BEM VINDO


Recados Online

A EXCELÊNCIA DO AMOR

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

A RAZÃO É UMA SÓ!

         O texto que lemos no início, que é (Jo. 15: 18,20 e 21) nos diz: “Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim [...] Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós [...]; 21 Mas tudo isto vos farão por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou”.

        É com preocupação e com certa tristeza, que estou observando os acontecimentos com relação as igrejas evangélicas no Brasil. Nas vésperas do segundo turno, das eleições de outubro, deste ano, apreenderam as fichas dos membros da Igreja Universal do Reino de Deus e lacraram os templos em Caxias e no Rio de Janeiro, de maneira arbitrária, truculenta, é o que vemos nos vídeos que estão na internet.

        Link: https://www.youtube.com/watch?v=ximBtUxJedA, Veja

        Em São Paulo, há duas semanas, um Pastor da Igreja Batista, foi preso porque pregava o que está na Bíblia, contra o comportamento gay, em que uma policial atacou quem estava gravando as cenas, além de pessoas com a camiseta do PT vibrando com a prisão do Pastor, diz o vídeo.

        Link: https://www.youtube.com/watch?v=cCioJmug0Cg, Veja

        Há quase um ano que já venho alertando os fiéis que esse momento chegaria; e já chegou! E será daí para pior! Por que? A resposta está no texto em que lemos, que o Senhor Jesus Cristo diz: Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. Não são os crentes verdadeiros que odeiam as pessoas que vivem contrarias aos ensinamentos bíblicos, mas os que vivem contrários a esses ensinamentos que odeiam os crentes; e porque não querem ser confrontados com as verdades da Palavra de Deus daí a perseguição e prisões. O Senhor Jesus Cristo avisou, foi muito claro, quando disse: Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós.

        Qual é a razão, o motivo das perseguições, prisões e o que ainda há de acontecer?
        A razão é uma só. O que o Senhor Jesus Cristo disse: Mas tudo isto vos farão por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou. É por causa do nome de Jesus Cristo, de seu Evangelho, por não conhecerem a Deus através de uma experiência de conversão, de transformação de vida e de caráter, que essas pessoas perseguem e prenderão os crentes.

        Nós os crentes, precisamos estar preparados para passarmos por esse momento, por amor a Cristo. Jamais nos acovardar, apostatar da fé diante das ameaças. O Senhor Jesus Cristo diz em (Ap. 2:10) “Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida”.
        A única instituição, que o Senhor Jesus Cristo criou, para denunciar o pecado, na vida das pessoas e apresentar a solução para tais pecados, foi a Igreja, a sua Noiva, da qual Ele é o cabeça. O Senhor há de honrar a todos os que honrarem o seu nome! É pensando na nossa fidelidade para com o Senhorr Jesus Cristo, honrando o seu nome, amém!

        Pr Flávio da Cunha Guimarães

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

HOMEM DE DEUS SEM DEUS EM SUA FAMÍLIA.

        O texto que relata este episódio está em (I Sam. 2:12-17) que leremos: “12 Eram, porém, os filhos de Eli filhos de Belial; não conheciam ao Sr. 13 Porquanto o costume daqueles sacerdotes com o povo era que, oferecendo alguém algum sacrifício, estando-se cozendo a carne, vinha o moço do sacerdote, com um garfo de três dentes em sua mão; 14 E enfiava-o na caldeira, ou na panela, ou no caldeirão, ou na marmita; e tudo quanto o garfo tirava, o sacerdote tomava para si; assim faziam a todo o Israel que ia ali a Siló. 15 Também antes de queimarem a gordura vinha o moço do sacerdote, e dizia ao homem que sacrificava: Dá essa carne para assar ao sacerdote; porque não receberá de ti carne cozida, mas crua. 16 E, dizendo-lhe o homem: Queime-se primeiro a gordura de hoje, e depois toma para ti quanto desejar a tua alma, então ele lhe dizia: Não, agora a hás de dar, e, se não, por força a tomarei. 17 Era, pois, muito grande o pecado destes moços perante o SENHOR, porquanto os homens desprezavam a oferta do SENHOR”.

        Estamos diante de um texto que faz algumas denúncias gravíssimas a liderança religiosa de Israel.
        Primeira: O texto classifica os sacerdotes filhos do sacerdote Eli como filhos de Belial.
        Belial é uma palavra hebraica, (בְּלִיַעַל = BeLÎY´AL, HARRIS, 2008, P. 183,185), que significa inutilidade que descreve uma pessoa que não respeita e vive contrário a lei, que vive sem discernimento. Aquela pessoa que provoca o mal. Que zomba da justiça, principalmente a de Deus (Prov. 19:28); se referindo também ao príncipe do mal que é Satanás, princípio da ilegalidade e das trevas.

