Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

maio 09, 2015

UMA MÃE DE CAUSAR INVEJA

        Em (Êx. 2:2-3,10) diz assim: “E a mulher concebeu e deu à luz um filho; e, vendo que ele era formoso, escondeu-o três meses. Não podendo, porém, mais escondê-lo, tomou uma arca de juncos, e a revestiu com barro e betume; e, pondo nela o menino, a pôs nos juncos à margem do rio [...] E, quando o menino já era grande, ela o trouxe à filha de Faraó, a qual o adotou; e chamou-lhe Moisés, e disse: Porque das águas o tenho tirado”.

        A história da vida de Moisés todos nós já conhecemos, por isso não entraremos em detalhes aqui. Pois quero tratar do tema: UMA MÃE DE DAR INVEJA.


        Uma mãe de dar inveja, há de ter, há de nutrir algumas qualidades especiais em seu caráter, principalmente diante das adversidades da vida; diante de sua fé para com o Senhor Deus.

        Quem é essa mãe? Estou falando de Joquebede, a mãe de Moisés, que poderia ser, você mãe, que está a nos ouvir nesta manhã, através da Rádio Cidade.


         EM PRIMEIRO LUGAR: Uma mãe de dar inveja, é uma mãe precavida, que se antecipa antes que uma tragédia aconteça em sua família.
        Joquebede escondeu o seu filho por três meses. Quando não podia mais escondê-lo, tratou de providenciar um meio que ele pudesse ser salvo.
        Como seria bom, se todas as mães fossem como Joquebede! Antecipando diante das adversidades, dos perigos que a vida nos oferece, para proteger os seus filhos amados do que é pior ou até da morte.

        Joquebede era uma mãe cuidadosa para com os filhos.
        Além de esconder o filho por três meses, ela tomou uma arca, betumou-a, impermeabilizou-a para que o filho não morresse afogado e o colocou no Rio Nilo, história que já conhecemos.

        Há de se destacar aqui a palavra Arca, tanto em (Gênesis do capítulo 6-9), bem como em (Êx. 2:2-5), a Arca assume o papel do salvação do afogamento.
        Em gênesis, a salvação da raça humana. Em Êxodo, o texto lido acima, a salvação do povo escolhido de Deus.
        Joquebede, tem participação, portanto, no processo que o Sr Deus tem de salvar o seu povo da morte. Daí o nosso tema: Uma Mãe de dar Inveja. Ela se deixou ser usada pelo o Senhor.
        Quantas mães que poderiam se deixar ser usadas pelo o Senhor, mas preferem se deixar ser usadas pelo o inimigo de nossas vidas! Que não seja o seu caso!

        EM SEGUNDO LUGAR: Uma mãe de dar inveja é aquela mãe que crê na providencia de Deus em salvar o filho querido, como de fato, ele foi salvo. Não morreu afogado. Não foi comido por crocodilos do Rio Nilo. Nem morto pelo decreto de Faraó. Mas salvo pela filha de Faraó.
        Deus é tremando em suas ações. Por isso que (Is. 43:13) “parte c” diz: “Agindo eu quem impedirá?”
        Ele age como quer, quando quer, por meio que Ele quer, através de quem Ele quer!
        Queremos desafiar, você mamãe, a confiar nas providências divinas nos momentos difíceis de sua vida, de sua família, de seus filhos, deixando o Senhor Deus agir, para que você seja vitoriosa como mãe. Amém!


        EM TERCEIRO LUGAR: Uma mãe de dar inveja, é uma mãe amorosa para com os filhos.
        Joquebede criou o próprio filho, todavia sabendo que o criava para a filha de Faraó, a princesa. Nem por isso deixou de amá-lo.
        Uma mãe que ama o filho, mas que sabe dividir o filho amado com a princesa, para que o mesmo permanecesse com vida para ambas.
        Que você mamãe, que nos ouve, possa saber dividir o seu filho, a sua filha, com o genro ou com a nora, sem ciúmes que tem prejudicado tantos relacionamentos conjugais.
        Que saiba entregar o seu filho, a sua filha para o Senhor Jesus Cristo, para que seja abençoado(a), como Moisés o foi uma benção para o seu povo.

