma. Não recrutou nenhum exército para a guerra. Não roubou, não assaltou e nem violentou. Só fez o bem. Curou pessoas aleijadas e enfermas graves. Alimentou multidões. Mas teve muitos inimigos por duas razões:

PRIMEIRA: Por ser invejado exatamente pelos líderes religiosos e políticos dos judeus, pois não conseguiam ser o que Ele era, como lemos em (Mat. 27:18) "Porque sabia que por inveja o haviam entregado”. (Mar. 15:10) "Porque ele bem sabia que por inveja os principais dos sacerdotes o tinham entregado”, exatamente por ser Ele uma pessoa do bem, angariou centenas de seguidores o que eles não conseguiam. O resultado da inveja (Tia. 3:16), "Porque onde há inveja e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra perversa”. Foi exatamente o que ocorreu com o Senhor Jesus Cristo.

SEGUNDA: Porque sendo Jesus Cristo muito sábio, tendo uma visão e interpretação das Escrituras diferente e correta em relação aos líderes, isso fez com que Ele tivesse muitos conflitos, debates acirrados e desmascarado muitos deles, criou-se uma animosidade, rixa e ódio no coração da liderança, a ponto de desejarem a sua morte, o que de fato aconteceu, sendo o Cristo crucificado. Esse é o jeito dos radicais de lidarem com aqueles que pensam de maneira diferente deles, usam a força truculenta. O que não é diferente em nossos dias. É só darmos uma pesquisada nos países onde a ditadura predomina em que tentam calar e sufocar os contrários de maneira violenta, e, às vezes, até com a morte. Para muitos hoje vale menos do que uma noite de rodeio. Um show mundano no CAP de nossa cidade. Uma noite de Carnaval. Uma briga em família que é o suficiente para não seguirem a Cristo e permanecerem na igreja do Senhor. Em outras palavras, não tem valor. Não passa de um curandeiro, distribuidor de bênçãos e enriquecedor dos miseráveis que o buscam, não para se doarem a Ele em adoração, colocando suas vidas aos seus pés, mas para receberem DELE toda sorte de benefícios. Um Jesus que tudo dá, e Ele dá, mas que não pede nada de seus seguidores. É aí que está o engano dos gurus evangélicos que enganam os inocentes que não conhecem a Palavra do Senhor. Induzem as pessoas como se pudessem comprar as bênçãos do Senhor Jesus. Quem dá a maior oferta é mais abençoado e tem maior prosperidade material. Chagam ao absurdo de induzirem as pessoas a darem todo o salário que receberam, sem pagar as dívidas e fazerem as compras para a comida, com a promessa de que receberão multiplicadamente de volta. Chamam à frente os que dão a maior oferta para encherem o ego delas. Já os que dão pequenas ofertas, ficam sentados no banco e nem notadas são pelos gurus evangélicos, que contrariam frontalmente o que o Senhor Jesus Cristo quis ensinar aos discípulos, a lição com a oferta da viúva pobre, em (Mar. 12:41-44) que diz: "E, estando Jesus assentado defronte da arca do tesouro, observava a maneira como a multidão lançava o dinheiro na arca do tesouro; e muitos ricos deitavam muito. Vindo, porém, uma pobre viúva, deitou duas pequenas moedas, que valiam meio centavo. E, chamando os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta pobre viúva deitou mais do que todos os que deitaram na arca do tesouro; Porque todos ali deitaram do que lhes sobejava, mas esta, da sua pobreza, deitou tudo o que tinha, todo o seu sustento". Não estou falando só das igrejas bem conhecidas nessas práticas, mas de Igrejas Batistas que seguem linhas de pensamentos contrárias a da C B B, e eu sou Pastor da denominação Batista. É lamentável, mas é real como querem vender e comprarem as bênção do Senhor Jesus Cristo. Que Ele tenha misericórdia desses que estão equivocados quanto a essência do Evangelho do Senhor.

QUAL O PREÇO DE JESUS CRISTO DO PONTO DE VISTA SENTIMENTAL?

Vale mais do que as nossas vidas. Vale a nossa salvação, (Mat. 1:21): “E dará à luz um filho e chamarás o seu nome Jesus; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados”. Em (Jo. 3:17): “Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” e em (I Tim. 1:15): “Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal”. Nós nos consideramos os principais pecadores? Parece que não, pois achamo-nos melhores do que muitos, principalmente aos usuários de drogas, bebidas, prostitutos e marginais. Mas será que somos? Com tanta hipocrisia, falsidade e traição dentro das igrejas! Para os mártires do Cristianismo que foram centenas, além dos anônimos, valia mais do que a própria vida deles. Vale mais do que a vida daqueles que estão morrendo pelo estado islâmico por causa do nome do Senhor.

QUAL É O PREÇO DE JESUS CRISTO?

Não tem preço. É impagável. Nos diz o (Sal. 49: 6-8): “Aqueles que confiam na sua fazenda, e se gloriam na multidão das suas riquezas, Nenhum deles de modo algum pode remir a seu irmão, ou dar a Deus o resgate dele (Pois a redenção da sua alma é caríssima, e cessará para sempre)”. A vida não tem preço, porque o Senhor Jesus deu a sua vida pela nossa regeneração, para nos resgatar e nos redimir de nossa condenação eterna. Ele derramou o seu sangue, o preço do sangue que Ele pagou, (At. 20:28) “Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue”. (I Cor. 6:20) “Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus”. (I Cor. 7:23) “Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus”. Em nossos dias não estão vendendo a pessoa de Jesus Cristo, mas querem vender as bênçãos que Ele nos proporciona sem levar em consideração alguns requisitos exigidos por Ele, em que os pregadores ignoram. Apresentam um Jesus Cristo sem personalidade, sem vontade própria em que pode ser manipulado pelos homens de poder para abençoar, curar, revelar e transmitir dons espirituais. Quem paga mais ou dá a maior oferta tem a bênção maior. Quem oferta menos, tem a bênção menor ou não é abençoado(a) porque é mesquinho(a) e pão duro. É aí que está o engodo dos gurus pregadores de prosperidade. O Senhor nos abençoa, não porque compramos a bênção ou porque Ele fica impressionado com o valor da oferta que damos na igreja, mas porque Ele é gracioso, bondoso e misericordioso. Abençoar faz parte da essência do Senhor Jesus Cristo. E a maior de todas as bênçãos, é a nossa salvação. Ela vem pela fé, pelo receber a Jesus Cristo como salvador, propósito principal porque Ele veio a este mundo e morreu em uma cruz de maneira violenta. O preço de Jesus Cristo custa a minha, a sua, a nossa renúncia do eu, do orgulho que carregamos, dos pecados que cometemos por ação e omissão e a confissão dos mesmos, para segui-lo de todo o nosso coração. Custa a nossa fidelidade a Ele. Custa a nossa fé genuína e verdade somente NELE, porque nenhum outro pode salvar. Custa o nosso amor sincero como Ele nos amou. O preço que teríamos que pagar, Ele pagou por nós. Ele quer somente que creiamos, que o aceitamos e o amemos de todo o coração.

JESUS CRISTO: É DEUS OU MERCADORIA?

