Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA
Mostrando postagens com marcador #Ira. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #Ira. Mostrar todas as postagens

abril 28, 2017

PARA ONDE IREMOS?

PARA ONDE IREMOS?

Imagem extraída do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=Imagens+de+pessoas+caminhando&newwindow=1&safe=active&espv=2&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwjSkIH6_5zTAhVDfpAKHf3kCC4Q_AUIBigB&biw=1517&bih=708

Acessada em: 11/04/2017

Jer. 15:1-9

Quantos de nós já tivemos a experiência de estarmos perdidos e vem aquela sensação de mal estar, de angústia e de que precisamos de ajuda, e nem sempre a temos na hora que precisamos. Hoje tem o GPS para guiar nesses casos. A Bíblia é o GPS do cristão verdadeiro e de todos os que querem andar verdadeiramente com Deus e em sua presença. Jesus diz em (Jo. 12:46) "Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas". Todavia, aqueles que não querem andar na luz de Jesus Cristo estão perdidos. É o caso do povo judeu no tempo do profeta Jeremias.

Estamos diante de um texto da Palavra de Deus de expressões fortíssimas. Diante de expressões que descrevem a ira do Senhor Deus contra o seu povo, chamado o povo de Deus. Todavia, o povo é que provocava a ira de Jeová sobre ele, a justiça, a correção e o juízo, com sua desobediência, incredulidade deliberada e consciente, depravação, mundanismo, zombaria, deboche, idolatria, rebeldia sem causa, teimosia e obstinação do seu coração.

Foi neste contexto que o profeta de Deus, Jeremias, orou fervorosamente ao Senhor Deus por eles, como vemos em (Jer. 14:7) que diz: “Posto que as nossas maldades testificam contra nós, ó SENHOR, age por amor do teu nome; porque as nossas rebeldias se multiplicaram; contra ti pecamos”. No entanto, o profeta não obteve o cancelamento do flagelo que o Senhor havia determinado, nem atenuar, amenizar ou diminuir o julgamento, porque o Senhor já havia decretado. E depois que o Senhor Deus decreta não muda a sentença. Era e é irreversível. Logo, seria e é executada.

Deus estava negando, claramente, o favor, a bênção, o perdão procurados por Jeremias, o seu profeta, ao seu povo, o povo do Senhor.

Imagem extraída do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=Imagens+de+pessoas+orando&newwindow=1&safe=active&espv=2&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwiI3uOVgZ3TAhWJPpAKHT2qBIwQ_AUIBigB&biw=1517&bih=654

Acessada em: 11/04/2017

Deus proibiu o profeta de orar em favor do povo. Que ponto chegou a situação do povo para com Deus! É o que lemos em (Jer. 7:16-17) que diz: “Tu, pois, não ores por este povo, nem levantes por ele clamor ou oração, nem me supliques, porque eu não te ouvirei. Porventura não vês tu o que andam fazendo nas cidades de Judá, e nas ruas de Jerusalém?” Não era uma proibição para sempre, era uma proibição temporária, até que o povo de Deus mudasse de comportamento e reconciliasse com o seu Deus.

Imagem extraída do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=imagens+de+pessoas+trabalhando&newwindow=1&safe=active&espv=2&source=lnms&tbm=isch&sa=X&sqi=2&ved=0ahUKEwiJzIuQgp3TAhVFkZAKHcO-AIUQ_AUIBigB&biw=1517&bih=654

Acessado em: 11/04/2017

Ao invés de orar ao Senhor Deus, o profeta devia revelar ao povo a tristeza da alma do Próprio Deus por causa dos pecados do povo. É o que vemos em (Jer. 15:17-18). Como prova de que o Senhor estava negando atender ao profeta em suas orações, V.1, mandou o profeta dizer ao povo, que, ainda que Moisés e Samuel se pusessem diante do Senhor em oração, não atenderia, não porque as orações dos dois fossem mais poderosas e eficazes do que a de Jeremias, mas porque o Senhor estava enojado, entojado, enjoado com a vida depravada que o povo vivia e provocando a justiça do Senhor Deus.

Deus se refere a Moisés que orou pedindo o perdão de Deus pelo povo de Israel no deserto e foi ouvido como lemos em (Êx. 32:11,14), “Moisés, porém, suplicou ao SENHOR seu Deus e disse: Ó SENHOR, por que se acende o teu furor contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande força e com forte mão? [...] Então o SENHOR arrependeu-se do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo”. Quando Samuel orou e foi respondido, (I Sam. 7:9), o que lemos: “Então tomou Samuel um cordeiro de mama, e sacrificou-o inteiro em holocausto ao SENHOR; e clamou Samuel ao SENHOR por Israel, e o SENHOR lhe deu ouvidos”. Já o (Sal. 99:6) diz: “Moisés e Arão, entre os seus sacerdotes, e Samuel entre os que invocam o seu nome, clamavam ao SENHOR, e Ele lhes respondia”. Agora o Senhor não quer responder a oração de seu profeta, Jeremias. Não havia oração que pudesse mudar a sentença que Deus dera ao povo diante do que o povo havia escolhido para si.