        Para terminar:
        Que possamos aprender algumas lições com a mãe Joquebede.
        Mães cuidadosas, zelosas e amorosas para com os filhos, que fazem de tudo para que os filhos vivam diante dos perigos, que para Moisés, era o extermínio da vida; que hoje são as mais variadas formas de vícios, de violência e a destruição da família.
        Mães que creem no poder sobrenatural de Deus, que é capaz de preservar com vida nossos filhos amados; que o Senhor Deus tem planos maravilhosos para eles. Podemos dizer amem! Assim seja! Faça este propósito para a sua vida.

        Pr Flávio da Cunha Guimarães

        Bibliografia

OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: < http://www.baixaki.com.br/download/a-biblia-sagrada-versao-digital.htm>. Acesso em: 15 dez. 2014.

HARRIS, R. Laird; Gleason L. Archer Junior e Bruce K. Waltke. Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. Tradução de Márcio Loureiro Redondo; Luiz A. T. Sayão e Carlos Osvaldo C. Pinto. 2008, Ed. Vida Nova, São Paulo, 1789 p.

maio 04, 2015

UNIÃO SÓLIDA NA IGREJA

        No texto de (Rom. 12:16-17) nos diz que: “Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos; A ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas honestas, perante todos os homens”.

        Pelo fato do Apóstolo Paulo recomendar a unanimidade na igreja, era porque a união não estava acontecendo no ceio da mesma. O que estava acontecendo no ceio da igreja? O que impedia, o que atrapalhava a unanimidade na igreja?
       
        Vários problemas, entre tantos podemos citar alguns, tais como:

        PRIMEIRO – Pessoas de classes sociais diferentes. Como escravos, pobres congregando com altos oficiais, senhores do império romano, bem com a nata, os ricos da sociedade romana juntos adorando ao Senhor Jesus no mesmo espaço. Isso contribuía para a desunião da igreja, bem como para a descriminalização no ceio da igreja.

        SEGUNDO – Os escravos que tinham posições, ofícios, dentro da igreja em que lideravam os seus senhores, ministrando-lhes o ensinamento da Palavra; o que provocava descontentamento, intrigas, divisão, rebeldia, insubmissão, orgulho no ceio da igreja.

        TERCEIRO – Uma igreja fracionada, com sérios problemas de relacionamento, enfraquecia espiritualmente, deixando de cumprir o seu propósito dentro do Reino do Senhor Jesus Cristo.

        Como promover a unanimidade na igreja se tinha raças, cores, culturas, idades, gostos, intelectos, emoções, sentimentos, interpretações diferentes? Uma igreja permeada pelo orgulho, individualismo, altivismo, vaidade; pessoas que se achavam donos de igreja, que dividiam a igreja; matavam a espiritualidade da igreja.
        É muito triste quando as pessoas estão matando a igreja, não percebem isso ou não querem perceber por causa do orgulho, por causa da vaidade o que vemos em nossas igreja hoje.

        Foi para uma igreja, com essas características, que o experiente Apóstolo Paulo escreveu o texto lido para orientar a igreja quanto a unidade.

        Esse era o desafia do Apóstolo Paulo, que é o nosso também! Fazer uma igreja unida, manter a igreja unida.

        É neste contesto que o Apóstolo Paulo manda a igreja: “Sede unânimes entre vós”.

        Unanimidade significa: Que é do mesmo sentimento, da mesma opinião, de acordo comum. Que tenha o mesmo sentimento, a mesma atitude.

        Faltava a unanimidade naquela igreja, como tem faltado nas igrejas de nossos dias porque faltava o essencial, o amor que é a essência da vida, a essência de qualquer relacionamento, a essência de qualquer organismo humano, o que tem faltado nas igrejas atuais.

