BEM VINDO


Recados Online

A EXCELÊNCIA DO AMOR

terça-feira, 3 de março de 2015

#AGRADECIMENTO AO SENHOR!

        Há tantos motivos para agradecermos ao Senhor, além de mais um ano de vida; no entanto, não agradecemos, às vezes. Não agradecemos porque não paramos para pensar no quanto o Senhor Deus nos dá todos os dias como a chuva; a água para bebermos; o sol; o alimento diário; o oxigênio que respiramos; a família que temos; o emprego; o salário; a saúde; a vida; e tantas outras bênçãos.
        Queremos convidar você para agradecer as bênçãos do Senhor sobre a sua vida, sobre a vida de sua família enquanto ouviremos a mensagem musical, com Ministério Koinonya de Louvor, Te Agradeço, oh Pai, agradecidos a Deus pela vida de cada irmão, de cada irmã que faz parte de nosso grupo de amigos e irmãos em Cristo. Que o Senhor nos abençoe nos dando prosperidade em todos os sentidos.



         Pr Flávio da Cunha Guimarães


segunda-feira, 2 de março de 2015

OS #PARÂMETROS DE DEUS NAS #ESCOLHAS

JESUS ESCOLHE OS DISCÍPULOS


        Em (I Cor. 1:26-29) lemos: “Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; Para que nenhuma carne se glorie perante ele”.

        Deus têm métodos distintos do nosso para fazer as suas escolhas, porque Ele não se limita a aparência, nem mesmo escolhe pelas faculdades que temos ou que venhamos a ter.
        A palavra vis no texto acima significa: as pessoas sem nobreza, baixas, ou coisas desprezíveis.

        Ao relacionarmos, ao lidarmos com as pessoas, sejam elas quais for, sempre olhamos para a aparência, para o conhecimento que elas tem, achando que as mesmas tem mais habilidade, mais capacidade para exercer a função ao qual pretendemos atribuir a elas.

        Deus têm um método diferente, do nosso, para fazer as suas escolhas, porque Ele não se limita a aparência, nem mesmo escolhe pelas faculdades que temos ou venhamos a ter. Deus olha o coração, a intenção, a honestidade, a bondade e a fé que devem haver dentro de cada um de nós.
        Vamos analisar passo à passo o que o texto lido acima quer nos dizer:

        OS PARÂMETROS DE DEUS NAS ESCOLHAS: AO INVÉS DE ESCOLHER OS SÁBIOS, ELE ESCOLHE OS NÉSCIOS OU IGNORANTES.
        Como entender este parâmetro de Deus? Só podemos entender esta declaração do escritor sagrado, o Apóstolo Paulo, se recorrermos ao contexto do capítulo 1 de Primeira Epístola aos Coríntios e à cultura grega. Os gregos eram e ainda são conhecidos no mundo inteiro por sua sabedoria. A Grécia é o berço dos maiores filósofos que já existiram na história da humanidade. Daí não compreenderem o Evangelho do Senhor Jesus em sua essência. Deus escolher homens ignorantes para divulgar o Evangelho de Jesus Cristo, para os gregos era irracional. No entanto o Senhor Deus escolheu os néscios ou ignorantes para envergonhar os sábios, segundo o conhecimento intelectual. Os gregos consideravam uma loucura o fato do Salvador da humanidade, que é Jesus Cristo, vir a este mundo para morrer de maneira tão hostil, tão humilhante, tão sofredora em favor de homens tão maus, tão pecadores, que para os gregos não passava de uma afirmação irônico, irracional, impossível de aceitar, para um grego racional.

        Mas ainda é de se notar como, às vezes, somos impedidos de fazer a obra de Deus, porque nos esbarramos na visão que temos de nós mesmos, que somos incapacitados para exercer esse chamado divino; por outro lado, há aqueles que acreditam que podem interferir no plano espiritual embasados em seu conhecimento humano. O que na verdade não podemos.

        OS PARÂMETROS DE DEUS NAS ESCOLHAS: AO INVÉS DE ESCOLHER OS FORTES, DEUS ESCOLHE OS FRACOS.
        Podemos analisar a expressão “poderosos ou fortes” do seguinte modo:
        Existem 3 coisas que conferem poder ou força ao homem, que são elas:
        Dinheiro - Poder aquisitivo, poder material. Conhecimento – Poder mental, ou psicológico. e, Força física – Poder físico.