Depende do olhar de cada um e a compreensão que temos DELE. A compreensão verdadeira só é possível, quando se lê a sua Palavra e se entende a sua mensagem sem a distorção costumeira que vemos e que acontece com muita frequência pelos gurus que se dizem pastores evangélicos. Não seria exagero afirmarmos que Jesus será aquilo que queremos que Ele seja para nós. Todavia, Jesus Cristo não é o que queremos que Ele seja para nós, Ele É o que É. Ele tem vontade própria. Ele tem sentimentos em que pode se alegrar quando é entendido em sua essência, ou entristecer quando tentam manipulá-lo como se Ele fosse um despersonalizado. Os gurus evangélicos prometem as bênçãos da prosperidade para as pessoas, sem perguntarem para o Senhor se Ele quer abençoar ainda que as pessoas sejam infiéis, aos que não creem e que não saíram de uma vida cheia de práticas pecaminosas. Esses prognosticadores que prometem as bênçãos do Senhor sem que as pessoas tenham uma mudança de vida, esquecem da vida de pureza e de santidade que o Senhor quer que vivamos, o que pode ser conferido em (Heb. 12:14) “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”. Vejamos o que o Apóstolo Paulo diz em (I Cor. 6:13, 15-16, 18-19) “Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o SENHOR, e o SENHOR para o corpo. [...] Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo, e fá-los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo. Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne. [...] Fugi da prostituição. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?" E (I Ped. 1:15-16) “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo”.

(2) Jesus Cristo é Deus por isso não se deixa ser manipulado. Os textos a seguir provam a sua divindade, que são eles: (João 1:1-3) “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez”. (João 17:5) “E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse”. E (João 10:30) “Eu e o Pai somos um”. A palavra “somos um”, no grego, é (ἐσμεν = esmen) que deriva de outra palavra grega que é (ειμί = eimí) que por sua vez quer dizer que Jesus é da mesma Espécie, da mesma Substância, da mesma Essência e é infinito como o é o Pai. Logo, Jesus está dizendo que Ele e o Deus Filho e que são da mesma Espécie, da mesma Substância, da mesma Essência em unidade e infinitos.

Para terminar nosso post, sendo Jesus Cristo o Deus Filho, Ele não tem preço. Não se vende a Jesus Cristo, nem as suas bênçãos. Ele não se deixa ser manipulado. Ele é o Senhor que governa o universo. "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará”, (Gálatas 6:7). "E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos”, (Mateus 24:11). E "Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos", (Mateus 24:24). Os que tentam vender as bênçãos que o Senhor concede pela graça maravilhosa e bondade, são os falsos profetas e os que estão escarnecendo o nome de Jesus Cristo, mas hão de responder diante do Senhor, senão nesta vida, com certeza na vida futura.

"Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; Cetro de equidade é o cetro do teu reino". (Hebreus 1:8)


Citações Bibliográficas

(1) Extraída do Google imagens. Disponível em: https://www.google.com.br/search?newwindow=1&tbs=simg:CAES6QEJsZ29orevDe8a3QELEKjU2AQaAggJDAsQsIynCBpiCmAIAxIo6wyuF6YBjh2_... Acessada em: 24/10/2016
(2) Extraída do Google imagem. Disponível em: https://www.google.com.br/search?newwindow=1&tbs=simg:CAESogIJSBeD76UT23walgILEKjU2AQaBAgDCAoMCxCwjKcIGmIKYAgDEiiwCLQIsQizCK8Isgi1COQTgAq_... Acessada em: 24/10/2016
Bibliografia:
1 – BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.
2 – JUNIOR, Luder Whitlock. Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.
3 – MOULTON, Harold K. Léxico Grego Analítico. Trad. Everton Aleva de Oliveira e Davi Miguel Manço. Ed. Cultura Cristã, 2007, São Paulo, 460 p.
4 – OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: < http://www.baixaki.com.br/download/a-biblia-sagrada-versao-digital.htm>. Acesso em: 15 dez. 2014.
5 – RIENECKER, Fritz e Cleon Rogers. Cheve Linguistica do Novo Testamento Grego. Trad. De Gordon Chown e Júlio Paulo T. Zabatiero. 1985, Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, São Paulo, 639 p.
6 – SCHOLZ, Vilson e Roberto G. Bratcher. Novo Testamento Interlinear Grego – Português. 1ª Edição. Barueri, SBB, 2008, 979 p.

7 – SHEDD, Russell Philip. Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. São Paulo, 1978, A T 929 p.

outubro 12, 2016

ASSASSINARAM A PAZ

Autor: Pr Flávio da Cunha Guimarães

A humanidade desde que desobedeceu o mandamento do Senhor, Adão e Eva, o que após veio o primeiro fratricídio, a humanidade assassinou a paz e desde então ela está clamando, implorando e precisando de paz. Não somente a paz sem guerra. De um mero cumprimento “a paz do Senhor”, saudação de irmão para outro irmão na fé, que as vezes não significa que há paz no coração dos que saúdam, pois essa paz é meramente um ato formal, visto que, as vezes, por trás há corações rancorosos, cheios de ressentimentos, maldosos, invejosos, falando mal de quem cumprimentam com a paz e cheios de raízes de amargura. A paz que precisamos é a paz de espírito, a paz da boa convivência, a paz que respeita as diferenças, a paz que não violenta o seu próximo para lhe arrancar os seus bens materiais, o equilíbrio emocional, espiritual, sentimental e que não tira a vida de ninguém. Chega de tanta violência, a começar pelo nosso país, na Síria, entre Palestinos e israelenses, o que o “estado islâmico” pratica e o que acontece no leste europeu. Os dados estatísticos em nosso país são alarmantes, de acordo com o “Bom Dia Brasil”, de 14/ 01/2015. É pensando na paz plena que só o Senhor Jesus Cristo pode dar que queremos falar sobre as causas da violência e a necessidade de paz que as autoridades prometem e fazem acordos, mas na prática não acontece.

Desde o Éden, em que aconteceu o primeiro ato de violência fatal, como consequência do pecado, o fratricídio em que Caim matou Abel, seu irmão, daí até Noé a violência cresceu de tal maneira em número e em gênero, de maneira extensiva e intensivamente que a ideia bíblica é que era um estado constante, em que Deus resolveu trazer o seu juízo com o Dilúvio para demonstrar a sua desaprovação do comportamento dos homens, o que não pôs fim à violência e a humanidade tem convivido com essa violência brutal, desumana e irracional de maneira crescente até em nossos dias. O texto de (Gen. 6:1-12) relata essa violência animalesca. Confere o texto citado fazendo uma leitura atenciosa.

A humanidade está clamando, implorando e precisando de paz. Chega de tanta violência, a começar pelo nosso país. A população já está saturada diante de tanta violência. Mas por que tanta violência em todas as gerações, classes sociais e intelectuais? Quais são as cousas? O que explica? As autoridades mundiais e seguimentos de segurança, psicólogos, sociólogos e antropólogos se esmeram em explicar que é questão de desvio de conduta. Que é por causa da pobreza. A falta de educação. A falta de oportunidades. A ambição ao poder. O fanatismo e o fundamentalismo religioso. E pela convivência com pessoas violentas induzem a violência. Sim, não discordamos desses seguimentos e argumentos. Todavia, esses são alguns dos fatores que contribuem para a prática da violência, mas não são os principais e únicos. Esses são os galhos e ramos de um tronco principal que não é levado em consideração pelos estudiosos citados acima. Se fosse por causa da pobreza, muitos ricos não praticariam a violência. Se fosse uma questão de educação, muitos que tem curso superior não usariam de práticas violentas. Se fosse por causa da ambição ao poder, quem está no poder não praticaria atos violentos. Se fosse por causa do fanatismo e fundamentalistas religiosos, os não religiosos não cometeriam violência. Temos outros pontos de vista para explicarmos as causas da violência que são...