        Sendo a unanimidade, a harmonia o resultado do amor; da mesma maneira a dissenção, os conflitos, as confusões no ceio das igrejas são resultados da altivez, do orgulho enraizado no coração do ser humano. O que leva a pessoa desprezar a outra. Desprezo este pelo fato da pessoa não ser regenerada ainda pelo Espírito Santo.

        Mas graças a Deus que a GRAÇA divina exclui a arrogância, o orgulho humano porque a graça de Deus transforma o homem o que ele não pode fazer por si mesmo. Já estamos transformados pela graça divina? No que depender de nós as igrejas viverão em unanimidade? Deixe a GRAÇA de Deus transformar a sua vida para um viver cheio de paz interior, de felicidade, de amor, de esperança, de realizações na sua vida espiritual, pessoal, familiar, profissional e promovendo a unidade na igreja a qual faz parte, amém!




       Pr Flávio da Cunha Guimarães

Bibliografia

1 - Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

2 - Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.

3 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

4 - CHAMPLIN, Russell Norman. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo. V. III. Ed. Milenium Distribuidora Cultural LTDA, 1ª Ed., 1980, São Paulo, 887 P, P. 820-821.

5 - MOULTON, Harold K. Léxico Grego Analítico. Trad. EvertonAleva de Oliveira e Davi Miguel Manço. Ed. Cultura Cristã, 2007, São Paulo, 460 p.

5 - OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: < http://www.baixaki.com.br/download/a-biblia-sagrada-versao-digital.htm>. Acesso em: 15 dez. 2014.

6 - RIENECKER, Fritz e Cleon Rogers. Chave Linguística do Novo Testamento Grego. Trad. De Gordon Chown e Júlio Paulo T. Zabatiero. Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, 1985, São Paulo, 639 p. p 277.

GOSTANDO OU NÃO

        Você gostando ou não, precisamos lhe dizer que não há salvação fora de Jesus Cristo. Foi o único que morreu em nosso lugar, em uma cruz, para nos presentear com a salvação, a vida eterna com Deus. Afirmar que há salvação por outro meio, é uma tremenda mentira, enganação bem como heresia. Pense nisso!

        Você gostando ou não de igreja, precisamos lhe dizer que é o melhor lugar para se ir, frequentar, principalmente com a família, pois além do relacionamento social, as amizades excepcionais que lá podemos desenvolver, a mais importante é a amizade que desenvolvemos com o Senhor Jesus; é o lugar onde se fala do amor de Deus, da salvação em Jesus Cristo, da importância da família na formação dos filhos; ainda que você negue esta necessidade, com isso não quer dizer que você não precisa de tudo isso.

        Você gostando, admitindo ou não, o povo que se reúne na igreja, é um povo diferente dos que não se reúnem, com raras exceções. É o povo de Deus. É o povo que tem esperança, felicidade, um ideal; mesmo que você ache que esse povo está enganado, explorado, atrasado, sofre lavagem cerebral, o que não é verdade. Porque não é verdade? Porque conheço médicas, engenheiros, advogados, pessoas ricas membros de igrejas. São pessoas esclarecidas o suficiente para não se deixarem ser enganadas, nem sofrerem lavagem cerebral.

        Você gostando ou não de igreja, nela há uma atmosfera espiritual, gostosa que faz muito bem para a alma triste, ferida, sem esperança, decepcionada se renovar a cada vez que vai à igreja adorar o Senhor.

        Você gostando ou não, deste pastor que vos fala, eu declaro amar você em Cristo Jesus, quero que você seja muito feliz, salvo pelo o Senhor Jesus Cristo e desfrute das bênçãos do Senhor, nesta vida e na futura.

        É pensando no quanto precisamos amor uns aos outros, independentemente do que elas são, que estamos aqui para exaltar o nome que é sobre todo o nome, que é o nome do Senhor Jesus, Amém!

        Pr Flávio da Cunha Guimarães
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

FALE CONOSCO

Nome:


Email:


Assunto:


Mensagem:


PAZ VERDADEIRA SÓ EM JESUS! Jo. 14:27 "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou..."