dezembro 19, 2018

PRESENTEAR NO NATAL

PRESENTEAR NO NATAL

Mat. 2:1-12

Por quantos anos os presentes de natal que recebemos e damos tem durado?"

Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com/search?q=Imagem+de+Jesus+na+manjedoura&newwindow=1&tbm

Acessada em: 19/12/2018

Presentear nessa época do ano, entre outras datas, tornou-se tradição costumeira e quase um sacrilégio para os que não presenteiam. Presentear e ser presenteado é muito bom. Faz amizade, estreita e aproxima mais outras e marca vidas daqueles que admiramos e amamos. Mas quando visitamos e presenteamos alguém no Natal, ou mesmo em outra data, visitamos e presenteamos com qual objetivo? Prova de nossa amizade e amor pela pessoa presenteada, ou porque queremos a amizade e o amor da pessoa a quem presenteamos?

A maneira certa de presentear alguém, não é para angariar o amor, a amizade, a simpatia e a aprovação da pessoa presenteada, mas para demonstrar o nosso afeto, carinho, admiração e amor pela pessoa a quem estamos presenteando, e o valor que ela tem para nós. Por isso, ao darmos presentes a alguém, devemos demonstrar a nossa boa-vontade, consideração, amor e o valor que ela tem para nós, assim como e a mesma boa-vontade que Deus demonstrou para com os homens, enviando seu Filho ao mundo para sofrer as nossas dores. Se assim não for, as pessoas não acreditarão em nossa sinceridade, amizade e amor por elas.

Mas uma coisa devemos saber, acima das pessoas a quem amamos e que são importantes para nós, há o Senhor Deus, o doador da vida, pois se não fosse Ele não estaríamos aqui para presentear a quem amamos e admiramos. Ele para nós, deve ser a pessoa mais importante. Todavia, ao nosso ver, para muitos, os homens a quem presenteamos são mais importantes do que o Senhor Deus. Devemos ter boa-vontade, para com Deus-Pai assim como temos boa-vontade para com os homens, por que a sua boa-vontade é para sempre para conosco. Por que os presentes que recebemos dos homens duram por um tempo curto, já o presente que devemos dar a Deus, as nossas vidas e o presente que recebemos DELE, a salvação, são para sempre.

A visita e os presentes, entretanto, que os magos e sábios do Oriente, fizeram e levaram para o menino Jesus, não foi por amizade e amor, mas por divina revelação. Os magos não sabiam da existência do nascimento de Jesus Cristo. Não conheciam os seus pais. Souberam, porque Deus a eles revelou o nascimento através da estrela. O objetivo dos magos e sábios eram dois:

1 – Adorarem, o que de fato fizeram, Versos. 2,11 e

2 – Abrirem uma poupança ou tesouro para o menino Jesus com a doação dos presentes, Mat. 2:11.

A pergunta é: Jesus Cristo precisava de poupança ou tesouro, sendo Ele o herdeiro e dono do universo? Mat. 28:18, Col. 1:15-17 e Heb. 1:2. Será que precisava que alguém abrisse um tesouro para Ele? Precisava Ele de riquezas sendo o criador, sustentador e dono de todo o universo? Por quantos anos durou os presentes que Jesus Cristo recebeu? Eu não sei por quanto tempo durou o ouro, o incenso e a mirra, não há relatos na Bíblia e nem na história, mas uma coisa sei, é que, não duraram até os nossos dias e se tivessem durado, com certeza seriam idolatrados. Mais uma coisa sei, é que, os presentes levados a Jesus não chegavam, jamais, ao valor do presente que recebemos de Deus, a vida, o Próprio Jesus e a salvação. Presentes estes que durarão para sempre! Sei também que, entre o nascimento de Jesus Cristo e os presentes levados a Ele, pelos sábios, Jesus Cristo já tinha meses de nascido. Não estava mais na manjedoura e no estábulo, V.11, visto que magos entraram na casa e não na manjedoura. Entre o nascimento do Filho de Deus e os presentes a Ele levados, Jesus já havia recebido a visita dos pastores de Belém, Luc. 2:8-20. Nessa visita dos pastores de Belém nenhuma exaltação foi feita aos humanos, mas somente a quem de direito, a Deus Pai e a Jesus Cristo, o Filho.

1º – Apareceu a glória do Senhor, Luc. 2:9.

2º – O exército celestial louvou a Deus e não aos homens, Luc. 2:13.

3º – Glorificou a Deus Pai, Luc. 2:14.

4º – Os pastores foram ao encontro e para verem o Filho de Deus e não por causa e para verem José e Maria.

5º – Após 8 dias de nascido fora levado ao templo, a casa do Senhor para ser dedicado e consagrado a Jeová e para ser circuncidado. Para a purificação da mãe, Luc. 2:21-24, para o cumprimento da Lei cerimonial, Êx. 13:2.