A PRIMEIRA E PRINCIPAL CAUSA: É a consequência do pecado da humanidade herdado de Adão e Eva que encheu o coração do ser humano de maldade e a maldade se multiplicara em extensão, em intensidade e em prolongamento, que chegou em nossos dias de maneira insustentável e avassaladora, por causa do coração humano corrompido. É o que vemos nos (V. 5, 11-12). Os psicólogos, os sociólogos, os antropólogos que estudam o ser humano, seu comportamento, costumes e relacionamento social, não admitem que a causa da violência é o mal que há dentro de cada ser humano; mas a causa primário para tanta violência está no pecado da humanidade. Tanto é verdade que o primeiro homicídio ou crime que temos relato na história da humanidade é o de Caim contra seu irmão Abel. Pecado este que só o Senhor Jesus pode solucionar, como nos diz a Palavra de Deus em (I João 1:7) “Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado”. Não há outro remédio, só Jesus Cristo. Comunhão é não matar ninguém.

A SEGUNDA CAUSA: A falta de uma educação de berço e não a de escola, que vem dos pais e do lar. A falta de uma conscientização que vem do diálogo dentro da família. Os pais tem se omitido a educar os seus filhos. Tem transferido a educação dos filhos para as babás, para as creches, para a TV, para as escolas. Quando tomam a iniciativa para educar, muitos não tem estrutura moral e emocional para ensinar bons princípios. Gritam com os filhos. Dizem palavrões horríveis diante dos filhos e para os filhos; xingam os filhos de nomes que não posso dizer aqui. Escutamos e vemos por aí. Esses filhos crescem com as emoções e a autoestima aos cacos. Daí tanto ódio no coração, ressentimentos, revolta, raízes de amargura e tanta necessidade de extravasar os sentimentos maus, o que fazem praticando a violência. A TERCEIRA CAUSA: Os casamentos dos filhos de Deus com as filhas dos homens. O que lemos no (V.2) “Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram”. Depois da bigamia de Lameque, (Gen. 4:19), veio a bigamia da geração antediluviana (Gen. 6:2). Para esses casamentos que Gênesis relata há várias teorias. É um texto difícil de se entender ou interpreta-lo. Após uma pesquisa em (Derek Kidner, 1979, p. 78-79; em David Guzik, Comentário de Gênesis 6:1-12. E-Sword-the Sword of the LORD withan electronic edge, Tradução do Google; em Antônio Noves de Mesquita, 1979, p. 123-129; e Bíblia de Estudos de Genebra, 1999, p. 18-19), podemos dizer que há três correntes ou teorias de interpretação sobre o texto em estudo.

A – Do ponto de vista da teoria dos evolucionistas a causa da multiplicação do pecado que consequentemente multiplicou a violência e levou Deus a trazer o Dilúvio, foi o casamento dos filhos de Deus, sendo esses os filhos de Sete que prestavam culto ao Senhor, com as filhas dos homens que eram mulheres um tanto brutas, oriundas de animais inferiores que mediante a evolução chegaram a forma meio humana, porém ainda irracionais. Essa teoria admite duas raças diferentes: “uma, criação direta de Deus, a outra, produto da evolução, desde o protoplasma até ao macaco e depois ao homem”, (MESQUITA, 1979, P. 124), o que não há base bíblica e não retrata o relato bíblico em questão. 

B – A outra teoria defende que as filhas dos homens são descendentes de Sete, todavia, os filhos de Deus eram anjos que casaram-se com os humanos, geraram filhos, os que são chamados de gigantes. Essa teoria, entretanto, é refutada porque os anjos não são chamados de filhos de Deus em Gênesis. A referência em (Judas v. 6-7) falam dos anjos que não ficaram fieis em sua missão, daí foram destinados ao juízo final. Em (Gen. 6:2) fala de casamento legal, já em Judas aponta para o pecado de sodomia, que é a perversão sexual. Por natureza os anjos excluem por si mesmos a união em casamento. Os anjos não tem corpos (Sal. 104:4; Heb. 1:14 e Ef. 4:12). Os anjos são assexuados (Mat. 22:30). São imortais (Luc. 20:36). São superiores aos homens, mas finitos, com sabedoria e poder diferentes dos humanos (II Sam. 14:20; II Pedro 2:11; Mat. 24:36; I Pedro 1:2 e Ef. 3:10). Os anjos não tem descendência nem ascendência, não possui família. Por serem criados por Deus são chamados filhos do Altíssimo, que por natureza são espíritos e pelo caráter são santos, (Jó 5:1; Sal. 98:5-7 e Judas 14). Os nefelins de (Gên. 6:4 e Num. 13:33) não se referem a anjos, mas a homens de grande estatura e violentos. Nefelins no hebraico (נׇפַל – NÃPAL), que significa “cair”, “prostrar-se”, “ser lançado fora”, “fracassar”, “heróis” e “guerreiros violentos”, (HARRIS, 2008, P. 979-980), que faz referência a uma nação, o que os estudiosos não descobriram ainda se nefelins significa caidores sobre os homens mais fracos, dando a eles a ascendência sobre os homens, ou se significa os caídos moral e espiritualmente. Logo, se entende que não é uma junção de humanos com seres espirituais. Se não é uma relação de humanos com anjos, o que a Bíblia quer dizer então? É o que vamos ver na...

C – A terceira teoria defende a ideia que os filhos de Deus são descendentes de Sete, os que seguiram os preceitos de Deus, enquanto que as filhas dos homens são mulheres descendentes de Caim, portanto, da linha da desobediência e da rebelião, conforme relata o seu nascimento em (Gen. 4:25), o capítulo 5 de Gênesis fala da genealogia de Sete, linhagem esta que chegou a Jesus Cristo, os que criam, temiam e cultuavam ao Deus. Já as filhas dos homens, são as descendentes de Caim, incrédulas, sem temor a Deus e que não cultuavam ao Senhor, pois em (Gen. 4:17...) fala de seu casamento e de seus descendentes. O pecado, a incredulidade que consequentemente impede a pessoa de prestar um culto verdadeiro ao Senhor Deus Todo Poderoso, contribuem diretamente para a degeneração e degradação do ser humano, levando-o a prática da violência. É o caso de hoje em que os homens são divididos em duas correntes: A que segue a Cristo e seus mandamentos; a outra que segue as inclinações do coração perverso e corrompido e os desejos da carne. Diz Mesquita, (1979), p. 126 que: “Em favor desta interpretação, pode mencionar-se a lei da reprodução ‘segundo sua espécie’. Os homens se reproduzem segundo a união de naturezas iguais, bem como os outros animais”. A natureza dos anjos, sendo espirituais e sem sexo, os inibem de entrar em relação sexuais com qualquer espécie. O fato de Moisés mencionar estes casamentos e dá-los mesmo como causa da corrupção que se seguiu, não deve nos surpreender, porque o Novo e Velho Testamento proíbem casamentos de pessoas de condições espirituais diferentes (Esd. 10; Neem. 13; Ex. 34:15,16; Deut. 7:3), bem como no Novo Testamento vemos em (II Cor. 4:14-17) a recomendação para não haver casamentos mistos. Esta terceira teoria é a mais aceita pelos tradicionais. A violência brutal e animalesca enraizada em nossa sociedade desde os primórdios é consequência de vidas pecaminosas, incrédulas e que andam distantes da vontade do Senhor para as nossas vidas. A solução é só uma, Jesus Cristo transformando a vida das pessoas. E este é o nosso desejo para você em toda a sua vida. Convide Jesus Cristo para transformar a sua vida e seja um promotor da paz. A paz depende de cada ser humano se dobrar diante do Senhor Jesus em adoração verdadeira.