        O que podemos analisar de imediato é que nestas três formas de poder leva-nos a pensar que somos independentes de Deus. Que se temos dinheiro, conhecimento ou força física, dependemos somente de nossa própria capacidade, e não do Senhor Jesus. Se temos alguma destas três características, temos a falsa ideia que conseguiremos tudo que temos vontade. Mas na vida real não é bem assim. Por isso que Deus escolheu os fracos, porque os fracos precisavam e ainda precisam ser dependentes do Senhor; precisavam e ainda precisam de auxílio de Deus, de serem fortalecidos por Deus. Esta dependência vem de encontro aos planos de Deus na vida do homem; o poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza do homem que depende do Senhor, é o que afirma o texto em (II Cor. 12:9) “E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” a. O poder de Deus será visto quando somos capazes de fazer o que as minhas condições naturais não permitem, mas fazemos porque o Senhor nos capacita. Diante da pergunta do Senhor Jesus Cristo em (Mt 16:16) “Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? O que Pedro respondeu em (Mat. 16:17): E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus”.
        O que Jesus Cristo quis dizer é que somos totalmente dependentes do Senhor Jesus. Ai daqueles que pensam que não são dependentes. Pobres coitados.

        OS PARÂMETROS DE DEUS NAS ESCOLHAS: AO INVÉS DE ESCOLHER OS NOBRES, DEUS ESCOLHE OS HUMILDES.

        Nobreza está ligada a orgulho, a ostentação, a vaidade. Os que têm um nascimento nobre, em um nível social elevado estão convencidos que vivem, que são superiores aos pobres; são levados para as melhores escolas, roupa de grife, passeios turísticos. Isso tudo leva as pessoas abastardas a pensarem que são melhores, superiores, que nada foge de seu conhecimento e controle, tornando pessoas intratáveis, antipáticas, com as devidas exceções.

        Que não foi o caso do Apóstolo Paulo depois de sua conversão. Ele tinha razões para se vangloriar, porque era possuidor de um conhecimento muito grande, tanto intelectual, cultural e religioso, pois era poliglota; porém, considerou tudo isso como refugo, como lixo, em (Fil. 3:8) “E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo”, para ter o conhecimento do Filho de Deus. Em outras palavras, deixou de confiar em si mesmo, em sua capacidade natural para confiar exclusivamente em Jesus Cristo.
        Jesus escolheu pescadores, homens que não tinham o perfil de pessoa ideal para a missão tão importante, para serem os porta-vozes da mensagem do DELE. Eles aceitaram o desafio de Jesus, de serem pescadores de homens; o que Deus espera de nós, pessoas transformadas pelo deu poder, para sermos pescadores de almas também. Assumamos o propósito de ganharmos almas para o Senhor Jesus e seu Reino enquanto ainda há tempo, Amém.
        Jesus envia os discípulos.


        Pr Flávio da Cunha Guimarães

Bibliografia:

1 - ALL-COM Allen, Clifton J. Editor geral. Comentário Bíblico Broadman. Novo Testamento. Tradução de Adiel Almeida de Oliveira. Rio de Janeiro, JUERP, 1983, vol. 8, 484 P, P. 156-157.

2 - Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

3 - Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.

4 - Bíblia de Promessas. Tradução João Ferreira de Almeida. RC. 2ª Edição, Co-edição JUERP e King's Cross Publicações, 2009.

5 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

6 - OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: < http://www.baixaki.com.br/download/a-biblia-sagrada-versao-digital.htm>. Acesso em: 15 dez. 2014.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

#UMA CONVERSA FRANCA SOBRE #FAMÍLIA

        “Educa, (instrui, ensina) a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele, (Prov. 22:6).




        Estamos vivendo o tempo de famílias desajustadas, desestruturadas, desorientadas, sem rumo, sem autoridade para criarem os filhos, com sérios problemas de convivência e uma violência generalizada. Filhos mal-educados, desobedientes, revoltados, violentos, que dão um trabalho tremendo aos pais e causam uma preocupação muito grande aos mesmos.

        De onde vem tudo isso? Qual é a raiz de todos estes males?

        1 - EM PRIMEIRO LUGAR: A nossa tendência é acharmos culpados, tais como: O governo, o Estatuto da Criança e do Adolescente, as leis, a justiça, a Televisão, a sociedade, a escola, os amiguinhos, o Diabo e tantos outros.
        Tudo isso dão a sua parcela para a sociedade estar na situação em que se encontra. 
        Mas uma pergunta que não pode calar: Qual é a responsabilidade dos pais na formação dos filhos e dos futuros cidadãos desta pátria? Qual é a responsabilidade dos pais para que a sociedade chegasse a este pé? Os pais estão isentos de responsabilidade?
        Do nosso ponto de vista não estão isentos de responsabilidade; pelo contrário, são os principais responsáveis por esta situação caótica em que estamos vivendo.

        Não importa o que o governo faz; o que diz o Estatuto da Criança e do Adolescente; as leis, a justiça, a televisão, a sociedade, a escola ou o Diabo. Não temos que seguir leis humanas como a única verdade, a nosso lei principal é a Palavra do Sr. Quando seguimos as orientações das leis dos homens, ficamos perdidos, desorientados, sem rumo, com medo, com sentimento de culpa e sem autoridade.