Os magos e sábios do Oriente, foram adorar e presentearem a Jesus, Mat. 2:11, o que serve de aprendizado para nós. Não foram presentear familiares, amigos e os pais de Jesus, Maria a mãe José como tutor. Não temos nada contra presentear alguém no Natal, mas ficar só nisso que é a nossa dificuldade. O homenageado do dia e a honra tem que ser a Jesus.

Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com/search?newwindow=1&biw=1366&bih=577&tbm=isch&sa=1&ei

Acessado em: 19/12/2018

A visita dos magos do oriente é o tipo de visita aos soberanos. As visitas aos soberanos eram acompanhadas de ofertas e dádivas. As dádivas eram: “ouro, para indicar a realeza (de Jesus Cristo); incenso, para indicar a divindade de Cristo [...]; e mirra, para indicar seus sofrimentos e sua morte”, (CHAMPLIM, 1980, P.281), essa é a interpretação mais aceita. Jesus Cristo ao ser sepultado recebeu a mirra, João 19:39; Mar. 16:1 e Luc. 24:1. Jesus Cristo nasceu com o status de rei e foi reconhecido pelos magos como sendo rei. Foi tratado e crucificado como criminoso, e dos piores; chamado de “rei dos judeus” de maneira zombeteira, para ressuscitar como Rei e ser reconhecido como tal, o Rei, não só dos judeus, mas Rei de toda a humanidade.

Nos diz Champlin, (1980), P.281, que diante deste relato, no decorrer dos anos, foram aparecendo lendas e estórias como a dos nomes dos magos: O que presenteou ouro seria Anoson; o que presenteou o incenso Alitar; e o que presenteou Mirra o Quissade. Ouro, incenso e mirra foram presentes que desapareceram no decorrer dos anos, que para o Senhor Jesus não foi de tão grande valor, mas o reconhecimento de que Ele é Rei e adorá-lo, isso é de muito valor. Portanto, vamos reconhecer o senhorio do Senhor Jesus em nossas vidas e vamos adorá-lo. Você quer fazer isso? Procure uma igreja e vai adorá-lo. A nossa vida transformada pelo o poder do Senhor adorando-o é o maior e melhor presente que podemos dar a Deus Pai. Ele quer muito, mais muito mesmo que recebamos o presente que Ele nos enviou, seu Filho Jesus, o Deus encarnado, do que darmos presentes uns aos outros. Ele quer como presente nosso as nossas vidas ofertadas a Ele em adoração. Ele quer que recebamos o presente que nos enviou, seu Filho Jesus e a salvação, que são presentes para a eternidade, não desgastarão, não envelhecerão e não serão roubados. Dar presente aos homens é muito bom e é ótimo! Mas darmos as nossas vidas ao Senhor e receber DELE a salvação é muito melhor! A salvação é para a eternidade! Presentei ao Senhor Deus, dando a sua vida e receba DELE o presente mais valioso do planeta, a salvação neste Natal. Nos diz Broadman, Vol. 8, (1983), P. 120, que: "Embora ignorado por alguns e rejeitado por outros ele é a alegria dos que, como os magos, o encontram".

Autor: Flávio da Cunha Guimarães

Contatos com o autor para enviar-lhe sugestões ou críticas, faça-o por e-mail que aí está

Bibliografia


1 - ALLEN, Clifton J. Editor geral. Comentário Bíblico Broadman - Novo Testamento. Trad. de Adiel Almeida de Oliveira. V. 8. Ed. JUERP, Rio de Janeiro, 1983, 484 P.

2 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

3 - CHAMPLIN, Russell Norman. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo. Vol. I. Editora Milenium Distribuidora Cultural LTDA, 1ª Edição, São Paulo, 1980, 806 P.

4 - OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2014.

5 - RIENECKER, Fritz e Cleon Rogers. Chave Linguística do Novo Testamento Grego. Trad. De Gordon Chown e Júlio Paulo T. Zabatiero. 1985, Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, São Paulo, 639 p.

novembro 08, 2018

OS SEGREDOS PARA A FELICIDADE

FELICIDADE

Todos nós procuramos, buscamos e queremos a felicidade. Para isso compramos pacotes de viagens para turismo. Planejamos e economizamos para comprar o corro novo; férias na praia, roupa e sapato novos; emprego, baladas e etc. Receitas para a felicidade é o que não falta, principalmente no final de ano. Mas será que a felicidade verdadeira, permanente e plena está nas coisas citadas acima? Como explicar a infelicidade daqueles que tem quase tudo de material: Casadas, homens e mulheres aos seus pés, ricas, bem sucedidas do ponto de vista social, universitárias, bonitas e resolvidas, mas amargam uma infelicidade que não se resolve? Será que a felicidade está diretamente proporcional em que, como e aonde a buscamos?

Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?newwindow=1&tbm=isch&q=Imagem+de+pessoa+feliz&chips=q:imagem+de+pessoa+feliz,g_1:muito

Acessada em: 08/11/2018

Há pelo menos três tipos de pessoas em busca da felicidade: 1 - Os que são infelizes e sabem que são, mas não buscam a felicidade porque já jogaram a toalha, são os infelizes conformados. 2 - Os infelizes e não sabem que são e por isso não estão buscando a felicidade. 3 - E os infelizes que estão buscando, mas buscando de maneira, em lugares aonde não encontrarão a felicidade e da forma equivocada. Portanto este post é para trazer uma reflexão sobre o tema de um prisma diferente.

TODOS

Todos nós procuramos, buscamos e queremos a felicidade. Há três tipos de pessoas em busca da felicidade: 1º – Os que acham e pensam que sabem como e aonde encontrar a felicidade. Tem até mesmo a receita. Faça isso, faça aquilo e deixa de fazer aquele outro. Será que sabem mesmo? Se todos soubessem como e aonde se encontra a felicidade, por que então, tanta gente vive infeliz, suicidando, os consultórios dos médicos, psiquiatras, psicólogos e de conselheiros matrimoniais vivem lotados? O que nos parece é que não são todos que sabem o que fazer para serem felizes. 2º – Há Outros porém, os que não sabem e até admitem que não sabem, como e aonde encontrar a felicidade, daí procuram a felicidade aonde ela não existe. A felicidade não está em uma zona de baixo meretriz. Em boates de baladas. Nos bailes funks. Em uma mesa de boteco na jogatina e no alcoolismo. Não está só no laser, nas viagens turísticas, nos bens materiais, na relação sexual onde rola a orgia ou mesmo em um relacionamento sexual normal ou até mesmo em estar em uma igreja. Se assim o fosse muitos dos que tem e fazem tudo isso não seriam ainda infelizes. 3º – E há os que pensam que sabem como e aonde encontrarem a felicidade, mas não sabem que não sabem e buscam a felicidade no modismo e no chamar a atenção para si. O que é modismo? É tudo aquilo que está em moda, tendo portanto, o caráter efêmero, passageiro e sem muito valor. Como que uma coisa passageira fará alguém feliz permanentemente? É também o idiotismo de linguagem, que em outras palavras, são as gírias, linguagem de malandros, marginais e manos. O que é contrário, às vezes, às normas gramaticais. Há os que buscam a felicidade no estilo de vida. Nas coisas materiais. Nos vícios. Nos prazeres. E até mesmo em atrapalhar a felicidade dos outros! O pensamento destes é o seguinte: Já que não sou feliz, você não será também, atrapalharei a sua felicidade. Esses tem uma vida bagaçada e infernizam a vida dos outros.

FELICIDADE NATA

Muitos pensam que a felicidade é nata, que ela vem no pacote ao nascermos e até morrermos, que é sem alteração, que a felicidade é constante, que ela nos alcança de maneira natural e mecânica, sem que façamos alguma coisa, como que não dependesse de atitudes, decisões, escolhas e estilo de vida. O que não é verdade e é aqui que muita gente engana-se. Explico o porquê: A felicidade acontece também a partir de nossas escolhas, atitudes, decisões e de nosso estilo de vida que queremos e escolhemos viver. A felicidade tem tudo a ver com elas! Fomos criados por Deus para sermos felizes e para sempre, mas devido as nossas escolhas e escolhas que fazem por nós; decisões, atitudes e estilo de vida, essa felicidade sofre solução de continuidade. Portanto, ela não é nata e constante. A felicidade depende, também, de nossa disposição emocional e espiritual, em lidarmos com as adversidades da vida em que nenhum de nós está livre delas. Mas quando sabemos lidar com elas isso proporciona a felicidade de todos nós.

EU E O OUTRO

Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=Imagem+de+pessoa+feliz&newwindow=1&source=lnms&tbm=isch&sa

Acessado em: 08/11/2018

A nossa felicidade não está somente no outro ser, mas em nós principalmente. Quando há a união em casamento e em sendo os dois felizes, a felicidade um do outro se fundirá e o estado de felicidade será muito maior do que se uma parte só sendo feliz. Ninguém faz alguém feliz quando esse alguém não quer ser feliz, ou quer ser feliz, mas age de maneira contrária a tudo e a todos que poderão proporcionar-lhe a felicidade e de maneira infantil. Nem mesmo Deus é capaz de fazer alguém feliz quem não quer ser feliz ou escolhe viver uma vida que só traz infelicidade. Por exemplo: Quem envolveu-se em um relacionamento com pessoas envolvidas com crimes, pessoas com um histórico de violência, uso de drogas e que não deu prova de mudança de vida, não poderá desfrutar de felicidade plena, a não ser mediante um encontro com o OUTRO, que é Jesus e uma vida de abnegação. O outro aqui nos referimos ao Senhor Jesus. O que é abnegação? Abnegação é o desinteresse, a renúncia, o desprendimento para o devotamento de nossa vida, tempo, sentimento e emoções a favor de alguém. Abnegação é o sacrifício voluntário de uma pessoa em prol ou em proveito de uma outra pessoa, causa ou ideal. Aqui cabe uma questão para reflexão daqueles que se dizem cristãos. Quantos que, se dizem cristãos, e não abnegaram e não renunciaram quase nada na vida, em favor de Jesus Cristo, a quem dizem que é seu Senhor? Que se dizem lutando pela causa e ideal do Senhor, quando na verdade estão lutando pela causa e ideal próprios! A felicidade não está fora de nós, não vem de fora para dentro, mas está dentro de nós e fluem de dentro para fora para os outros. É por isso que muitos vivem frustrados porque esperam que os outros as façam felizes, como os outros nem sempre atendem todas as expectativas, caprichos e vontades, daí vivem infelizes e frustrados. A máxima é: Queiram fazer os outros felizes e serás felizes porque receberá de volta!