POR QUE NÃO HÁ PAZ?

É pensando no quanto a humanidade, a partir das autoridades constituídas, estão enganadas em relação a paz tanto mundial quanto as guerras; nacional quanto aos sequestros, tráficos de drogas e violência doméstica; quanto a pessoal, que é a paz de espírito, pois para as autoridades, a paz depende de boa educação, distribuição de renda, igualdade social, melhoria de vida material e educacional para todos, o que é muito bom; todavia, não resolve e não elimina o que leva as pessoas a praticarem a violência o que trataremos mais para frente. Por que dizemos isso? Porque se a paz dependesse de boa educação escolar, melhores condições econômicas e país desenvolvido, a violência não seria um problema mundial, inclusive nos países ricos e cidadãos estudados, como vemos dentro das universidades e classes sociais alta em nosso país. É pensando na paz verdadeira que só é alcançada em Jesus Cristo que entraremos na...

QUARTA CAUSA: A MÁ FORMAÇÃO RELIGIOSA. 

Em tempos remotos, a violência era praticada para se conquistar prestígio, território, alimento, riquezas e subjugar povos como escravos. Houve um período na história da humanidade, já no domínio do Cristianismo, principalmente na Idade Média, que a violência foi exercida de maneira brutal, em nome de Deus, da parte da “santa igreja”, com objetivos políticos, predomínio religiosos e econômicos para subjugar povos a santa igreja; isso se devia a má formação religiosa e teológica, o orgulho em se achar como a igreja e religião únicas e verdadeiras, não aceitando o confronto com a verdade da Palavra de Deus. Por não respeitar pensamentos diferentes e por intolerância, usaram o nome de Deus para justificar a violência brutal. Pessoas, aos milhares, morreram queimadas vivas, lutando com leões famintos e gladiadores profissionais, enforcadas, torturadas, afogadas, estraçalhadas como bruxas, não sendo bruxas. Como inimigas da igreja, quando eram amigas da igreja querendo a santidade da mesma. Por que a igreja agia assim? Porque estava vivendo longe dos ensinamentos da Palavra do Senhor. Sendo ela que deveria propagar e promover a paz, era a igreja o instrumento que perturbava a paz. Uma tremenda incoerência. Mas ainda bem que os tempos mudaram, não totalmente, pois até pouco tempo, havia uma guerra de décadas entre católicos e protestantes na Irlanda; no presente momento está em evidência “O Estado Islâmico” e “Al-Qaeda” que estão espalhando o terror. Por que de tudo isso? A má formação religiosa, teológica, desconhecimento bíblico como nos diz (Ef. 2:14) “Porque ele (Jesus) é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio”; por radicalismo e por sede de poder mesmo matam a paz.


A QUINTA CAUSA: A violência devido a vida pecaminosa e a maldade que havia e há no coração do homem, Deus diminuiu os anos de vida humanidade, é o que lemos no (V.3c) “porém os seus dias serão cento e vinte anos”. Até Noé se vivia mais de 900 anos. A partir da multiplicação da violência, o Senhor Deus encurtou a idade do homem para 120 anos. Apesar de ter aqueles intérpretes que dizem que os 120 anos era o período do aviso de Deus até acontecer o dilúvio. Aí pensamos nas crianças, adolescentes e jovens com uma vida toda pela frente, morrendo novos por causa da violência gratuita em nosso país e pelo mundo. Mata pessoas por motivo torpe, banal e a bel prazer. Diante deste quadro, como estamos precisando de paz que só o Senhor Jesus pode dar!

A SEXTA CAUSA: O viver uma vida pecaminosa, que consequentemente as pessoas viviam e vivem distantes dos caminhos do SENHOR. É o que nos diz o (V.12b), “porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra”. A ideia na língua original, o hebraico, é que tanto a carne como o caminho das pessoas estavam destruídos, covas, (Harris, 2008, p. 1548-1549); portanto, podres, estragados, cheirando mal diante de Deus e o comportamento da humanidade que é o sentido do Dicionário Aurélio online. Diferente de hoje? De jeito nenhum! O Senhor Deus ainda não colocou um fim na humanidade corrompida porque está usando de sua misericórdia. Está dando tempo para alguns se converterem. Mas a fome, a seca, a falta de chuva, a carestia dos alimentos, as doenças incuráveis podem ser um prenúncio, um sinal da insatisfação do Senhor Deus com a atitude violenta que a humanidade está praticando e com a imoralidade descarada em que estamos vivendo. O nosso dever é sermos “o sal da terra e a luz do mundo”, (Mat. 5:13-14), pois o sal além de dar o sabor, também preserva o alimento para não apodrecer. A luz além de alumiar, dar direção as pessoas na escuridão, ela não se deixa contaminar. É isso que o Senhor Jesus espera de seu povo. Portanto, vamos propagar a paz em Jesus Cristo, vivermos em paz verdadeira entre pessoas, entre os povos e a paz interior, a paz de espírito que só o Senhor proporciona. O mundo precisa de paz que só o Senhor Jesus Cristo dá, como Ele mesmo diz em (João 14:27) "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize”. E (João 16:33) "Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo". Assumamos este propósito para as nossas vidas, amém!

Terminamos com o comentário de minha sogra sobre os políticos e autoridade que deveriam promoverem a paz: "Porque eles se fazem de cegos; moram em lugares privilegiados; tem guardas dia e noite; saem com carros brindados, com guardas para os protegerem e, em suas residências não faltam luz nem água; não assistem TV que mostra a miséria do país, recebem salários altos; seus filhos estudam fora do país; ganham muito e nada fazem; por isso a violência não chega até eles, estão blindados. Se fossem ao encontro do povão, por certo não diriam isso!" Comentário de Eurides Xavier Garcia.