        É aqui que está a raiz de tudo de ruim que está acontecendo nas famílias de nossos dias.
        Ao invés de buscarmos a orientação de Deus que criou, que sustenta e dá as orientações para as famílias, estamos buscando a orientação de homens sem o temor de Deus.
        Se você não criou os seus filhos nos caminhos do Senhor; não deu a disciplina correta, não adianta lamentar pelo leite derramado. Busque a Deus, fale do amor de Deus para os seus filhos. Converse com eles se já são adultos. Se ainda criança, corrija o comportamento inadequado; peça ajuda de especialistas em distúrbios comportamentais. E o Senhor Jesus abençoará no mais.

        Voltemos a pergunta anterior: De onde vem tudo isso? Qual é a raiz de todos estes males?

        2 – EM SEGUNDO LUGAR: Os nossos filhos estão com comportamento mau, dando trabalho, nos envergonhando, a culpa é nossa como pais que somos.
        Deixe-me perguntar o seguinte: O comportamento mau de nossos filhos começou derrepente? De uma hora para outra? Depois de adolescentes ou jovens? Lógico que não! O comportamento mau começou desde que eram pequenininhos. Quando ainda crianças e pouco fizemos para corrigirem.

        Quando percebemos o mau comportamento da criança, nós como pais, geralmente nos omitimos, não corrigimos porque é criança, é inocente, é judiar se corrigir. Com um agravante: Quando os filhos fazem alguma coisa errada, ainda achamos engraçado, sorrimos e nos calamos.
        Essa atitude de achar engraçado, de sorrir a criança a recebe como que os pais estão aprovando a sua atitude, estão gostando e é como se estivessem dizendo: Continuem fazendo que não há nenhum problema.

        Quando os filhos, ainda pequenos, batem no rosto dos pais ou chutam, os pais nada fazem, as vezes! Quando os filhos desentendem, brigam com outras crianças, os pais que sempre saem em defesa dos filhos achando que estão certos. Isso é um atestado para que a criança cresça arrumando encrenca porque sabem que os pais vão defende-las.
        Filhos que chegam com objetos que não saíram de casa com eles e os pais não perguntam qual é a origem. Que pode ser pequenos furtos, ao agirem assim, estão dizendo para os filhos que podem continuar porque é normal, é assim mesmo!

        Aqueles filhos que aonde chegam faz um vendaval, um furacão, mexem e espalham tudo. Não respeitam lugares, momentos, não há limite. Os pais, apenas observam passivos sem nenhuma atitude enérgica. Esses filhos, são sérios candidatos, a darem num futuro próximo, sérios problemas, envergonhar e entristecer os pais.
        Se seus filhos são assim, corrija-os, falem com amor, mas de maneira enérgica e com firmeza. Sem ceder as chantagens deles. Se é sim, é sim; se é não, é não. Se prometer alguma coisa, cumpra-se o que prometeu.
        Converse com os filhos. Se não resolver, coloque-os de castigo e explique o porquê está pondo de castigo. Você pai ou mãe é que determina o horário que sairá do castigo.
        Comece a tirar coisas que eles gostam. Se tudo isso não funcionarem, usa a vara como a Bíblia ensina, em (Prov. 13:24) “O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama, desde cedo o castiga”. (Prov. 22:15) “A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da correção a afugentará dela”. (Prov. 23: 13-14) “Não retires a disciplina da criança; pois se a fustigares com a vara, nem por isso morrerá”. “Tu a fustigarás com a vara, e livrarás a sua alma do inferno”.

        Para terminar:




        Quem manda em sua casa? Os pais ou os filhos? Onde está a sua autoridade dada por Deus como pai e mãe? Exerça a sua autoridade, pois o Senhor cobrará de você se não a exercer como cobrou do sacerdote Eli. Vamos assumir o propósito de colocarmos ordem em nossas casas, em nome de Jesus. Amém!

       Pr Flávio da Cunha Guimarães

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

#UMA #CHAMADA À #INTERCESSÃO

        "Uma Chamada à Intercessão"

        “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca”, (Mat. 26:41).




        Deus está levantando intercessores: Homens, mulheres, jovens e adolescente, com o propósito de vigiarem e orarem porque os dias são maus.
        O povo de Deus precisa estar vigilante e de prontidão, porque o inimigo está atacando ferozmente de todos os lados, com todas as armas.
        Quando o Senhor Jesus diz: “Vigiai”, o que vem a minha mente é um pelotão, uma companhia, ou um batalhão militar, que precisa de um guarda ou sentinela que não dorme, porque ele é o responsável para avisar os demais do perigo, da aproximação do exército inimigo para que entre em prontidão para se defender, contra-atacando o inimigo.

        Como cristãos que somos, não podemos ficar só nos defendendo dos ataques do inimigo, precisamos contra-atacar e atacar o inimigo. As nossas armas para ataca-lo são: A Palavra do Senhor, a oração e o jejum. Essas três armas foram as que Jesus Cristo usou para derrotar Satanás quando foi tentado após o seu batismo, o que está escrito em (Mat. 4:1-11).