        Os filhos do sacerdote Eli, homem de Deus, mas sem Deus na família, eram descritos como filhos de Belial, como vimos acima, em que se identificavam com Satanás e não com o Sr Deus em suas atitudes.
        Em se tratando de pessoas inúteis a sociedade, a família e a Deus; pessoas que não respeitam as leis, principalmente as de Deus; que vivem sem discernimento de seus atos; que vivem provocando o mal a outras pessoas; que zombam da justiça; que vivem na ilegalidade, o mundo está cheio desse tipo de pessoas.
        O que dissemos acima descreve muito bem aqueles menores que vivem na criminalidade porque estão amparados por leis que os protegem. Que agem como filhos de Belial.

        Todos aqueles que abusam sexualmente de crianças podem ser chamados também de filhos de Belial, pois cometem o crime de violência, o pecado de adultério e o mal a criança e aos familiares. A solução para eles é cadeia neles.

        Por que se comportavam como filhos de Belial?
        Aqui encontramos a Segunda Denúncia Grave que o texto lido acima faz: Os filhos do sacerdote Eli “Não conheciam ao SENHOR”.
        Situação esta, que não era só do sacerdote Eli. Nos dias atuais esta situação tem se tornado muito mais comum do que gostaríamos que fosse.
        Pais fiéis ao Senhor com filhos infiéis, incrédulos, ímpios, extravagantes, indecentes, rebeldes sem causa, alguns até envolvidos com drogas e marginalidade porque não conhecem a Deus.
        O hebraico (יָדדַע = YÂDA´, HARRIS, 2008, P. 597) que fala de conhecer a Deus, saber sobre Deus é usado para falar de um relacionamento íntimo, tão íntimo que fala do relacionamento do esposa com a esposa. Fala de comunhão pessoal, de intimidade com Deus Pai.
        Isso significa que os filhos do sacerdote Eli viviam dentro da casa de Deus sem Deus, e eram pagãos sem o conhecimento de Deus.

        A minha oração é que sejamos homens e mulheres de Deus verdadeiramente. Com uma experiência pessoal e marcante com o Senhor Jeová.
        Que tenhamos um íntimo relacionamento com o Senhor.
        Que os nossos filhos vendo em nós, pais, em exemplo de fé e vida com Deus possam ser crentes salvos verdadeiramente.
        Que o paganismo jamais adentre em nossos lares.

        Pr Flávio da Cunha Guimarães

        Você poderá gostar também de visitar o link: http://www.vivabonsmomentos.com

        Bibliografia:

1 - HARRIS, R. Laird; Gleason L. Archer Junior e Bruce K. Waltke. Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. Tradução de Márcio Loureiro Redondo; Luiz A. T. Sayão e Carlos Osvaldo C. Pinto. 2008, Ed. Vida Nova, São Paulo, 1789 p, p. 235.

2 - Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

3 - Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.

4 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

5 - Bíblia de Promessas. Tradução João Ferreira de Almeida. RC. 2ª Edição, Co-edição JUERP e King's Cross Publicações, 2009.

6 - RIENECKER, Fritz e Cleon Rogers. Cheve Linguistica do Novo Testamento Grego. Trad. De Gordon Chown e Júlio Paulo T. Zabatiero. 1985, Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, São Paulo, 639 p.


7 - Marcelo Ribeiro de Oliveira. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere, marcelo@blasterbit.com

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

“RESOLUÇÕES” PARA COM DEUS!