Deus manda Jeremias responder aqueles que por ventura perguntassem: “Para onde iremos?” Irá para onde escolhera ir. Os que escolheram a morte, irão para a morte. Os que escolheram a espada, irão para a guerra, para a morte a espada. Os que escolheram a fome, irão morrer de fome diante do cerco feito a cidade santa pelo exército de Nabucodonosor. Os que escolheram o cativeiro, a escravidão, irão ser escravos na Babilônia. Os que escolhem o Céu irão para o Céu. Os que escolhem o inferno irão para o inferno.

O povo de Israel e nós poder-se-iam dizer: Mas não escolhemos nada disso! Escolhemos sim! Quando deixamos de escolher vivermos para o Senhor, já estamos fazendo uma escolha pelo mundo com suas mentiras e enganações. Quando deixamos de escolher crer, já escolhemos ser incrédulos. Quando deixamos de escolher andar com Deus, já de antemão escolhemos andar com o Diabo. Quando deixamos de escolher fazer à vontade, já escolhemos fazer a vontade de Satanás. Quando deixamos de buscar ao Senhor em primeiro lugar em nossas vidas, já buscamos as coisas matérias, os prazeres, os divertimento, o lazer como a prioridade para as nossas vidas. Quando deixamos de viver uma vida de santidade para com Deus, é porque já estamos vivendo uma vida profana para nós mesmos. Quando deixamos de escolher a Palavra de Deus como meio de orientação para pautarmos as nossas vidas, é porque estamos escolhendo vivermos pelos parâmetros deste mundo enganador e mentiroso para as nossas vidas.

Para onde iremos?

Imagem extraída do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=imagens+de+pessoas+trabalhando&newwindow=1&safe=active&espv=2&source=lnms&tbm=isch&sa=X&sqi=2&ved=0ahUKEwiJzIuQgp3TAhVFkZAKHcO-AIUQ_AUIBigB&biw=1517&bih=654#newwindow=1&safe=active&tbm=isch&q=imagens+de+pessoas+fazendo+escolhas

Acessada em: 1/04/2017

Para o destino que escolhemos. O Senhor nos dá o privilégio de escolhermos como queremos viver: Com Deus ou sem Deus. Se salvos ou perdidos. Se santos ou profanos. Com fé ou incrédula. Com obediência ou rebeldes e revoltados sem causa. Se em paz com Deus ou em guerreando com Deus. Sabendo, porém, que somos responsáveis pelas nossas escolhas. Ainda que não seja prazeroso para o Senhor Deus atender o nosso desejo de destruição, todavia Ele respeita as nossas escolhas. Se não vemos o que diz (Jer. 4:4) que diz: “Circuncidai-vos ao SENHOR, e tirai os prepúcios do vosso coração, ó homens de Judá e habitantes de Jerusalém, para que o meu furor não venha a sair como fogo, e arda de modo que não haja quem o apague, por causa da malícia das vossas obras”. O que o Senhor quer de nós é arrependimento e conversão de nossos pecados para que Ele possa nos curar e nos abençoar.

Jer. 29:13 "E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração". "Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes", Jeremias 33:3

Bibliografia

1 - GILLl, John. Comentário de Jeremias 15:1-9. E-Sword-the Sword of the LORD withan electronic edge, Tradução do Google Tradutor.

2 – DELITZSCH, Keil. Comentário de Êxodo 2:1-10. E-Sword-the Sword of the LORD withan electronic edge, Tradução do Google Tradutor.

3 – HENRY, Matthew. Comentário de Êxodo 2:1-10. E-Sword-the Sword of the LORD withan electronic edge, Tradução do Google Tradutor.

4 - OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: http://www.baixaki.com.br/download/a-biblia-sagrada-versao-digital.htm . Acesso em: 15 dez. 2014.

novembro 09, 2015

O PECADO DA IRA NA IGREJA

        O PECADO DA IRA NA IGREJA
        São mais de 50 textos bíblicos que falam da ira de um modo geral, até mesmo da ira de Deus. No entanto, queremos falar da ira do ser humano e, em particular, dentro das igrejas.
        O texto para a nossa leitura está em (Ef. 4:26) “Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira”.