        Voltando a ideia de vigiar. Se esse sentinela ou guarda, ficar desatento ou dormir, poderá causar sérios danos para os seus companheiros. No tempo presente, precisamos estar de prontidão, em oração e em intercessão.

        A intercessão é uma das modalidades da oração como por exemplo: Oração de petição, oração de penitência, que é de arrependimento e confissão, oração de louvor e adoração a Deus, oração de agradecimento e etc. Deus está levantando intercessores com o propósito de orar pela nosso povo, pelas nossas autoridades corruptas para que tenham o temor de Deus. Orar pelo povo do Senhor.

        Antes de tudo precisamos entender que a oração é um requisito da vida cristã que é pertinente ou atinente a todos os que foram salvos, visto que a oração é fundamental para o desenvolvimento de nossa fé e comunhão com Deus.

        O texto quando diz: “Vigiai e orai”, o Senhor Jesus está ordenando. Portanto, não é uma questão de se querer, se der vontade, é ordem. E ordem não se discute. Ora ou desobedece. E desobediência acarreta em disciplina.

        A oração faz parte do caráter pessoal do cristão, ou pelo menos deveria fazer. Podemos orar pelos enfermos e doentes; pelos perturbados e oprimidos pelo inimigo; pelos os que estão com problemas diversos; pelos os que estão enfrentando distúrbios espirituais; pelas autoridades civis (1Tm 2:1,2); pelos missionários; pelos que nos perseguem (Mt 5:44); pelos pastores (At 12:5) e etc.
       
        A conversão de Saulo de Tarso, que depois veio chamar-se Apóstolo Paulo, se deu porque a igreja relatada em Atos era de oração ao Senhor Jesus.
        Através deste episódio podemos entender a dimensão espiritual, a eficácia da oração e como o Senhor usa homens e mulheres em oração para abençoar vidas. Temos como exemplo a vida e o ministério de Charles Grandison Finney, um homem de compromisso com o Senhor, com a Palavra do Senhor, de oração que trouxe aos USA um grande avivamento espiritual pelos idos de 1850-1860.
        “Quando Finney viajava de um lugar para outro, ele era acompanhado por dois homens idosos conhecidos como Tio Clary e Tio Nash. Quando ele foi para a Inglaterra para ficar por várias semanas em reuniões especiais, estes dois homens de modestos recursos também viajaram para lá, alugaram um porão escuro e úmido por vinte e cinco centavos por semana, e permaneceram lá de joelhos, batalhando em oração. Suas lágrimas e gemidos em oração prevaleceram. Foram os vigias intercessores de Finney”, Ev. Robson Olate, da Comunidade Evangélica de Varginha/MG.

        Queremos terminar o nosso post dizendo de nossa preocupação quanto aos cultos de orações, nas igrejas de um modo geral de nossos dias. Muito pouco frequentados. O povo cristão de hoje quer muito louvor, mas pouca Palavra de Deus. Muita cantoria, mas pouca oração. Muito festival, mas pouco compromisso com o Senhor. Fica como reflexão para nós o que um autor desconhecido escreveu há alguns anos: “Nenhuma oração, nenhum poder; pouca oração, pouco poder; muita oração, muito poder”. Pensemos nestas verdade e assumamos o compromisso de orarmos mais, por nós, pelas autoridades, pela salvação do povo, pelas nossas famílias, pelos irmãos e igrejas e pelo crescimento do Reino do Senhor Jesus Cristo.





       Pr Flávio da Cunha Guimarães

       Bibliografia:


1 Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

2 Bíblia de Promessas. Tradução João Ferreira de Almeida. RC. 2ª Edição, Co-edição JUERP e King's Cross Publicações, 2009.

3 Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.

4 BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

5 OLETE, Robson, da Comunidade Evangélica de Varginha/MG

OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: < http://www.baixaki.com.br/download/a-biblia-sagrada-versao-digital.htm>. Acesso em: 15 dez. 2014.

7 RIENECKER, Fritz e Cleon Rogers. Cheve Linguistica do Novo Testamento Grego. Trad. De Gordon Chown e Júlio Paulo T. Zabatiero. 1985, Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, São Paulo, 639 p.

O #TEMPO DA #ANSIEDADE

        O TEMPO DA ANSIEDADE

        “Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças”. (Fil. 4:6).

        Estamos vivendo o tempo das inquietações, das agitações políticas, econômicas, religiosas ou espirituais, agitações comportamentais em que a violência está aí ceifando dezenas de vidas por dia, até a agitação deste final de semana em que as pessoas extravasam os desejos pecaminosos, em que a Bíblia os chama de desejas da carne e uma ansiedade que tem devastado o interior, a alma de centenas de milhares de pessoas pelo mundo afora.
        O cenário mundial, a começar pelo nosso país, é caótico; é tenebroso, pois quanto mais as autoridades se reúnem para discutirem soluções, mais difícil a situação fica. Sabem porque fica mais difícil? Porque Deus não faz parte da discussão das soluções. Deus está excluído da agenda dos líderes mundiais, dos políticos há décadas.
        Toda essa situação em que estamos vivendo, é porque Deus está distante da vida do povo em geral. Onde Deus está ausente predomina a idolatria, a depravação humana, a violência, a prostituição, a degradação do ser humano, ao ponto em que chegamos, está insuportável, já não dá mais para aguentar tamanha #anarquia.