        “Em 1722, Jonathan Edwards, preparando-se para viver em harmonia com Deus e com os outros, redigiu uma lista de 70 resoluções que tomaria para atingir seu objetivo. As seguintes resoluções denotam a seriedade com que Edwards abordava o seu relacionamento com Deus. Ele decidiu:
        - Contribuirei de forma mais significativa para a glória de Deus.
        - Farei minha obrigação para o bem geral da humanidade.
        - Nunca farei algo de que teria medo de fazer na minha última hora de vida.
        - Estudarei as Escrituras regular, constante e frequentemente.
        - Perguntarei a mim mesmo, no final de cada dia, semana, mês e ano, se o que fiz poderia ter sido feito melhor.
        - Até morrer, não agirei como se eu pertencesse a mim mesmo, mas inteira e totalmente a Deus.
        Em Neemias 10, o povo de Deus fez um juramento, prometendo seguir todos os mandamentos, leis e regulamentos do Senhor. Esse juramento era tão sério que eles estavam dispostos a aceitar a maldição de Deus se falhassem em cumprir os mandamentos.
        Nossas resoluções não precisam ser tão sérias como essas. Mas qualquer resolução de obedecer a Deus não é uma promessa casual. Antes, é uma declaração solene e séria que, com a ajuda do Espírito Santo, podemos renovar todos os dias”
        (Marvin Willimas. Nosso Andar Diário. Janeiro-Março de 2008, Curitiba, P.1).
        Que a nossa vida seja conforme as nossas resoluções para com o Senhor, para a honra e glória de seu nome do Senhor Jesus Cristo, o que o Apóstolo Paulo disse em outras palavras, em (Gal. 2:20) quando afirmou: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim”. É pensando em vivermos intensamente para Deus que devemos estabelecer as nossas resoluções para vivermos uma vida de santidade para o Senhor, afinal Ele merece, pois o seu amor é infinito por nós.

        Pr Flávio da Cunha Guimarães

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

"DERRAMAREI ABUNDANTEMENTE DO MEU ESPÍRITO"



        O texto de (Prov. 1:23) diz: “Atentai para a minha repreensão; pois eis que vos derramarei abundantemente do meu espírito e vos farei saber as minhas palavras”.
        Em primeiro lugar, o Senhor Deus faz uma recomendação quando diz: “Atentai para a minha repreensão”. Atentai significa observar, olhar, notar, preocupar-se atentamente a repreensão do Senhor. Só é repreendido pelo o Senhor Deus quem deve alguma coisa ou está errado, equivocado em alguma atitude.
        Em Segundo Lugar, o Senhor fala de "minha repreensão". Repreensão é o mesmo que censurar, admoestar de maneira enérgica. Em ouvindo e aceitando a repreensão, o Senhor Deus promete,
        Em Terceiro lugar, "derramarei abundantemente do meu Espírito". Derramar significa repartir e distribuir o Espírito de Deus sobre o ser humano.
        Em quarto lugar, "abundantemente", o que significa em grande quantidade; de maneira rica.
        Em Quinto lugar, no hebraico há um conjunto de palavras que podem ser usadas para repreender, censurar, reprovar, admoestar de maneira enérgica, corrigir e instruir para que haja mudança em conformidade com o que Deus quer, (Harris, P. 280,615 e 632), que acarreta em benefício para a pessoa repreendida que aceita a repreensão.
        O texto lido traz exatamente esta ideia. Em aceitando a instrução de Javé, há a promessa de que o Senhor derramará de maneira abundante o seu Espírito, que em outras palavras é o Espírito de Deus, que no Novo Testamento é o Espírito Santo. Que tem a função de instruir, conforme (Mat. 10:19), “Mas, quando vos entregarem, não vos dê cuidado como, ou o que haveis de falar, porque naquela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer”. Jesus Cristo está se referindo ao Espírito Santo que seria dado como instrutor dos salvos para falar inspirados da parte do Senhor. O que confirma (Prov. 1:23), que o Espírito seria dado para a compreensão da Palavra do Senhor Deus.
        Já em (Jo. 16:8) diz que, o Espírito Santo seria dado para convencer do pecado, da justiça e do juízo, como lemos: "E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo”. O que de fato foi dado como podemos testificar em (Atos 2); e em sua descida, converteram cerca de três mil vidas, (Atos 2:41) – “De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas”.
        Atentar, prestar a atenção nas instruções do Senhor, em sua Palavra, resultará em bênçãos para as nossas vidas. É pensando na instrução do Senhor, para as nossas vidas, que buscaremos o conhecimento da Palavra para que possamos Lhe agradar.

        Concluindo:
        O enchimento de maneira abundante do Espírito Santo, se dará através do conhecer a Palavra do Senhor. Em conhecendo, fará a sua vontade. Buscará a santificação. O que levará uma comunhão íntima com o Senhor Jesus Cristo. E esse enchimento do Espírito do Senhor, a santificação, a comunhão sincera e plena com o Senhor Jesus, capacitará o cristão, o fará apto para pregar a Palavra do Senhor; testemunhar dela e de seu poder. Bem como para enfrentar os endemoniados para exorcizá-los. É o que diz (Atos 1:8) "Mas recebereis a virtude (o poder sobrenatural) do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra". Somente através do poder do Espírito Santo somos capacitados. Amém! Glória a Deus!