Bibliografia
1 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.
2 - GUZIK, David. Comentário de Êxodo 2:1-10. E-Sword-the Sword of the LORD withan electronic edge, Tradução do Google Tradutor.
3 - HARRIS, R. Laird; Gleason L. Archer Junior e Bruce K. Waltke. Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. Tradução de Márcio Loureiro Redondo; Luiz A. T. Sayão e Carlos Osvaldo C. Pinto. 2008, Ed. Vida Nova, São Paulo, 1789 p, p. 235.
4 - JUNIOR, Luder Whitlock. Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.
5 - KIDNER, Derek. Gênesis - Introdução e Comentário. Trad. Odayr Olivetti. Ed. primeira. Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova e Associação Religiosa Editora Mundo Cristão. São Paulo, 1979, p. 208
6 - MESQUITA, Antônio Neves de. Estudo no Livro de Gênesis. 4ª Edição. Rio de Janeiro. Editora JUERP, 1979, 308 P.
7 - OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: < http://www.baixaki.com.br/download/a-biblia-sagrada-versao-digital.htm>. Acesso em: 15 dez. 2014.
8 - SHEDD, Russell Philip. Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. São Paulo, 1978, A T 929 p.
9 - WALKER, Williston. História da Igreja Cristã. Tradução de D. Glênio Vergara dos Santos e N. Duval da Silva. 2ª Edição. Rio de Janeiro e São Paulo, JUERP / ASTE, 1980, 784 p.



outubro 05, 2016

ENGANADORES DE INOCENTES

ENGANADORES DE INOCENTES

Pastor Flávio da Cunha Guimarães

Infelizmente vivemos em uma sociedade repleta de pessoas maus intencionadas que querem levar vantagens de alguma forma, seja ela material, religiosa ou sentimental, os enganadores de inocentes. Neste post vamos tratar da questão religiosa. Tais pessoas com essas atitudes contrariam os ensinamentos e preceitos que o Senhor Jeová deixou para nós, em sua Palavra, como está em (Jer. 6:1-14), leremos só o (V. 14) que diz: "E curam superficialmente a ferida da filha do meu povo, dizendo: Paz, paz; quando não há paz". O profeta Jeremias ao se referir a filha do meu povo, ele está falando da cidade de Jerusalém. Ele neste texto, está falando dos ENGANADORES DOS INOCENTES, e aí precisamos entender que:

EM PRIMEIRO LUGAR: Havia e há os enganados porque faltava-lhes e ainda falta o conhecimento por não terem uma experiência com o Senhor Deus. Eram simples, inocentes de demais, em um mundo de tanta gente sagaz, exploradora, que quer levar vantagem em tudo. Quantas vítimas por causa de sua simplicidade! Temos visto na TV, somos informados no dia a dia, de pessoas enganadas porque são simples demais, não desconfiam, não percebem a esperteza dos exploradores. Quando alguém se aproximar de você com conversa mole, muita lorota, oferecendo muita vantagem, muito benefício, desconfie; porque pode ser uma armadilha pra cima de você. Ninguém sai por aí dando dinheiro, prêmios, presentes caríssimos bem intencionados, para estranhos sem levar vantagem. Desconfie, porque a pessoa poderá estar mal intencionada. Está querendo arrancar, tirar, tomar alguma coisa de você. São poucas as pessoas, nos dias atuais, muito poucas mesmo, que estão dispostas a ajudarem, a darem alguma coisa a alguém, sem a intenção de levar vantagem. É raro o querer ajudar sem ser beneficiado(a). Vivemos em uma sociedade de exploradores maus intencionados. Exploradores, desde o dinheiro que temos, de pegarem uma carona se somos influentes para aparecerem, até a satisfação sexual. É isso mesmo! Quase tudo e quase todos giram em torno de benefícios, de vantagens próprias, de exploração e dinheiro. Não seja simples demais. Não acredite de maneira cega em tudo o que dizem e oferecem pra você. Desconfiem quando os benefícios são só pra você. Não acreditem em tudo, em todo mundo e em todos. Tem um ditado popular que diz: "Quando a esmola é demais o santo desconfia!" E é para desconfiar mesmo! Pois, vivemos em um mundo de tubarões comendo os lambaris. Fique experto!

EM SEGUNDO LUGAR: Há os enganadores porque faltam-lhes o temor a Deus. Conhecimento os mentores espirituais tem, o que eles não tem é o caráter em assumirem os seus erros e ensinarem a verdade ao povo, pois isso não satisfaz os seus desejos. As vítimas são lesadas porque confiaram em quem não era de confiança. Acreditaram, deram credito a alguém que não era digna de confiança. Daí foram trapaceadas, enganadas e passados para trás. Todavia, falta-lhes o conhecimento porque não se interessaram em busca-lo. Ninguém nasce e cresce com conhecimento nato. O conhecimento é preciso busca-lo na escola, na faculdade, na leitura e na Palavra de Deus. Quantos que estão lendo estas linhas que passaram ou estão passando por esta experiência! A Própria Palavra de Deus em (II Tim. 3:13) diz: "Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados”. O texto de (II Tes. 2:11-12) é claríssimo ao dizer: “E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniquidade”. Daí que o apelo é “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, (João 8:32).

EM TERCEIRO LUGAR: Há os enganadores que tem conhecimento, são estudados, todavia, não dizem a verdade porque tem medo de perderem os seguidores ou fiéis. Por outro lado, os fiéis são enganados porque não questionam, não são críticos, não desconfiam também diante de tantas vantagens a eles oferecidas. Caem como patinhos. Outros são enganados, exatamente, porque acham que tem conhecimento, estudo, experiência, o sabe tudo, que ninguém é capaz de trapaceá-los. Quebram a cara. Esquecem-se que sempre há alguém mais experto do que a gente. São enganados exatamente porque querem levar vantagem sobre aquele que o engana e se dão mal! Aí dá vontade de dizer: Bem feito! Às vezes, não falamos em voz alta, mas em pensamentos, ainda que não é o procedimento correto.

Para findar este tópico recomendamos um cuidado maior quando deparamos com aqueles que oferecem os céus e a terra a nós, em troca de alguma coisa material como o dinheiro por exemplo. Recomendamos também o cuidado redobrado quanto a vontade do Senhor para as nossas vidas. Pensem nesta nossa conversa com carinho e com amor!

PARA QUE NÃO SEJAMOS ENGANADOS

Para que não sejamos enganados do ponto de vista religioso, doutrinário e teológico precisamos conhecer um pouco mais sobre a vontade do Senhor para as nossas vidas em sua Palavra. A vontade de Deus para que seja real em nossas vidas em...

QUARTO LUGAR: precisamos desejá-la como o salmista a desejou. O (Sal. 40:8) diz: "Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração". Aqui podemos destacar duas coisas:

A – O fazer a vontade do Senhor depende de nós. Ela está debaixo de nosso controle, de nosso querer. Se queremos fazer a vontade Senhor a faremos. O salmista diz que se alegrava em fazer a vontade do Senhor. E nós, alegramos em andar no caminho do Senhor? Em fazer a vontade de Deus? Quantos que estão dentro das igrejas, todavia, fazendo a própria vontade, satisfazendo os desejos carnais, os desejos de pecar.

B – Para sabermos como fazer a vontade de Deus, os ensinamentos e os princípios da Lei do Senhor, Eles precisam estar dentro de nossos corações, conduzindo exatamente a nossa vontade e o nosso viver. Quem não está envolvido com o Senhor; com a sua Palavra, nem com a obra do Senhor da Palavra, terá mais dificuldades de saber qual é a vontade soberana do Senhor para a sua vida. Você já sabe qual é a vontade de Deus para a sua vida? A vontade de Jeová é que sejamos salvos, acima de tudo. É a vontade soberana do Senhor para nós, pecadores; para depois sabermos as demais vontades do Senhor para as nossas vidas. Você já pode dizer que é um salvo(a)?