POR QUÊ?

Por que procuramos, buscamos e queremos a tal felicidade? Por que a felicidade traz bem estar. Segurança. Sensação de realização. Contentamento ao interior. Deixa a vida mais leve, cheia de esperança, sonhos e otimismo. A felicidade é contagiante. Ninguém sente-se atraído/a por uma pessoa infeliz de carteirinha. Mas uma pessoa que irradia felicidade será cercada de pessoas porque ela atrai e esbanja simpatia.

COMO E AONDE ENCONTRAR A FELICIDADE?

Jó 30:15 – diz que: “Sobrevieram-me pavores; como vento perseguem a minha honra, e como nuvem passou a minha felicidade”, portanto, era um estado miserável o dele. O livro que tem o seu nome, descreve o estado miserável em que ele encontrava-se, diante das calamidades por ele sofrida e dentro deste estado miserável, Jó afirmou que a sua felicidade fora embora como a nuvem passa.

O estado em que Jó encontrava-se, pobre porque perdera todos os bens materiais e imateriais, perdeu os filhos, perdeu a saúde física e a saúde emocional debilitada. Estado esse que fora provocado por Satanás, por consentimento de Deus Todo Poderoso, pois o Diabo nada faz se não for permitido pelo o Senhor Deus, a aqueles que pertencem ao Senhor Jesus, visto que, aqueles que pertencem a Satanás ele decide por eles. Aqui cabe uma pergunta para uma boa reflexão: Pode ser que Satanás, mediante a permissão de Deus, está provocando o nosso estado miserável e o nosso estado miserável está minando, sugando, retirando e levando embora a nossa felicidade, pense nisso! Portanto, Satanás é igual a infelicidade. Ele não defende e não luta pela nossa felicidade, pelo contrário, ele trabalha pela nossa infelicidade. A propósito, leiamos o que o Senhor Jesus Cristo diz em João 10:10 - "O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância". Ladrão aqui tem a conotação, dada pelo o Senhor Jesus, como sendo o Diabo. Mas isso tem solução a partir do momento em que reconhecemos que Jesus Cristo é o único que pode nos livrar de Satanás e salvar. A partir do momento que cremos de todo o coração em Cristo. Que O recebemos como o eterno salvador. E tornamo-nos filhos de Deus Pai. Podemos afirmar que a salvação está também em uma vida com Deus?

A felicidade plena é encontrada quando temos um encontro com o outro. A Bíblia conta uma história, em Luc. 24:13-35, muito interessante que fala desse encontro com o outro. Outro aqui é o Senhor. Seria bom dar uma lida no texto. Os dois discípulos no caminho de Emaús que tiveram um encontro com o Jesus ressuscitado. Diante dos acontecimentos em que eles presenciaram em Jerusalém a prisão, o julgamento, a crucificação, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo, eles caminhavam conversando sobre os acontecimentos da crucificação e tristes, o que o contexto dá a entender que iam infelizes para as suas casas em Emaús, mas após o encontro com Jesus ressuscitado, tudo mudou e a felicidade reascendeu. Mudou o humor – a tristeza deu lugar a alegria. A infelicidade deu lugar a felicidade. A ida para Emaús deu lugar a volta a Jerusalém. A desesperança deu lugar a esperança. A mente entorpecida foi aberta para ver o Senhor ressuscitado. O cansaço da viagem deu lugar ao ânimo para voltarem a Jerusalém. Aqui cabe mais uma reflexão: Quantos de nós estamos com nossas mentes entorpecidas e por isso não vemos o que nos fazem infelizes, principalmente o tal do gênio difícil, os vícios, as fobias e o orgulho, o que nem sempre conseguimos ver? Quantos que estão cansados de igrejas porque não lhe são pregadas as verdade a respeito da vida, de uma vida com Deus e assim uma vida feliz? E deixamos de ver o que nos fazem felizes, uma vida com o Senhor! Mentes entorpecidas pelo lixo da sociedade e da Televisão, cheios de preconceitos e tendenciosos, por isso rejeitamos as verdades divinas para as nossas vidas, de nossos familiares e que nos fazem felizes? Pense nisso!