        Pr Flávio da Cunha Guimarães

        Bibliografia:
1 - Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

2 - Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.

3 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.


4 - Marcelo Ribeiro de Oliveira. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere, marcelo@blasterbit.com

5 - HARRIS, R. Laird; Gleason L. Archer Junior e Bruce K. Waltke. Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. Tradução de Márcio Loureiro Redondo; Luiz A. T. Sayão e Carlos Osvaldo C. Pinto. 2008, Ed. Vida Nova, São Paulo, 1789 p, p. 235.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

NÃO TARDARÁ

Que não deixemos cair no esquecimento músicas que marcaram gerações, que são um convite, não só de louvor, mas de adoração e deus falando as vidas. A que estamos postando a seguir é uma delas: "Não Tardará".
https://www.youtube.com/watch?v=IsYF6T-htdw
Copie este link, cole-o na barra do Youtube e deixe Deus falar a sua alma. Amém!

Pr Flávio da Cunha Guimarães

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

POBREZA EXTREMA NO BRASIL

A EXTREMA NO BRASIL CRESCEU EM 2013/2014.
"Após uma década de queda na miséria, o número de brasileiros em condição de extrema pobreza voltou a subir em 2013. O país tinha 10,08 milhões de miseráveis em 2012, contra 10,45 milhões um ano depois, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O aumento é de 3,7%.
O cálculo leva em conta o número de indivíduos extremamente pobres com base nas necessidades calóricas – aquelas com renda insuficiente para consumir uma cesta de alimentos com o mínimo de calorias para suprir uma pessoa de forma adequada, com base em recomendações da FAO e da OMS. A conta estima diferentes valores para 24 regiões do país. [...] Os dados estão disponíveis no sistema IpeaData desde o dia 30 de outubro. Segundo o colunista do G1 Gerson Camarotti noticiou no último dia 15, o Ipea teria decidido segurar os dados sobre pobreza e desigualdade, baseados no Pnad, até o fim do período eleitoral.
Ainda segundo Camarotti, o órgão alegou que a Lei Eleitoral proíbe a divulgação dos dados até a definição de quem seria o presidente eleito.

Proporção de miseráveis sobe 4%
Uma segunda definição de miséria é estabelecida pelo decreto do plano Brasil sem Miséria – nele, a renda familiar de até R$ 77 por mês, per capita, é o limite da extrema pobreza no país. Por esta estimativa, os dados do Ipea mostram que a proporção de miseráveis, em relação a outras faixas, cresceu de 3,6%, em 2012, para 4% no ano passado".
Fonte: http://g1.globo.com/economia/noticia, com o conteúdo completo. Copiado literalmente de partes, em 06/11/2014

No mínimo podemos classificar como agir de má fé. Por que não divulgou esses dados antes das eleições e os aumentos da luz, gasolina, juros e etc?


Pr Flávio da Cunha Guimarães

domingo, 2 de novembro de 2014

EDUCANDO EM FAMÍLIA

         EDUCANDO EM FAMÍLIA

         “Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele”. (Pv. 22: 6).

        O texto que lemos acima diz que é para educar, instruir, ensinar a criança que pode ser de três maneiras básicas entre outras:

        A – Educar, instruir, ensinar ministrando conhecimento,
conteúdo programático para a idade da criança. Como exemplo: As primeiras palavras, as noções de higienes e etc. A primeira escola das crianças, portanto, é a família, o contexto em que ela cresce e vive.

        B – O educar, o instruir, o ensinar é muito mais eficaz,
quando praticamos, vivemos o que ensinamos. Quando damos o exemplo para os filhos de como proceder, agir de maneira correta. Não há educação quando os responsáveis dizem: “Fazem o que eu mando, mas não fazem o que eu faço!” O agir desta maneira é ser ignorante. Este tipo de educação é repressora, intimidadora, coercível, intolerante e ameaçadora. Mas a educação precisa ser libertadora, encorajadora para extrair da criança o potencial que ela tem para o desenvolvimento de suas habilidades e aptidões.