        DEFININDO A IRA
        Segundo o dicionário Aurélio, ira é o mesmo que cólera, raiva, indignação, desejo de vingança. É preciso distinguir entre a ira e cólera; a raiva e ódio. O ódio e a raiva são a ira reprimida. São emoções destrutivas tanto para os que as sentem como para quem se torna objeto delas. A ira é um impulso momentâneo, que provoca também os maus pensamentos, fazendo com que muitas vezes façamos acusações injustas, provocando brigas e conflitos nas relações interpessoais.

        A ira leva as pessoas a se comportarem de maneira feroz, animalesca, destrutivas, agressivas, demonstrando imaturidade emocional e espiritual. A ira é a causa de desejo descontrolado de vingança, de brigas, de agressividade, de hostilidade e até de destruição. É um descontrole, que chega a modificar o semblante, a expressão facial da pessoa.

       A IRA NA IGREJA
       Para aqueles que pensam que na igreja não existe ira, cólera, ódio, ressentimentos porque se vive em um ambiente religioso, espiritual, na presença de Deus, estão tremendamente enganados! Permita-me contar um episódio que aconteceu conosco em uma igreja. Um membro chegou para mim e disse-me que quem recebia salário era eu. Com isso ele queria me intimidar a não dizer as verdades que ele e a igreja precisavam ouvir, se não quem perderia o salário seria eu. Em outras palavras, seria mandado embora do ministério da igreja. Tal atitude é a demonstração de ira, de raiva, de hostilidade ou no mínimo, em nos dizer: “Eu não gosto de você, não vou com a sua cara”.

        Vejamos o que o Apóstolo Paulo escreveu a Igreja da cidade de Éfeso, (Ef. 4:26) “Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira”. Ele não escreveu para não crentes, pelo contrário, ele escreveu para uma igreja, constituída de membros que se diziam cristãos. Visto que estavam pecando ao irarem e essa ira permanecer, continuar dominando os pensamentos, o caráter e a personalidade de alguns daqueles membros.

        É muito triste dizer isso, mas há muita ira, ódio, mágoas, ressentimentos reprimidos nos membros de nossas igrejas. Por que há tantas discórdias nas assembleias deliberativas das igrejas? Por que há tanta divisão de igrejas? Por que pastores e familiares saem de igrejas tão feridos e atacados? Por que falam tão mal de pastores? Por que tem aqueles que gostam tanto de querer humilhar pastores?

        Não encontramos outra explicação a não ser duas: 1 – Membros que não foram ainda transformados pelo poder de Deus. São membros carnais, como o Apóstolo Paulo diz a igreja em Corinto 3:1-3. 2 – Por não serem transformados pelo poder da Palavra de Deus, esses membros de igrejas agem motivados pela ira, com a intenção de destruir as pessoas, principalmente aqueles que estão acima delas, porque não querem se submeterem a autoridade espiritual.

       COMO LIDAR COM A IRA
       A primeira coisa a fazer é tomar consciência, se autoconhecer, o que só é possível quando somos confrontados com a Palavra de Deus, o que fará perceber que comportamentos desse tipo são manifestações de ódio por si mesmo. Por mais que alguém possa nos provocar, nos irritar procuremos controlar a nossa ira, a nossa raiva. Como em todos os outros pecados, o amor próprio ainda é o melhor remédio, pois sabemos que não faz bem para nós nem para os que estão ao nosso redor.

        Segundo: Busquemos, no Senhor, a capacidade de perdoarmos a nós mesmos, aos outros que nos provocam para tirar aquele peso de consciência, de culpa que fica martelando em nossas mentes, que com certeza o inimigo há de usar para nos acusar.

        Busquemos em Cristo colocar em prática o fruto do Espírito Santo, o que o Apóstolo Paulo ensina em (Gal. 5:22-23) "Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei".


        Busquemos praticar os ensinamentos do Senhor Jesus Cristo, em sua Palavra, como em (Ef. 4:32) “Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo”; e (Col. 3:13) “Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também”. Vamos assumir este propósito, para com o Senhor Jesus agora!

       Pr Flávio da Cunha Guimarães

       Bibliografia

Bíblia de Promessas. Tradução João Ferreira de Almeida. RC. 2ª Edição, Co-edição JUERP e King's Cross Publicações, 2009.

Rosemeire Zago, Disponível em <http://www2.uol,com,br/vyaestela/ira.htm>, acessado em 04/11/2015.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

FALE CONOSCO

Nome:


Email:


Assunto:


Mensagem:


PAZ VERDADEIRA SÓ EM JESUS! Jo. 14:27 "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou..."