EM QUINTO LUGAR: É preciso orar, como o salmista orou, para o Senhor lhe ensinar a sua vontade. É o que lemos no (Sal. 143:10) que diz: "Ensina-me a fazer a tua vontade, pois és o meu Deus. O teu Espírito é bom; guie-me por terra plana". Percebemos que a vontade do salmista é contínua em fazer a vontade do Senhor. Neste último salmo, o salmista está orando, pedindo para o Senhor ensiná-lo a fazer a vontade de Deus. Oração esta, necessária a todos nós, pois não é fácil sabermos qual é a vontade do Senhor para as nossas vidas a não ser lendo a Palavra do Senhor e orando para que o Espírito de Deus fale as nossas consciências. O sabermos qual é a vontade do Senhor para as nossas vidas, é mais fácil do que obedecer a sua vontade. Quantos que sabem qual é a vontade de Deus, mas fazem questão de não obedecê-la! Como precisamos orar, para sabermos, para fazermos a vontade do Senhor! Ainda precisamos destacar que a vontade do Senhor é soberana, é boa, é agradável e é perfeita para as nossas vidas.

EM SEXTO LUGAR: Falando, ainda, sobre a vontade soberana do Senhor para as nossas vidas, o Apóstolo Paulo, séculos após a oração do salmista recomenda em (Ef. 5:17) o seguinte: "Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor". Este texto está no contexto, em que o Apóstolo está instruindo a igreja, quanto as obras das trevas, que é o mundo pecaminoso, em relação a luz, que é o mundo espiritual. Ele fala que o mundo das trevas é mal; que a pessoa precisa saber escolher. Fazer a escolha certa, que é a vontade de Deus para a sua vida. Escolher uma vida pecaminosa, é ser insensato. Escolher viver para o Senhor é uma escolha sensata. Ainda em (Ef. 6:6) ele diz: "Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus". A nossa felicidade, a nossa realização, a nossa vitória, está em negarmos a nossa vontade para que a vontade do Senhor tenha lugar em nossas vidas. Em (I Tes. 4:3) o Apóstolo Paulo afirma: "Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição".

POR QUE NOS PREOCUPARMOS COM A VONTADE DE DEUS PARA AS NOSSAS VIDAS?

Porque em (Rom. 12:2) responde: "E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus". A vontade de Deus, para nós, seres humanos, é boa porque Ele nos ama. A sua vontade é boa porque a essência do Senhor é a bondade. Porque o Senhor quer sempre o nosso bem. É o que diz o (Sal. 118:29) "Louvai ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre". A vontade do Senhor é "agradável" para nós. É prazerosa para se desfrutar e se deliciar. Traz a paz interior, a felicidade, a harmonia conosco e com o Senhor. Portanto, é irrecusável. E se é irrecusável, não pode ser rejeitada. A vontade do Senhor é "perfeita" para nós. Ela reúne todas as qualidades concebíveis. Atinge o mais alto grau, numa escala de valores: Incomparável, Única, Sem-par, Ideal, Ótimo, Excelente, Irrepreensível, Sem defeito, Primorosa, Impecável, Não deixa dúvidas e é Completa.

Para terminar este tópico – A pergunta é a seguinte: O que faremos com a vontade de Deus? Aceitá-la e desfrutarmos de todos os benefícios dela? Ou recusá-la, rejeitá-la e continuarmos infrutíferos? A escolha é nossa! Escolhe fazer a vontade do Senhor.

A PROVA QUE OS ENGANADORES EXISTEM!

A Palavra do Senhor Jeová em, (Is. 9:16) diz: “Porque os guias deste povo são enganadores, e os que por eles são guiados são destruídos”. Ninguém gosta de ser trapaceado financeiramente. Enganado sentimental ou amorosamente. No entanto, não preocupam-se de ser enganados do ponto de vista religioso, doutrinário e teológico. Parece que há uma inocência absurda. Como que pessoas esclarecidas, com cursos superiores seguem certas seitas sem questionarem os fundamentos doutrinários e teológicos destes grupos, comparando-os com a Bíblia? Na sociedade em que vivemos existem os enganadores religiosos dos inocentes. Existem os enganadores religiosos conscientes. Existem os enganados religiosos inconscientes. E, existem os enganados religiosos conscientes. Os quatro tipos de pessoas descritas acima existem há milênios. E o profeta Ezequiel já falava dos enganadores religiosos conscientes por volta dos anos 620 a 600 a C. Em seu livro, (13:10) ele diz: “Porquanto, sim, porquanto andam enganando o meu povo, dizendo: Paz, não havendo paz [...]”. E existiam os que acreditavam nos enganadores. Todavia, na hora do aperto, do sufoco, da fome e do sofrimento as pessoas em geral, estão propensas a acreditarem, a confiarem até mesmo nos enganadores, em mentiras e em falsidade. O que acontecia com o povo de Israel e é o que acontece hoje, principalmente com aqueles que são mais simples, que não tem uma mente mais crítica, que são desprovidos de conhecimento, de sabedoria e acreditam em qualquer coisa que lhes são ditas. O povo de Israel foi escravo por 70 anos na Babilônia, porque fora engando religiosamente e acreditou nas mentiras que lhes foram ditas.

Os séculos se passaram. Veio o Senhor Jesus Cristo, advertiu quanto a enganação, em (Mat. 24:4), quando diz: “E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane”. O que o Apóstolo Paulo reafirmou mais tarde, em (Rom. 16:18) “Porque os tais não servem a nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ventre, estômago; e com suaves palavras e lisonjas enganam os corações dos simples”. Enganadores esses que o texto de (Is. 9:16) termina dizendo: Os “que por eles são guiados são destruídos”. No hebraico a palavra principal, as derivadas e correlacionadas para destruídos é abadom, (Harris, 2008, p.1-2), ela é transliterada do hebraico para o português. Abadom, tanto no hebraico, em (Is. 9:16), bem como no grego, em (Ap. 9:11) se refere ao Diabo que é o pai da mentira e da enganação, (João 8:44).

É duro, é difícil, é chocante afirmar o que de fato farei, mas concluímos que, os enganadores religiosos conscientes, ou inconscientes estavam e ainda estão a serviço do diabo destruído povos, famílias, vidas o que não podem reconstruir depois. Mas o Senhor Jesus Cristo, sim! Ele pode reconstruir o que o diabo destrói em nossas vidas. Vamos confirmar isso em sua Palavra, em (I João 3:8) que diz: “Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo”. Aleluia! Glória ao Senhor que é capaz de ter solução para nós de toda a obra, de todos os males, de toda a destruição que o inimigo de nossas vidas é capaz de realizar em nossas vidas. Todavia, queremos deixar bem claro que o inimigo de nossas almas só tem poder sobre as nossas vidas, quando a nossa vida ainda não pertence ao Senhor Jesus Cristo, quando ainda não entregamos o nosso coração, a nossa vontade para que o Senhor possa nos conduzir. Pois em (I João 4:4,6) nos diz: “Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo. [...]. Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus ouve-nos; aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos nós o Espírito da verdade e o espírito do erro”. Portanto, há algumas coisas que precisamos entender para finalizarmos este tópico:

A – Não podemos brincar com Deus. Há muita gente brincado com Deus! Prometendo tantas coisas a Ele, mas não cumprindo. Nos diz a Palavra do Senhor Deus em (Ecles. 5:4) “Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos; o que votares, paga-o”. Se você prometeu um dia ser do Senhor, entregar sua vida a Ele, ser um cristão verdadeiro, ser fiel a Ele, frequentar a sua casa mais assiduamente, santificar a sua vida para o louvor, para a honra, para a glória do Senhor; faça isso porque o não fazer o que Lhe prometeu, poderá estar impedindo que o Senhor lhe abençoe com alguma bênção que você tanto precisa.