        C – O educar, o instruir e o ensinar a criança, no hebraico deste texto, traz a ideia também de colocar os limites para a criança, o que pode e o que não pode. O sim e o não. A disciplina que pode ser desde o diálogo de conscientização, conselhos, em que não havendo resultado vai aumentando a intensidade como o castigo, o uso da correção, que se necessário for, o uso da vara, sem no entanto, extravasar as frustrações, a raiva e espancar a criança. O espancamento deixa de ser educação para ser violência contra a criança. E este espancamento tem que ser denunciado realmente. O que falta aos pais é entender os estágios da educação em família e usar na dose certa, no tempo certo e da maneira certa. Tenho observado três extremos ou erros na educação que os pais dão aos filhos:

        1 – Primeiro: Os pais não fazem quase nada para 
educar os filhos. Deixam por conta da TV, babá etc, não tomam atitudes diante do mal comportamento dos filhos, deixam os filhos crescerem a Deus dará, de acordo com a própria natureza, com raras exceções; como a natureza já é má porque nascemos em pecado, (Sal. 51:5), "Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe". A criança descaminha desde pequenina para a prática das coisas erradas e do mal, por isso a necessidade de limites, ensino do que é bom e o que é mau. O que é certo e o que é errado.

        2 – Segundo: O outro extremo ou erro, são os pais repressores desmedidos. Que não conversam com os filhos, mas gritam, falam aos berros. Não aconselham os filhos. Não há comunicação. Vivem como se fossem estranhos. Quando há a comunicação é de forma impositiva, colocando limites em excesso, não pode quase nada; quase tudo é proibido. Quando corrigem, espancam, violentam os filhos extravasando uma raiva acumulada e reprimida em seu interior. É preciso haver o equilíbrio, a dose certa, a autoridade conquistada com o exemplo de vida, sem intimidação, mas com respeito consciente, conquistado através do estilo de vida que os pais vivem.

        3 – Terceiro extremo ou erro: Os pais interferindo, tirando a autoridade um do outro diante dos filhos quando uma das partes está corrigindo. Por exemplo: Se o pai ou a mãe chamar a atenção dos filhos, a outro parte repreender quem está corrigindo diante dos filhos. Isso não pode acontecer. Se uma das partes discordar da maneira como a outra está corrigindo os filhos, converse a parte, sem a presença dos filhos. E se quem corrigiu estiver realmente errado na forma da correção, que peça perdão para os filhos dizendo onde errou.
        Através deste post você está desafiado(a) como pai e mãe, a rever a sua maneira de educar os seus filhos e ensiná-los da maneira correta. A maneira correta é o bíblico, o que encontramos no livro de provérbios. Reveja a sua maneira de educar, enquanto ainda é tempo, enquanto ainda dá tempo de recuperar seu filho a sua filha. Amém!

       Pr Flávio da Cunha Guimarães

           Você poderá gostar também de visitar este link: http://superação1000.blogspot.com

sábado, 1 de novembro de 2014

CAMPEÕES DE VERDADE

Sinto-me envergonhado quando vejo um VÍDEO como este e ainda reclamo da vida. Quantas lições podemos aprender com todos que fazem parte do vídeo. Duas delas de imediato! Todos vivem independentes, sem a ajuda de terceiros. E vivem felizes. Quantos motivos temos para sermos mais felizes e as vezes não o somos! Fica aí para a reflexão de todos nós. Acesse o link abaixo e assista porque é importantíssimo.

Pr Flávio da Cunha Guimarães.