        Mas o texto que lemos no início, em (Fil. 4: 6) diz: “Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças”. O Senhor Jesus Cristo está mandando porque o verbo aqui é um imperativo, que não estejamos inquietos, ansiosos, preocupados porque o Senhor Jesus há de suprir todas as necessidades.
        Mas para que isso aconteça é necessário, é preciso, que apresentemos as nossas petições, as nossas orações, as nossas suplicas com ações de graças. Todavia só faz isso quem tem o temor a Deus, o que falta desde as autoridades até ao povão em sua maioria.
        Ações de agradecer é agradecer, ao Senhor Deus, por todos os benefícios, todas as bênçãos passadas, no presente e as que hão de vir, na certeza de que quanto ao que compete ao Senhor não falhará. É com um coração agradecido que vamos continuar vivendo a nossa fé independente do que o mundo faz, cre e pratica.

        Pr Flávio da Cunha Guimarães

        Bibliografia:
1 Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

2 Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.

3 Bíblia de Promessas. Tradução João Ferreira de Almeida. RC. 2ª Edição, Co-edição JUERP e King's Cross Publicações, 2009.

4 BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: < http://www.baixaki.com.br/download/a-biblia-sagrada-versao-digital.htm>. Acesso em: 15 dez. 2014.

6 RIENECKER, Fritz e Cleon Rogers. Cheve Linguistica do Novo Testamento Grego. Trad. De Gordon Chown e Júlio Paulo T. Zabatiero. 1985, Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, São Paulo, 639 p.


terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

#SÁBIOS #CONSELHOS

        Em (Tia. 5:7-11) diz: “Sede pois, irmãos, pacientes até à vinda do Senhor. Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba a chuva temporã e serôdia. Sede vós também pacientes, fortalecei os vossos corações; porque já a vinda do Senhor está próxima. Irmãos, não vos queixeis uns contra os outros, para que não sejais condenados. Eis que o juiz está à porta. Meus irmãos, tomai por exemplo de aflição e paciência os profetas que falaram em nome do Senhor. Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó, e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso”.

        Quando se trata de futebol, de religião, de política e de conselhos, todos tem sua opinião e dá o seu palpite.
        Em se falando de conselhos, existem os conselheiros políticos, financeiros, sentimentais, matrimoniais, espirituais e os infernais. O que quero dizer com isso? Que dependendo do conselho, em colocando em prática, a nossa vida vira um inferno. Portanto, cuidado com os conselhos gurus de plantão que dão conselhos.

        Existem conselhos para o bem como para o mal. Pessoais, impessoais, falado ou escritos.
        Dizem os entendidos que conselhos se servissem, se prestassem para alguma coisa não seriam gratuitos, mas cobrados.
        Hoje, quero conversar com você, sobre: Sábios Conselhos
        Em se falando de conselhos, existem os conselheiros políticos, financeiros, sentimentais, matrimoniais, espirituais e os infernais. O que quero dizer com infernais? Que dependendo do conselho, em colocando em prática, a nossa vida vira um inferno. Portanto, cuidado com os conselhos que dá e que recebe.

        Existem conselhos para o bem como para o mal. Pessoais, impessoais, falado ou escritos.
        Dizem os entendidos que conselhos se servissem, se prestassem para alguma coisa não seriam gratuitos, mas cobrados.
        Hoje, quero conversar com você, sobre: Sábios Conselhos.

        Há determinados momentos, em nossas vidas, ou certas decisões que um bom conselho faz muito bem para tomarmos a decisão acertada.
        Todavia, as pessoas, de um modo geral, tem certa dificuldades, certa resistência em admitirem que precisa de um conselho, seja por timidez, orgulho, autossuficiência ou por não confiar nas pessoas ao seu redor.
        Por outro lado, há também aquelas pessoas que dão péssimos conselhos, que tem um poder de destruição da felicidade, sonhos, as vezes, até da própria vida da pessoa aconselhada.
        Entretanto, ainda que há as pessoas, que dão bons conselhos, conselhos que trazem edificação para as vidas desorientadas, por outro lado nenhum conselho humano será igual ou superior aos conselhos que o Senhor Jesus Cristo dá em sua Palavra.
        Todos os conselhos que vem da Palavra do Senhor são sábios, bons, certos e edificantes porque vem do coração de Deus para os nossos corações.