FELIZES EM MEIO AS PERSEGUIÇÕES

Imagem extraída do Google

Disponível em: https://www.google.com/search?q=Imagem+de+felizes+com+Deus&newwindow=1&tbm=isch&source=iu&ictx=1&fir=jez

Acessada em: 05/01/2019

Os cristãos primitivos viviam cantando e felizes, não obstante as perseguições e maus tratos recebidos dos judeus e depois do império romano. Os problemas, as perseguições e as tribulações não tiraram a felicidade deles. E por que tem tirado a nossa felicidade? O relato de Atos 16:22-32 fala do Apóstolo Paulo e Silas felizes após serem detidos, roupas rasgadas e deixaram eles quase nus, chicoteados, presos, amarrados em troco e ainda cantavam e oravam à meia noite, de maneira que os outros presos os escutavam. O encontro dos cristãos, com o Senhor Jesus, proporcionava a felicidade irradiante e plena, em que cantavam no coliseu, em Roma, antes de morrerem lutando com os gladiadores profissionais e com os leões famintos. O que nós passamos de provações não se pode comparar com que os crentes primitivos passaram em sofrimento. Se eles foram felizes em meio aos sofrimentos, nós também podemos ser.

FELICIDADE ESPERANÇOSA

A felicidade era real, porque havia esperança de dias melhores entre os cristãos primitivos. Nós temos esperança de dias melhores nesta vida e na vindoura? O que estamos fazendo para que sejam dias melhores realmente? Havia esperança de irem para o Céu através de Jesus Cristo. Temos nós a mesma esperança? Aqueles que tiveram uma experiência verdadeiro e profunda com o Senhor Jesus, com certeza tem essa esperança.

FELICIDADE EM MEIO AOS PROBLEMAS

É possível ser feliz em meio aos problemas, pois isso aconteceu, não só com os cristãos primitivos, mas também com o Senhor Jesus. Mesmo sabendo que seria preso, julgado, condenado, crucificado e morto em uma cruz injustamente, ao celebrar a ceia Ele cantou com os discípulos, Mat. 26:30. A felicidade vem também depois dos problemas e traumas. Quando temos esse encontro com o outro, que é o Senhor Jesus, um encontro real, marcante, profundo e verdadeiro, não importa os problemas que vêm posterior, estamos vacinados para enfrentarmos o problemas com o Senhor Jesus e sermos felizes. É no encontro com o outro que teremos o encontro conosco mesmo. Quem não tiver esse encontro consigo mesmo, não está qualificado para ser feliz. O encontro conosco mesmo é a primeira descoberta para começarmos a ser felizes. E o encontro conosco mesmos faz com que saibamos quem realmente somos. Somos criaturas. Débeis. Fragilizados. Carentes. Dependentes. Muitos estão destruídos emocional e espiritualmente, precisando ser sarados e reconstruídas as suas vidas em novas bases, conceitos e verdades, além de promover o nascimento da esperança que viverá dias melhores. Convide o senhor Jesus para ajudar você a reconstruir a sua vida em todos os sentidos e desfrute de uma felicidade real e plena NELE.

Jó era um eterno esperançoso, o que é confirmado em Jó 19:25-26. A sua felicidade foi prejudicada com as peripécias que lhe aconteceram, mas ela veio de maneira plena quando foi restaurado plenamente, Jó 42:1-2,5,10,12. Quando ele conheceu verdadeiramente o Senhor Deus, Jó 42:5, ele descobriu a verdadeira felicidade, pois o que ele tinha antes era apenas a sombra da felicidade. Quando orou pelos seus amigos Jó 42:10, a sua mente abriu para ver a restauração de tudo, inclusive a sua felicidade. O Senhor Jesus quer restaurar a sua vida, a sua saúde, a sua família e a sua felicidade. Creia que a infelicidade poderá tornar-se em grande felicidade. você foi criado/a para ser feliz! Mas a maior felicidade não é para essa vida, é para a futura. Não adianta ser feliz aqui e essa felicidade terminar aqui quando partirmos desta vida. Pois a felicidade das felicidades e é eterna, está na vida pós morte para os que partem com Cristo, visto que os que partem sem Cristo viverão infelizes eternamente. Pense nisso!

Conclusão

Que em 2019 saibamos fazer as nossas escolhas acertadas, tais como: 1 - Que escolhemos estar do lado de Deus, servindo-O, de coração e em amor; 2 - Que tenhamos a sabedoria para escolher a nossa família, como as pessoas mais achegadas, amigas e importantes, para a nossa convivência, relacionamento, compartilhamentos de ideais, objetivos e em cumplicidade; 3 - Que tenhamos discernimento, em escolhermos, como lugar preferido para frequentarmos, a Igreja do Senhor onde adoraremos de coração e de alma abertos, sem nenhum constrangimento; 4 - Que escolhemos honrar a quem honra: O trabalho honesto e honrado, a Igreja, a família e ao Senhor Jesus; e, 5 - Que jamais nos esqueçamos que a felicidade está em um conjunto de coisas que fazemos, deixamos de fazer, escolhemos e deixamos de escolher e no estilo de vida que queremos viver. Amém!