B – Sejamos fiéis nos votos que fazemos aos homens diante de Deus. Por exemplo: No casamento, fazemos votos que em seguida são quebrados. Isso entristece ao Senhor. Prometemos pagar alguém, alguma dívida e damos o calote. O nosso nome fica sujo, não só para com os homens, mas para com o Senhor também. Essas falhas dão lugar, dão legalidade ao Diabo para agir em nossas vidas.

C – Creiamos meus queridos, minhas queridas irmãos, na Palavra de Deus! Nas promessas do Senhor. O Senhor Deus pode, Ele quer restituir, restaurar tudo o que o Diabo tirou de nós. Sarar, curar todas as feridas, todas as enfermidades. Restaurar a nossa vida financeira. A nossa vida moral. O nosso emprego. A nossa comunhão com o Senhor. O nosso casamento para os que são casados e não estão bem. E, a nossa família. Mas Ele quer que façamos a nossa parte, que é crermos para ver. Creiamos de todo o nosso coração. Façamos este propósito para a nossa vida agora enquanto ainda há tempo. Não esperemos tudo ser destruído para depois o Senhor Jesus ajuntar os cacos, o que se tornará muito mais difícil. Não esperemos a morte chegar, pois com ela o destino final será selado. Se morrermos salvos, salvos eternamente. Se morrermos perdidos, perdidos eternamente. Se precisamos reconstruirmos relacionamentos que o façamos enquanto em vida. Vamos fazer assim!

EM SÉTIMO LUGAR:Voltemos ao texto de (Jer. 6:1-14). Este verso 14 fala dos Enganadores de inocentes claramente! Quando os líderes diziam que haveria paz, quando na verdade a guerra estava próxima. Havia guerra de informações entre os profetas verdadeiros, do Deus verdadeiro, contra-atacados pelas informações dos profetas falsos, alugados pelos líderes políticos e religiosos. Diferente de hoje? De jeito nenhum! Há uma guerra de informações controvertidas, contraditórias, de contrainformações, de doutrinas e teologia até que a salvação está em determinada igreja. É o cúmulo da ignorância, mas há! Há uma guerra de informações, até mesmo entre as igrejas e religiões. Seria muita inocência de nossa parte acreditarmos em tudo o que as TVs; os Jornais; as revistas, a Internet; os políticos, as autoridades e até mesmo o que muitos líderes religiosos dizem. Há muitos enganadores de inocentes em todos os seguimentos, por todas as partes da sociedade. Quem são os enganadores de acordo com o texto de (Jer. 6:1-14?)

A – São os líderes religiosos, espirituais, os gurus prognosticadores, os políticos de Israel, o que os líderes religiosos, espirituais, os gurus prognosticadores e políticos de hoje são, no jeito de viverem na vida moral, ética e espiritual. Não por falta de aviso aos enganadores! Não por falta de conhecimento! Os profetas de Deus eram os portas-vezes de alertas, da parte do Senhor, apontando os desvios e as devidas consequências para o desvio de comportamento e conduta, como os pregadores o são para os enganadores de nossos dias. Os profetas viam o que os líderes não conseguiam ver, o futuro. Estavam enganados porque queriam, gostavam de ser enganados. "Engana-me que eu gosto". Enganados porque o coração estava endurecido. Enganados pela incredulidade. Enganados pela cobiças generalizada. Sabiam que estava enganados, mas queriam continuar enganados. Diferente de hoje? Não! De jeito nenhum! Há os enganados, sabem que são enganados, querem continuar enganados, porque não querem mudanças por causa do orgulho ou porque não querem ser taxados de crentinhos. Para esses que não querem mudar de vida, não há solução, não há remédio e não tem jeito. Só o Senhor em sua infinita misericórdia, para mudar o coração de pedra que há nesse tipo de pessoa, para um coração de carne, quebrantado, humilde, como diz o Senhor em (Ez. 11:18-19) [...] “E lhes darei um só coração, e um espírito novo porei dentro deles; e tirarei da sua carne o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne". Coração de carne significa, um coração quebrantado, transformado, convertido em que o Senhor é acessível.

O seu, o meu, o nosso coração é um coração de pedra ou de carne? O que o Senhor precisa mudar em nossos corações? Enganados porque preferiam acreditar nas mentiras dos homens, do que na verdade divina. Diferente hoje? Não mesmo! Hoje ainda preferem acreditar no que os jornais, as revistas, as TVs, os economistas, os políticos dizem do que nos homens de Deus. Preferem acreditar no que a igreja ensina do que na Palavra do Senhor. Enganadores porque não acreditavam na mensagem dos profetas verdadeiros, do Deus verdadeiro que diziam: "Fugi para a salvação vossa". Para acreditarem nas mentiras dos falsos profetas. O sentido de fugir é sair às pressas. Deixando tudo para trás. É uma ordem de Deus. Fugir de que? De quem? Fugir da guerra que estava para acontecer. O (V. 4) é claríssimo quando diz: "Preparai a guerra contra ela, levantai-vos, e subamos ao sol do meio dia". Preparei literalmente é santificai. O que está faltando em nossos dias em nossas igrejas! Fugir da grande destruição, do grande mal que estava para acontecer e era eminente. Fugir antes que acontecesse o cerco da cidade, (V.3). A cidade encurralada passaria fome, como de fato o vemos em (II Reis 25:3), o que a Bíblia diz: "Aos nove do mês quarto, quando a cidade se via apertada pela fome, nem havia pão para o povo da terra". Enganadores porque faltava sensatez na liderança, como falta hoje em nosso país, em muitos líderes de todos os seguimentos.

EM OITAVO LUGAR: QUAIS ERAM AS RAZÕES O PORQUÊ DEUS PERMITIU A GUERRA E TAMANHO SOFRIMENTO?

PELA ÚNICA RAZÃO: O pecado manifestado de várias maneiras. O (V.6) diz que havia opressão na cidade. Os poderosos e os ricos exploravam os pobres. Diferente de hoje? Nada mudou! Quanta exploração! Desde os impostos altíssimos até a exploração salarial, moral e sexual. É uma exploração generalizada. O (V.7) Fala do pecado manifestado na maldade, na violência, no estrago, na enfermidade e nas feridas praticadas pelos poderosos. Oh, meus queridos! Como isso é real em nossos dias. O (V.10) Fala do pecado da rejeição deliberada da Palavra do Senhor. Ouvidos incircuncisos em que não podiam ouvir. A Palavra de Deus era vergonhosa para eles. Não tinham prazer nela. Como nos dias atuais! Parece que o profeta está vivendo os nossos dias. O (V.13) Fala do pecado manifestado na avareza. Os poderosos buscavam o seu próprio progresso, o povo ficava a margem, desassistido e desamparado. Diferente de hoje? Você que o diga! O pecado manifestado na rebeldia. É preciso falar alguma coisa de nossos dias? Quanta rebeldia na sociedade, dentro das igrejas e nas famílias? O (V.14) fala do pecado da mentira. Prometiam paz que não podiam promover essa paz. A paz verdadeira é resultado de andar, de observar os mandamentos da aliança de Deus com os homens, o que eles não queriam, o os homens de hoje não querem também. Quanta mentira econômica, política e religiosa!