        O PRIMEIRO SÁBIO CONSELHO QUE VEM DO TEXTO LIDO EM TIAGO É: “Sede pacientes”, (V. 7).
        A pergunta é: Como sermos pacientes se somos provocados e provados a todos os momentos? Pessoas que varrem o lixo colocando-o em frente de nossas casas, calçadas ou na esquina. Pessoas que passam na rua pela madrugada fazendo a maior algazarra, xingando palavrões. Carros e motos com escapamentos estourados fazendo um barulho infernal. Vizinhos com som altíssimo pela madrugada atrapalhando o nosso sono que temos que acordar cedo para trabalharmos no outro dia.
        Você tem passado por isso? A recomendação bíblica é para que tenhamos paciência.
        Como ter paciência se vivemos em um mundo que as coisas mudam em questão de meses? Uma vida agitada e louca! Trabalho, família, lazer, compromissos sociais e etc. De maneira que o dia de 24h se torna pequeno. Temos que tomarmos decisões rápidas. Não vemos o tempo passar. O tempo passa por nós e rápido. O ano começa, quando percebemos já está chegando ao final.
        Este mundo louco causa uma ansiedade nas pessoas, faz com que queiramos tudo num estralar de dedo, aqui e agora.
        É por isso que passamos por cima da própria vontade, da vontade dos outras; e o pior, passamos por cima da vontade soberana de nosso Senhor Jesus. Com um agravante: Nessa correria, não temos tempo para Deus; não temos tempo para a família e para nós, para avaliarmos as decisões e suas consequências; os conceitos do que é certo ou errado. O conceito que se tem é que tudo é relativo. E para o Senhor Jesus não o é. Tem as coisas relativas, mas existem as absolutas.
         Diante deste turbilhão de coisas para fazermos, a ansiedade e as emoções a flor da pele, nos relacionamos mal com as pessoas, enfraquecemos os laços familiares; enfraquecemos espiritual; não temos tempo para avaliar as decisões e suas consequências.
        É por isso que há tanta gente embaraçada na vida, arrependida do que fez, todavia, tarde demais para consertar, a não ser ter paciência para aprender a viver e conviver com a situação adversa.
        Este é o conselho bíblico. Ainda com um exemplo: O do lavrador ou agricultor que semeia esperando a chuva para ver o resultado e produto de seu trabalho.
        Com um detalhe, o agricultor experiente, que entende, não semeia de qualquer maneira, em qualquer tempo. Ele sabe o tempo de semear a sua semente.
        Que saibamos tomar as nossas decisões certas, no tempo certo, tendo a paciência principalmente para sabermos qual é o tempo de Deus, para depois não ficarmos lamentando, chorando pela dor de uma decisão precipitada.


        Como precisamos ser pacientes diante das provocações!

        O SEGUNDO SÁBIO CONSELHO QUE VEM DO TEXTO LIDO EM TIAGO É: “fortalecei os vossos corações” o que está no (V.8).
        Tiago estava querendo dizer o que com esta frase? “Fortalecei os vossos corações”?

        Para o Dicionário Aurélio online, fortalecer é tornar forte; fortalecer o ânimo. É encorajar, animar. Robustecer-se física ou moralmente. É o que o povo brasileiro está precisando, fortalecer moralmente; e por que não dizer espiritualmente! Tiago não está falando de fortalecimento físico, através de academia, de anabolizantes, aqueles medicamentos para criar massa muscular. Tiago está se referindo ao fortalecimento do ponto de vista de convicção religiosa, de fé, de esperança e de um compromisso com o Senhor Jesus Cristo. Um fortalecimento doutrinária para não serem levianos ou levianas, serem enganados ou presas fáceis de grupos que ensinam heresias tremendas, que há em nossa sociedade, que negam a Jesus Cristo como sendo Deus e o único salvador do ser humano.
        Tiago está falando, ensinando o fortalecimento em conhecer mais a Deus e sua vontade para as nossas vidas. O fortalecimento no relacionamento mais íntimo com o Senhor Jesus. E o fortalecimento da nossa comunhão com Senhor e com os irmãos. Tiago ao olhar para a igreja de J C de seus dias, já via sinais de enfraquecimento nestas áreas. O que leva-o a exortar a igreja para se fortalecer. O que ele diria hoje? O mesmo: Fortalecei os vossos corações.

        Quando estamos fracos fisicamente, para fortalecermos precisamos de que? Precisamos de comida, de tratamento e de medicamento. Quando estamos fracos espiritualmente, precisamos de que para fortalecermos? Precisamos de alimento espiritual, de Bíblia, de doutrina e de fé. Quando a igreja está fraca espiritual, na doutrina e na fé, ela perde o rumo e o senso do que é primordial para a igreja. Daí vem as queixas, as reclamações, as divisões e etc. É neste contexto que abordamos...

        O TERCEIRO SÁBIO CONSELHO DO TEXTO DE TIAGO É: “não vos queixeis uns contra os outros”.
        O que é queixa? Reclamações. Lamentações. Que levam a brigas e divisões. O que a igreja nos dias de Tiago não sabia é que este comportamento traz condenação, o que ele não queria para a igreja.