Autor: Flávio da Cunha Guimarães

Contatos com o autor para enviar-lhe sugestões ou críticas, faça-o por e-mail que aí está

BIBLIOGRAFIA


1 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

2 - OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2014.

setembro 04, 2018

ARREPENDEI-VOS RAÇA DE VÍBORAS

ARREPENDEI-VOS RAÇA DE VÍBORAS
O sermão de João Batista tinha 5 pontos: Arrependei-vos V.1; Preparai V.3. O batismo por imersão fazia e faz parte do preparo; Endireitai V.3; Confessai V.6; e Produzi frutos dignos de arrependimento.

MAT. 3:1-8

Antes de falarmos de arrependimento, queremos esclarecer que o V.1 está entre os fatos da volta de Jesus Cristo do Egito, com mais ou menos 2 e 3 anos, Mat. 2:19-23 e a pregação de João Batista, o que dá um período de 27 anos mais ou menos entre os dois acontecimentos. Nesse período de 27 anos entre os fatos, Jesus Cristo viveu com sua família de maneira normal. Ia as festas regularmente em Jerusalém, andando 198 a 200 Km. Entre os dois acontecimentos temos o episódio de Jesus Cristo com os seus 12 anos discutindo com os doutores da Lei no Templo, Luc. 2:39-52.

João Batista, era primo de Jesus Cristo e mais velho do que o Senhor Jesus 6 meses. Diz o V.1 que João Batista apareceu pregando no deserto da Judeia. A ideia aqui, na língua original, é que ele pregava de maneira oficial e legal, porque era chamado, vocacionado e enviado pelo o Senhor Deus. Não era um embusteiro, mentiroso e falso pregador ou profeta como muitos pregadores em nossos dias. Ele apareceu, não de maneira repentina, do nada, de maneira misteriosa como se fosse um fantasma. O que o autor quer dizer é que João está dizendo é que ele era uma pessoa desconhecida e se tornou uma pessoa pública, notória e importante naquele momento. Pessoa pública, notória e importante que qualquer um de nós podemos ser. Podemos ser importantes, não para o mundo, mas no Reino do Senhor Jesus e na vida das pessoas de um modo geral. Onde você quer ser importante? João era importante porque ele tinha a missão de pregar o arrependimento para preparar o povo para a manifestação e o recebimento do Messias. Todos os pregadores do Evangelho do Senhor, de todos os tempos são importantes, porque além de anunciar a verdadeira mensagem de salvação que transforma vidas, contribuem para uma vida melhor de todos os que são salvos.

Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=Imagem+de+batismo+por+imersão&newwindow=1&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa

Acessada em: 04/09/2018

O sermão de João Batista tinha 5 pontos: Arrependei-vos sem o qual ninguém está preparado para o batismo, V.1; Preparai V.3. Além do arrependimento é preciso o batismo por imersão o que fazia e faz parte do preparo. Endireitai pode ser chamado também de conversão, V.3. Confessai é de suma importância para andar em comunhão com Jeová e com os fiéis irmãos, V.6; e Produzi frutos dignos de arrependimento, que é a prova contundente de que houve arrependimento, conversão, confissão e e compromisso com o Senhor Deus.

PREPARAR QUEM E PARA QUÊ?

Preparar o povo para a chegada do Reino de Deus. O verbo preparai é um imperativo e de ação continua que significa preparar e continuar preparando enquanto aqui viver. Que Reino? Aqui vemos que Jesus Cristo é o Próprio Reino de Deus presente entre nós e em nós. O Próprio caminho... “é chegado o Reino Céus”. Mas como pregar arrependimento para quem não se acha pecador? Como preparar quem não quer ser preparado? Como endireitar quem não se acha andando torto? Como chamar alguém para a confissão se não se acha errado? Como produzirá frutos dignos de arrependimento quem acha-se produzindo todos os frutos para Deus? Todo esse preparo era para a chegado de Jesus Cristo que representava a chegada do Reino de Deus e sua implantação no coração de todos os que creem e aceitam Jesus como único e eterno salvador. Que chegaria, mas ainda não em sua totalidade e completamente. O que se dará completamente quando Jesus Cristo estiver reinando após vencer o anticristo.