https://www.youtube.com/watch?v=qQxiEFET8X0#t=320

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

REFORMA LUTERANA

         A Reforma Luterana", como é conhecida ou "Protestante", se deu em 31/10/1517, na Alemanha, quando Marinho Lutero fixou as 95 teses na porta do templo católico de Wittenberg, protestos esses que já vinham acontecendo há séculos, porém eram sufocados pela "Santa Inquisição", matando quem discordava da "Indulgência" da Igreja Católica que vendia o perdão e a salvação para os bastardos, uma forma de enriquecimento, explorando a boa fé dos fiéis. Mortes estas nefastas, entre tantas modalidades, mortos em fogueiras em praça pública.
        Lutero foi excomungado, ameaçado de morte e só não morreu por refugiar em um castelo, no qual ele se escondeu, foi protegido por soldados do governo alemão. Para o Papa da época, Lutero era considerado um diabo. Com a Reforma Protestante, desencadeou uma série de reações da Igreja Católica, entre tantas a tentativa de sufocar a Reforma com perseguições, até chegar a contra Reforma quando foram incluídos os livros "Apócrifos" a mais na Bíblia Católica para dizer que a Bíblia dos protestantes não era verdadeira.
       Resultados da Reforma: Surgiram a Igreja Luterana seguindo as doutrinas e a teologia de Lutero; bem como a Presbiteriana seguindo as doutrinas e a teologia de Calvino, o que foi ramificando, e hoje são milhares de seitas pelo mundo.
          Esta introdução se dá para uma análise de como o inimigo é sagaz. Apesar da história apontar que o tal de Halween ter início bem antes, ainda que não se tem provas escritas, com os antigos Celtas, hoje a Irlanda, mas vemos que esse movimento cresceu e ganhou destaque nos últimos anos, de tal maneira que solapou a reforma luterana que veio para libertar o povo da escravidão católica, que por coincidência as datas são as mesmas, 31/10. Se a reforma luterana trouxe libertação de uma escravidão religiosa, a festa de Halween, não só ocupou o lugar que era para ser da Reforma luterana, bem como traz em seu bojo a ideia da escravidão dos adeptos aos ensinamentos de Lúcifer. Como a Mídia é anti Evangelho e anti cristã, dá toda a ênfase a festa das bruxas e nada se diz da Reforma luterana, o que acontece também nas escolas em que promovem o dia das bruxas e nada se diz da Reforma Protestante. Se nós, os cristãos, não fazermos valer a data de 31/10 como o dia especial para a libertação do Evangelho que era proibido pela Igreja Católica, inclusive a leitura bíblica nesse período, com o passar do tempo a reforma será esquecida. É por isso que aqui estou, já chegando às 23:00h para deixar registrado essas linhas para que não caia no esquecimento.

           Pr Flávio da Cunha Guimarães

PARA SE PENSAR E REFLETIR:

       “A oração faz a ponte entre o pânico e a paz”, Nosso Pão Diário, Janeiro-Março de 2005.
       Como seria bom, em todos os sentidos, se as pessoas, a começar pelas que se dizem cristãs, valorizassem mais uma vida de oração!
       O Próprio Senhor Jesus recomendou uma vida de oração aos seus seguidores, em (Mt. 26:41) "Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca".
       Se nós orássemos mais, evitaríamos sérios problemas morais e espirituais. A oração é um ministério a ser exercido por todos os membros de igreja.

       Pr Flávio da Cunha Guimarães

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

PARA REFLETIR

        “Uma advertência observada é um desastre evitado”, Nosso Pão Diário, Abril-Junho de 2.006.
        A nossa tendência é revoltarmos quando somos advertidos, seja por quem for ou que grau for. Ao invés de ouvirmos, analisarmos e tirarmos as lições positivas para a edificação de nossas vidas, a nossa tendência é ficarmos irados e agirmos com rebeldia, com retaliações, até mesmo para com o Senhor.
        O que acontecia com o povo de Deus, quando recebia as advertências, da parte de Deus, através dos profetas.
        Por isso que, o povo de Deus sofreu, e como sofreu, por causa de sua revolta e rebeldia para com o Senhor Deus, para com os mensageiros do Senhor, os profetas.
        Que o Espírito do Senhor, nos quebrante, de tal maneira, para aceitarmos as recomendações do Senhor como benefício para as nossas vidas.
        É preciso pensar e refletir, sobre a necessidade de ouvirmos a voz do Senhor, sendo obedientes e amando-o, ao invés de revoltarmos ou agirmos com rebeldia, acreditando no amor do nosso Senhor e salvador Jesus Cristo.
        A prova de seu amor por nós é que Ele deu a sua vida, numa cruz, por nós, pecadores, que não merecemos tão grande amor, é o que (Rm. 5:8) afirma: "Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores". Pense nisso, O senhor Jesus ama-nos muito, muitíssimo! Creia nisso!

        Pr Flávio da Cunha Guimarães 

CRISTO MORA AQUI?

        Para se pensar e refletir:
        