        Exemplos bíblicos: O povo hebreu ao queixar-se, ao reclamar, ao murmurar no deserto contra Moisés e o Senhor Deus quando saiu do Egito, o Senhor o puniu com a morte. É o que lemos em (Num. 11:1). A queixa é um ato de insubmissão, de rebelião, de descontentamento e insatisfação que pode ser injusta e por motivos irreais. Temos como exemplo o caso de Miriã e Arão, o que levou o Senhor Deus a disciplinar a Miriã, ficando ela leprosa, (Num.12:10).

        Tiago apela para que tenhamos paciência. Paciência é a palavra principal deste texto. Ele usa os exemplos dos profetas e de Jó, que foram pacientes diante das adversidades; que se fortaleceram no Senhor Deus; que não queixaram e Jó foi recompensado em dobro em tudo o que perdeu.
        Sejamos nós também pacientes ainda que as decisões sejam drásticas. Ainda que sejam duras. Vamos assumir o propósito de sermos pacientes mesmo nas provações.


        Pr Flávio da Cunha Guimarães

        Bibliografia

1 HARRIS, R. Laird; Gleason L. Archer Junior e Bruce K. Waltke. Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. Tradução de Márcio Loureiro Redondo; Luiz A. T. Sayão e Carlos Osvaldo C. Pinto. 2008, Ed. Vida Nova, São Paulo, 1789 p, p. 235.

2 Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

3 Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.

4 BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

5 Bíblia de Promessas. Tradução João Ferreira de Almeida. RC. 2ª Edição, Co-edição JUERP e King's Cross Publicações, 2009.

OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: < http://www.baixaki.com.br/download/a-biblia-sagrada-versao-digital.htm>. Acesso em: 15 dez. 2014.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

QUANDO O #POVO CAI

        “Não havendo sábios conselhos, o povo cai, mas na multidão de conselhos há segurança”, (Prov. 11:14).




        O texto que lemos no início, diz: “Não havendo sábios conselhos, o povo cai”.
        Vamos entender o que é “o povo cai”. Quando falta os sábios conselhos o povo cai nas astúcias, na lábia dos espertinhos, no engano dos políticos e religiosos. Acredita inocentemente em promessas que não se realizam. Outros porém, se deixam enganar por interesses imorais. Vota em qualquer candidato sem levar em consideração a vida moral, ética e o caráter da pessoa, do candidato. Os resultados estão aí. Impostos exorbitantes, aumento da energia, inflação alta, salário minguado e muito mais que vem por aí.

        Quando falta os sábios conselhos o povo cai moralmente. A corrupção generalizou-se no país; atingiu patamar intolerável, em todos os escalões e instituições da nossa sociedade. As pessoas partem do princípio que se os grandes, os governantes e as autoridades podem, nós podemos também. Moralmente o país está vivendo um caos, uma desordem vergonhosa! Que precisa mudar e mudar com urgência.

        Quando falta os sábios conselhos o povo cai na violência. Morre mais pessoas no Brasil, por dia, como vítima da violência, do que nas guerras modernas. Estamos beirando uma guerra civil. Por que de tudo isso? A falta de sabedoria dos governantes. Governantes frouxos, passivos e condizentes com a situação, que deveria aprender as lições do rei Roboão, o que está registrado em (I Reis 12:1-14) que deixou de ouvir os conselhos sábios dos idosos e líderes, para dar ouvido aos conselhos dos jovens, deflagrando, iniciando uma rebelião, uma divisão da nação e uma guerra cível em Israel.

        Quando falta os sábios conselhos o povo cai espiritualmente. Sejamos honestos! A situação espiritual das igrejas no nosso país, bem como a adoração é lastimável. Tem gente achando que templo grande e cheio é sucesso espiritual, que está fazendo a vontade de Deus e agradando-o. Tem muitos líderes de igrejas enganados e enganando, iludidos e iludindo os fiéis sinceros, mas inocentes e sem conhecimento da verdade. Está acontecendo uma banalização, um mercantilismo e um barateamento do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. Templos cheios de pessoas distantes do Sr. É preciso mudar esta mentalidade e logo. Pense e faça uma reflexão no que foi dito.

      Quando falta os sábios conselhos o povo cai espiritualmente, e, em caindo espiritual, cai na gandaia e na folia. Fico imaginando, quantos membros de igrejas cairão na gandaia no carnaval. A festa da carne em que as pessoas extravasam os desejos mais reprimidos e intensamente. Há um texto bíblico, em (Êxodo 32:1-24), que fala de uma festa do povo hebreu, no deserto, que nada mais era do que uma festa que extravasava os desejos da carne como o é o carnaval brasileiro. O carnaval brasileiro nada mais é do que uma festa de orgias, de prostituição, de adultérios, de turismo sexual, de traição, de proliferação de (DST) Doenças Sexualmente Transmissíveis, entre as mortais está a AIDS, de consumo de drogas de todos os tipos e espécies. Quando falta os sábios conselhos o povo cai. E cai mesmo!