Arrependei-vos. É um verbo imperativo que ordena uma mudança de pensamento, emocional, mental, nas práticas e costumes. É virar-se e voltar-se para trás ou no sentido contrário, o que é necessária para estar dentro do Reino de Deus. Arrependimento é uma mudança de atitudes para com as coisas de Deus e para com o Próprio Deus. A Mudança de atitude de rejeição das verdades divinas para a aceitação das mesmas. Arrependei-vos. Para que haja arrependimento é preciso que haja pregação. Para que haja pregação é preciso ter pregador comprometido com a Palavra de Deus e com o Deus da Palavra. E para que haja pregador comprometido, é precioso que haja uma chamada divina, que haja resposta daquele que foi chamado/a, que o pregador seja um regenerado/a e salvo pelo sacrifício de Cristo na cruz.

É lamentável vermos pessoas se dizendo pregadores do Evangelho do Senhor, mas usando a palavra de Deus para o próprio benefício, como mercadoria e comercializando o que é icomercializável. Negociando a graça de Deus o que é inegociável. Isso é a forma que demonstra o menosprezo para com o Evangelho do senhor Jesus. É muito triste vermos pessoas que se dizem cristãs, mas não mudaram em nada as suas vidas. Não mudaram pensamentos, mente, práticas, costumes e não voltaram-se para Deus, continuam egoístas, individualistas, achando-se superiores até mesmo ao Senhor e antipáticas para com o seu próximo. João Batista em suas pregações estava convocando as vidas a mudanças radicais. Era a voz do que clamava no deserto. Que clamava em alta voz e gritava aos ouvidos daqueles que iam até ele para receber a profecia e o batismo mediante o arrependimento dos pecados. O que João Batista pregava era enfático e contundente que demonstrava a importância do arrependimento, do preparar-se para estar com Jesus no momento que Ele se revelasse ao mundo, como de fato se revelou, o que para isso era preciso endireitar o caminho, que é o mesmo que o endireitar a vida pessoal, bem como o confessar todos os pecados e erros, para produzir os frutos como prova de que houve uma conversão genuína e verdadeira, o que continua sendo verdadeiro ainda para os nossos dias.

O QUE É UM TANTO INTRIGANTE.

Nos diz o V.1 que o profeta estava pregando em um deserto. E quem estava no deserto para ouvi-lo? No deserto não havia quase ninguém que pudesse ouvi-lo. Mas os V.5-6 dizem que iam as multidões até ele. As pessoas caminhavam de 120 a 150 km, dependendo da rota que escolhiam para irem ouvir a João Batista e receberem o batismo por imersão nas águas do Jordão. A Rota mais comum era de 140 km que ligava Jerusalém e Judeia aonde o profeta estava. Aqui e em nossos dias, as pessoas vizinhas do templo, aquelas que estão mais distantes que não chagam a km, ainda que buscando de carro ou colocando transportes a disposição para buscar em casa, mesmo assim não vão para ouvir a mensagem e tem aqueles que ainda atrapalham quem quer ir à igreja. Atrapalham fazendo visitas em horários impróprios concorrendo com o horário do culto. Com conselhos desmotivadores para desistirem da igreja; e criando a maior confusão na hora que tem que sair para o culto com aqueles que estão prontos para irem. João não buscava ninguém em casa e não colocava transporte para eles. Nem pregava o que o povo queria ouvir como bênçãos, revelações, prosperidade, curas e milagres, a sua mensagem, pelo contrário, era o que o povo precisava ouvir e não o que queria ouvir.

AQUI DEPARAMOS COM DUAS QUESTÕES QUE DEVERIAM FAZER-NOS PENSAR:

1ª) Ou João Batista era um excelente pregador, e isso não temos dúvida, de maneira que atraia as multidões para ouvi-lo, o que eu e muitos pastores nesses dias não somos, pois não temos atraído multidões;

2ª) Ou as pessoas eram mais sedentas e atenciosas a Palavra de Deus, o que as pessoas hoje não são, pois mesmo colocando transporte gratuito na porta, não interessam ir ao templo para ouvir a mensagem do Evangelho do Senhor, e isso é verdade também.

Mas o que é intrigante é que as mensagens que pregamos, não tem atraído as pessoas para os templos, todavia analisando o conteúdo da mensagem do profeta, é praticamente o mesmo conteúdo e são iguais. João Batista pregava Arrependimento, mudança de vida, confissão, compromisso de viver uma vida com Deus e de justiça para com os homens. Esse era o conteúdo das mensagens de João! Por que que lá iam e aceitavam, aqui não vem e quando vem não aceitam? Será que foi porque passaram quase 400 anos sem profecia? E hoje tem profetadas de sobra por todo lado! Em cada bairro uma igrejinha, além do mau testemunho?! Seria por causa da multiplicação da ciência, tecnologia que atrai mais do que a velha mensagem do Senhor? Ou o que está acontecendo em nossos dias é o cumprimento das profecias Bíblicas? Daniel 12:4; Mat. 24:12; I Tim. 4:1-3 e II Tim. 3:1-5.