Para terminar a nossa reflexão:

Queremos destacar que, os falsos profetas preferiam consolar o povo dizendo mentiras que tudo ia bem, quando na verdade era enganação. Os falsos profetas, ao invés de denunciarem os erros e os pecados do povo, a começar pela liderança política e religiosa de Israel, não o faziam porque era conveniente receberem suborno para mentirem e enganar o povo, o que está acontecendo nas igrejas brasileiras hoje, a mensagem só de bênçãos, de prosperidade material e de vitórias e sucesso, o que o Senhor realmente concede, mas essa não é a essência do Evangelho que o Senhor Jesus ordenou que se pregasse. A essência do Evangelho é a salvação de vidas perdidas em seus pecados e delitos, e a busca pelo viver uma vida de compromisso com Jesus Cristo, de pureza e santidade para o glória do Senhor Jesus. Meus queridos, não se contentem com as mentiras dos homens. Verifiquem o que ensinam e pregam, lendo a Palavra de Deus, se o que estão dizendo a você, do ponto de vista religioso, é verdadeiro. Se tem fundamento Bíblico. Pense no que conversamos e tome posse da bênção se é verdade para a sua vida!

Bibliografia:

1 – BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

2 – CHAMPLIN, Russell Norman. Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia. Vol. IV. Ed. Hagnos, 9ª Edição, São Paulo, 2008, 652 P, P. 309-313.

3 – CHAMPLIN, Russell Norman. Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia. Vol. VI. Ed. Hagnos, 9ª Edição, São Paulo, 2008, 850 P, P. 687-689.

4 – HARRIS, R. Laird; Gleason L. Archer Junior e Bruce K. Waltke. Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. Tradução de Márcio Loureiro Redondo; Luiz A. T. Sayão e Carlos Osvaldo C. Pinto. 2008, Ed. Vida Nova, São Paulo, 1789 p.

5 – JUNIOR, Luder Whitlock. Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

6 – OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: . Acessado em: 15 dez. 2014.

7 – RIENECKER, Fritz e Cleon Rogers. Cheve Linguistica do Novo Testamento Grego. Trad. De Gordon Chown e Júlio Paulo T. Zabatiero. 1985, Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, São Paulo, 639 p.

8 – SHEDD, Russell Philip. Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. São Paulo, 1978, A T 929 p.

outubro 01, 2016

JOVENS FORTES!

JOVENS FORTES!

Pr Flávio da Cunha Guimarães

Jovens fortes, não estamos falando de força bruta, de violência ou de jovens durões de sentimentos e insensíveis, mas de ser forte espiritualmente, não cedendo as tentações do maligno.

O texto bíblico é (I Jo. 2:13-17 em que Lerei partes destes versículos: Jovens, escrevo-vos, porque vencestes o maligno... Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno. Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

QUANDO, COMO O JOVEM É FORTE?

EM PRIMEIRO LUGAR: Quando o jovem vence o maligno pela Palavra do Senhor. Diz o texto lido: “já vencestes o maligno”. Há forças malignas agindo na vida das pessoas em geral, principalmente sobre os desejos dos jovens que estão a flor da pele. Queremos dar dois exemplos:

PRIMEIRO: A Bíblia, a Palavra de Deus diz, em (I Jo. 5:19) que o mundo jaz, está no maligno. O diabo existe, está agindo mediante a permissão de Deus na sociedade, influenciando-a para o mal.

O SEGUNDO EXEMPLO: Podemos ver na TV falando, abertamente, através de desenhos, de filmes, de novelas, até em debates de trevas que vem das profundezas; de bruxaria; de ocultismo; de cavaleiro das trevas; de festa de Halloween que é o dia das bruxas e etc. Como consequência desta influencia maligna na sociedade, vemos a sociedade mergulhada num consumo crescente de todos os tipos de drogas, desde o alcoolismo, passando pela maconha, cocaína, êxtase, craque etc, que vem destruindo vidas jovens, famílias inteiras. Com o crescimento no uso das drogas, tem crescido a violência com requinte de crueldade sem limites; assaltos seguidos de tortura, de morte, de extermínio de famílias inteiras. Junto destas mazelas vem a incredulidade. O não temer, o não respeitar a Deus e tudo o que se relaciona ao Senhor.

Vem em seguida o crescimento da imoralidade através da corrupção vergonhosa em todos os seguimentos da sociedade, pública ou privada; classes sociais altas ou baixas; religiosas ou seculares. O crescimento da pornografia que traz junto com ela o crescimento da pedofilia, do estupro, do adultério, da prostituição. Sejamos razoáveis, sinceros, honestos! A sociedade está feliz, está em paz, está contente, está segura, está tranquila, está esperançosa diante da situação em que estamos vivendo? Lógico que não, é a resposta! Há um descontentamento, uma revolta generalizada contra as leis que os políticos fazem frouxas e favorece a marginalidade. Uma revolta diante da bandidagem; diante da falta de ação dos poderes para agirem contra todas as ações maléficas que tem atingido de cheio a sociedade. As pessoas, em geral, tem perdido a credibilidade, o bom senso, a gentileza, a delicadeza, as boas maneiras, a gratidão. Por causa disso já há campanha na TV para incentivar a prática das boas maneiras, da gentileza. Que ponto chegamos!

Para mudar a médio, a longo prazo a situação caótica em que estamos vivendo, somente através da ação direta do Sr J C na vida individual de cada pessoa trazendo uma transformação verdadeira, a começar pelos jovens, adolescentes e crianças.

Para que o jovem tenha vitória sobre o maligno, ele(a) precisa conhecer o Senhor Jesus Cristo através de uma experiência pessoal com o Senhor Jesus Cristo. O V. 13 tem uma palavra, que é “conhecestes o Pai”. Pai aqui é Deus. A palavra conhecer no grego tem o sentido de conhecer através de uma experiência pessoal, que implica em uma intimidade com Cristo, com Deus Pai. O que traz uma nova vida para o jovem. Tem sentido também de saber. Saber que é pecador; como pecador está condenado no juízo final; mas em Cristo os pecados são perdoados, fazendo-o um vencedor. Como vencedor, dando-lhe a segurança inabalável de sua fé em Jesus Cristo. Não existe vitória sobre o maligno sem fé em Jesus Cristo! É o que nos diz (I Jo. 5:4) – “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé”.

Para concluir:

Só é forte o jovem, aquele que entrega a sua vida ao Senhor Jesus Cristo, tornando um vencedor em Cristo Jesus. Você quer ser vencedor? Entregue a sua vida a Jesus Cristo, O aceitando como seu salvador enquanto ainda há tempo.

"Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno". (I João 2:14)

Bibliografia:

1 - Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

2 - Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.

3 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

4 - Rienecker, Fritz e Cleon Rogers. Cheve Linguistica do Novo Testamento Grego. Trad. De Gordon Chown e Júlio Paulo T. Zabatiero. 1985, Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, São Paulo, 639 p.

5 - Marcelo Ribeiro de Oliveira. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere, marcelo@blasterbit.com

6 - Foto ilustrativa extraída do Site: www.photaki.com; Autor: Yuri Arcurs, Nº 245163, Em 23/08/2012.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

FALE CONOSCO

Nome:


Email:


Assunto:


Mensagem:


PAZ VERDADEIRA SÓ EM JESUS! Jo. 14:27 "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou..."