        Certo pastor, recém-empossado em uma igreja no interior, foi visitar a família de um de seus membros.
        Ele fez a seguinte pergunta para a irmã daquele lar visitado: "Cristo mora aqui?"
        A tardezinha, quando o marido chegou do campo, sua esposa contou-lhe o ocorrido com a visita do pastor.
        O esposo perguntou:
        - "Que disse ele?"
        A esposa respondeu dizendo:
        - "Perguntou se Cristo mora aqui, mas eu não soube responder-lhe".
        O esposo ficou um pouco corado, no entanto perguntou para a esposa:
        - "Porque não lhe disse que somos gente respeitável?"
        A esposa de maneira enfática disse:
        - "Eu poderia falar assim, mas não foi isso que ele perguntou?"
        O esposo insistiu:
        - "Por que então, você não lhe disse que lemos a Bíblia e oramos sempre?"
        A esposa mais uma vez retrucou dizendo:
        - "Mas também não foi isso que ele perguntou!"
        O esposo, visivelmente envergonhado insistiu:
        - "Você podia ter-lhe dito que somos assíduos nos trabalhos da Igreja".
        A esposa já constrangida, começou a chorar e afirmou:
        - "Mas ele não perguntou nada disso, perguntou apenas se Cristo mora nesta casa!"
        Por vários dias os dois ponderaram sobre o significado daquela pergunta enfática do pastor.
        Pouco a pouco as vidas do casal foram mudando, de uma forma inesperada, para o casal, através do amor e da força de vontade, marido e mulher conheceram o verdadeiro significado da presença de Cristo em seu lar.
        A partir de então, Jesus Cristo passou a viver naquele lar verdadeiramente.
        (Extraído de: A. D. duzentas Ilustrações).
        Verdadeiramente podemos dizer que Jesus Cristo mora em nosso lar.
        Enquanto refletimos sobre a aplicação moral desta ilustração e tiramos as nossas conclusões, se Jesus Cristo mora em nossos lares e, eu entendo que deveria morar em todos os lares, ouviremos a mensagem musical, com Conjunto Som Maior, Jesus Cristo Mudou Meu Viver. Aí vai o link: 



acesse e desfrute. Que o Sr o/a abençoe, amém!

Pr Flávio da Cunha Guimarães.

CORAÇÃO PRESO NO CÉU!


“Quem tem o coração preso ao céu se desprende das coisas deste mundo”. Pensamento extraído do Nosso Pão Diário, Janeiro-Março de 2.005.
Este pensamento está de acordo com o que o Apóstolo Paulo afirma em Col 3:1-4 quando diz: “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, isto é, nas coisas relativas ao Céu, e não nas que são da terra; porque já estai mortos, isto é, mortos para os pecados deste mundo, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com Ele em glória”. Pense nisso!
Flávio da Cunha Guimarães

VIVENDO DESPREOCUPADOS!


“Viva hoje como se você fosse estar diante de Deus amanhã”, Nosso Pão Diário, Janeiro-Março de 2.005.
Há muita gente vivendo como se não tivesse que prestar conta à Deus um Dia. Para isso o Próprio Senhor nos alerta em Mt. 12:36 quando diz: “Mas vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo”; bem como em Rm. 14:12 que diz: “De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus”.
Isso deveria fazer com que temêssemos, tremêssemos diante de tal realidade.
Há tanta gente desafiando a Deus, dizendo asneiras a respeito de Deus.
 A minha oração, o meu desejo é que Deus tenha misericórdia de nós, principalmente dessas pessoas.

Pr Flávio da Cunha Guimarães

RECUSAM CONHECER-ME PELO ENGANO!

        RECUSAM CONHECER-ME PELO ENGANO!




        O nosso texto é (Jer. 9:6) diz: “A tua habitação está no meio do engano; pelo engano recusam conhecer-me, diz o SENHOR”.

        Pensando de maneira rápida, há quatro coisas que impedem nós de conhecermos melhor uma outro pessoa.
        1 – Primeira: Quando devemos para a pessoa e não queremos pagar e vice-versa;
        2 – Segunda: Quando não gostamos, temos ódio da pessoa ou a pessoa tem ódio de nós;
        3 – Terceira: Quando a pessoa praticou algum mal a nós, ou nós a alguém; e,
        4 – Quarta: Quando temos preconceito, prejulgamento, julgamos de maneira precipitado uns dos outros.

        Que não é o caso de Deus para conosco, mas do ser humano para com o Senhor Deus. Ele não deve nada para nós; nós, sim, é que devemos para Ele.
        Ele Gosta de cada um de nós. Nos ama tanto, mas tanto que deu o seu Único Filho para morrer em uma cruz em nosso lugar. Deus não praticou nenhum tipo de mal a nós, pelo contrário, só nos faz o bem. Da parte de Deus não existe preconceito nem julgamento precipitado, pois a sua justiça excede a todos.

        Porque o ser humano recusa conhecer a Deus? O que impede?
        Vamos tentar responder esta indagação. Vamos tentar achar respostas para esta pergunta dentro da Bíblia, a Palavra de Deus.