Hoje os templos estão cheios onde se prega aquilo que o povo quer ouvir: curas, bênçãos, prosperidade, revelações, emprego e sucesso financeiro, sem preço, sem renúncia, sem abandono da vida depravada e de rebeldia para com o Senhor. Onde se prega o que o povo precisa ouvir arrependimento, preparação, endireitar vidas, conversão, confissão, renúncia, reverência, respeito, submissão e prove que é cristão produzindo frutos dignos de um arrependido, essas igrejas estão com os seus templos quase vazios e com poucas pessoas. Diante disso muitos líderes estão aderindo as mensagens de prosperidade, bênçãos e revelações, porque é isso que as pessoas querem ouvir, para que não recebam o alcunho de ministérios mal sucedidos e que querem status e fazer sucesso.

João Batista pregava a mensagem de arrependimento V.1; de preparação V.3; de endireitar vida V.3; de confessar pecados V.6; e de produzir frutos dignos de arrependimento, e essa mensagem do profeta João tinha um agravante que era: “Raça de víboras...” V.7 que é serpentes venenosas. Essa mensagem, portanto, era um tanto ofensiva, pois a serpente é traiçoeira, dissimulada, venenosa e perigosa porque mata. Ser comparado/a a víboras era e é ofensivo. Você quer ser comparado com uma cobra? Essa mensagem era e é dura de ouvir-se. João Batista pregava a mensagem de confrontação de vidas pecaminosas com as verdades divinas, e é o que pregamos, mas lá ouvia-se, hoje ignora-se. Onde se prega aquilo que o povo quer ouvir: curas, bênçãos, prosperidade, revelações, emprego e sucesso financeiro, sem preço, sem renúncia, sem abandono da vida depravada e de rebeldia para com o Senhor, nem sempre há confrontação das vidas para com as verdades do Senhor reveladas em sua palavra, por isso os templos ficam cheios. Hoje há pouco ensino e muitas, mas muitas profetadas nessas igrejinhas.

A NECESSIDADE DE ENSINAR AS VERDADES BÍBLICAS

Entendemos que se não houvesse ninguém para nos ensinar as verdades bíblicas, mesmo assim não somos inocentes diante do Senhor Deus, a nossa consciência, os nossos instintos e a nossa inteligência são suficientes para fazerem com que busquemos toda a verdade de Deus revelada em sua Palavra. Todos os seres humanos normais, sabem que os erros trazem consequências danosas. O que não é diferente para os erros quanto a vida espiritual. Os danos nem sempre são nesta vida, mas na vida futura, ou seja, na vida pós morte que será no lago de fogo.

Portanto, a mensagem tem que ser a de João Batista: Arrependei-vos. Porque é somente através do arrependimento dos pecados que o homem encontra a salvação em Cristo Jesus e que saberemos se alguém passou pelo arrependimento, mudança e conversão genuína, produzindo os frutos que provam o arrependimento. É mediante os frutos produzidos, V.8 que saberemos se a pessoa está salva ou não, de acordo com o que o Senhor diz em Mat. 7:16,20 e Luc. 6:24.

Quais os frutos que precisamos produzir, além dos já postos acima que damos provas que estamos salvos? Fé, esperança, bom testemunho e o fruto do Espírito Santo, Gal. 5:22. As pessoas ao nos verem entendem de imediato que somos salvos? Vamos arrepender-se de nossos pecados, erros e falhas. Vamos nos preparar, endireitar, confessar e produzir os frutos que o Senhor espera de nós para termos a certeza que estamos dentro do Reino do Senhor e que o Reino de Deus está dentro de nós, isso é a garantia de nossa salvação.

Autor: Flávio da Cunha Guimarães

Contatos com o autor para enviar-lhe sugestões, faça-o por e-mail

Bibliografia

1 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

2 - JUNIOR, Luder Whitlock. Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

3 - MOULTON, Harold K. Léxico Grego Analítico. Trad. Everton Aleva de Oliveira e Davi Miguel Manço. Ed. Cultura Cristã, 2007, São Paulo, 460 p.

4 - OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: . Baixada em: 15 dez. 2014.

5 - RIENECKER, Fritz e Cleon Rogers. Chave Linguística do Novo Testamento Grego. Trad. De Gordon Chown e Júlio Paulo T. Zabatiero. 1985, Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, São Paulo, 639 p.

6 - SCHOLZ, Vilson e Roberto G. Bratcher. Novo Testamento Interlinear Grego – Português. 1ª Edição. Barueri, SBB, 2008, 979 p.

7 - SHEDD, Russell Philip. Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. São Paulo, 1978, A T 929 p.

8 - TAYLOR, William Carey. Introdução ao Estudo do Novo Testamento Grego: Dicionário. 6ª Edição. Rio de Janeiro, JUERP, 1980, 247 p.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VOANDO EM CRISTO PARA A PAZ VERDADEIRA: "DEIXO-VOS A PAZ, A MINHA PAZ VOS DOU... " JOÃO 14:27.