        1 – EM PRIMEIRO LUGAR: RECUSAM CONHCER A DEUS PORQUE HÁ UM ENGANADOR.
        Quem é o enganador? O enganador é o Diabo, pois temos um texto muito interessante, em (I Reis 22:20-22) que leremos: “E disse o SENHOR: Quem induzirá Acabe, para que suba, e caia em Ramote de Gileade? E um dizia desta maneira e outro de outra; Então saiu um espírito, e se apresentou diante do Senhor, e disse: Eu o induzirei. E o Senhor lhe disse: Com quê? E disse ele: Eu sairei, e serei um espírito de mentira na boca de todos os seus profetas. E ele disse: Tu o induzirás, e ainda prevalecerás; sai e faze assim”.
        Percebe que o texto fala de um espírito enganador, mentiroso e que só agirá na vidas dos profetas de aluguel, pagos e comiam as custas do Rei Acabe.
        Fico pensando e analisando quantos profetas mentirosos, enganadores, alugados prometendo coisas que não podem cumpri-las!

        Acabe era um rei mau. As suas ações eram induzidas por Satanás. O Senhor Deus queria tratar com ele mas ele não queria ouvir a Deus através do profeta Micaías.
        Acabe preferia ser enganado, ouvindo os seus profetas que lhe diziam coisas bonitas, que enchiam o seu ego, do que ser confrontado com a verdade e ter que mudar de vida. É o que muitos pregadores fazem hoje. Preferem dizer coisas que enchem o ego das pessoas, o que elas querem ouvir do que confrontá-las com os seus pecados e que precisam deixá-los para encontrarem a salvação em Jesus Cristo.
        Há muita gente em nossos dias assim. Preferem ser enganadas ouvindo coisas que alisem os seus egos, do que ouvirem a verdade, terem que mudar de vida, serem libertas da escravidão do pecado e de Satanás. Quem sabe, você que está lendo este post, seja uma pessoa assim! Ouça a Deus e mude!

        2 – EM SEGUNDO LUGAR: RECUSAM CONHCER A DEUS PORQUE QUEREM SER ENGANADOS PORQUE CONHECIMENTO TINHAM!

        Há milhares de anos que o ser humano vem sendo enganado. Começou no Jardim do Éden, (Gen. 3:1-13), quando o Diabo enganou Eva e Adão. A partir daí a humanidade passou a viver debaixo do engano de Satanás. O engano chegou a tal ponto que Deus precisou trazer o Dilúvio, o que vemos a partir de (Genesis 6). Depois duas cidades viveram tão enganadas que o Senhor Jeová trouxe destruição para Sodoma e Gomorra, (Gên. 18:17...).
        As 10 tribos do norte de Israel enganadas e tão distantes de Deus, que o Senhor permitiu que fossem arrancadas da terra, transportadas para outras regiões ao ponto de não existirem mais, (II Reis 17:23-24).
        Depois foi a vez das duas tribos do sul, Judá e Benjamim com parte de outras tribos. Foram levadas para a babilônia em uma escravidão monstruosa, retornando após 70 anos (II Reis 24:1-20). Pelo engano impérios foram devastados e deixaram de existir.

        Quantos enganos em nossos dias?
        Quantas famílias devastadas pelo engano da bebida alcóolica? Pela maconha, crack, cocaína entre tantas. Muitas pessoas preferem acreditar em um político mentiroso e corrupto do que em um homem de Deus dizendo a verdade. Preferem acreditar no que leem em jornais e revistas do que na Bíblia, a Palavra de Deus.
        Preferem acreditar no que os líderes religiosos dizem do que no que Deus diz em sua Palavra.
        Assim vamos vivendo de enganação a enganação. O que entristece o coração de Deus e leva o Senhor a exclamar: “pelo engano recusam conhecer-me, diz o SENHOR”.
        Até quando você que ainda não encontrou a salvação somente em Jesus Cristo continuará sendo enganado(a)? Encontre a verdade em Jesus Cristo e seja salvo. " E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará". "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres", (João 8:32,36).


        Pr Flavio da Cunha Guimarães

        Bibliografia:
1 - HARRIS, R. Laird; Gleason L. Archer Junior e Bruce K. Waltke. Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. Tradução de Márcio Loureiro Redondo; Luiz A. T. Sayão e Carlos Osvaldo C. Pinto. 2008, Ed. Vida Nova, São Paulo, 1789 p, p. 235.

2 - Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

3 - Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.

4 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

5 - Bíblia de Promessas. Tradução João Ferreira de Almeida. RC. 2ª Edição, Co-edição JUERP e King's Cross Publicações, 2009.


6 - Marcelo Ribeiro de Oliveira. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere, marcelo@blasterbit.com

Você poderá interesar-se por: http://libertosdopecado.blogspot.com