       Pr Flávio da Cunha Guimarães

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

#SÁBIAS #ESCOLHAS: ESCOLHER A #VIDA



        SÁBIAS ESCOLHAS: ESCOLHER A VIDA

        O texto de (Deut. 30:19-20) diz: “Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, Amando ao SENHOR teu Deus, dando ouvidos à sua voz, e achegando-te a ele; pois ele é a tua vida, e o prolongamento dos teus dias; para que fiques na terra que o SENHOR jurou a teus pais, a Abraão, a Isaque, e a Jacó, que lhes havia de dar”.

        Não nascemos sabendo fazer as nossas escolhas. Alguém faziam as escolhas por nós, que em geral são os nossos pais. Se fizeram bem ou mal não está em discussão aqui. Todavia, chegou um tempo que passamos a fazer as nossas próprias escolhas: O que vestir, aonde ir, com quem ir, o que comer, o que não comer, que curso e qual universidade fazer; com quem casar, não casar com ninguém. Enfim, fazemos nossas escolhas todos os dias o dia inteiro. Se depois de adulto alguém ainda faz as nossas escolhas, algo está errado com essa pessoa. Deus está propondo e aconselhando escolher a vida; mas tem muita gente que está escolhendo morrer e morrer aos poucos, nos vícios e morrer sem salvação, que é a morte eterna!

        NOSSAS ESCOLHAS NO REINO ESPIRITUAL

        No reino espiritual não é diferente dos demais reinos. Todos os dias temos que fazer as nossas escolhas. Ao fazermos as nossas escolhas, ainda que com as melhores das intenções, todavia não estamos isentos, nem livres de erros. Os erros e acertos, fazem parte das nossas vidas que somos seres vivos; que temos que tomar decisões enquanto aqui vivemos, visto que temos o livre arbítrio, somos independentes quanto à vontade, seres racionais para tomarmos nossas decisões, sem nos esquecermos, porém, que a vontade de Deus é soberana, boa, agradável e perfeita para nós. Portanto, na hora de escolher precisamos levar em consideração a vontade do Senhor Jesus Cristo para as nossas vidas.
        Ao meditarmos com você, querido(a) leitor ou leitora, não temos a intenção de dizer que você está certo(a), errado(a) ou ensiná-los fórmulas mágicas para que tome todas as decisões certas de sua vida. Isso seria pretensão demais de nossa parte. Por outro lado, queremos, sim, trazer reflexões sobre o que o Senhor Deus fala, em sua Palavra sobre as nossas escolhas.

        No reino espiritual, a vida para com o Senhor Jeová, não existe meio termo. Meia vontade. Meia decisão. Meio salvo(a). Meio perdido ou meio condenado. Meio Céu ou meio Inferno. Não existe desfrutarmos do Céu e do Inferno simultaneamente ou ao mesmo tempo. Esta é uma escolha que temos que fazê-la enquanto aqui vivermos.

        O texto lido no início de (Deut. 30:19) é claro quanto o que o Senhor Deus quer de cada um de nós; dezenas de outros textos, bem como o hebraico, a língua original do Antigo Testamento, não deixa margem ou dúvidas para meios termos.
        O Senhor diz: “Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência”.

        Este texto precisa ser colocado em seu contexto, isto é, levando em consideração os versículos antes e depois dele, que é (Deut. 30:11-20).

        EM PRIMEIRO LUGAR: Nossas escolhas no reino espiritual passam pela eliminação das desculpas. Os (V.11-14) dizem: “Porque este mandamento, que hoje te ordeno, não te é encoberto, e tampouco está longe de ti. Não está nos céus, para dizeres: Quem subirá por nós aos céus, que no-lo traga, e no-lo faça ouvir, para que o cumpramos? Nem tampouco está além do mar, para dizeres: Quem passará por nós além do mar, para que no-lo traga, e no-lo faça ouvir, para que o cumpramos? Porque esta palavra está mui perto de ti, na tua boca, e no teu coração, para a cumprires”.

        O Senhor Deus deixa bem claro, para o seu povo, através de seu profeta, Moisés, que os mandamentos do Senhor não são difíceis de se cumprirem, nem longe que não possam alcança-los. Os mandamentos estavam e estão na boca e no coração do povo. Não havia desculpas para o povo hebreu, como não há desculpas de nossa parte para com Deus, mesmo porque, o Senhor Deus não dá desculpas da parte DELE para nós. Ele cumpre tudo o que promete e sua Palavra não volta vazia, é o que o Senhor Deus diz em (Is. 55:11) “Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei”. Mas as pessoas, em geral, arranjam tantas desculpas para o Evangelho do Senhor, para com a Igreja Senhor, e para o Senhor, cabeça da Igreja.

        Podemos citar algumas desculpas mais comuns:

        PRIMEIRA DESCULPA: “A Bíblia é muito difícil para entende-la.” Se não a entende, pede alguém para torna-la entendida para você. Alguém que é bacharel em teologia. Que formou em um seminário.

        SEGUNDA DESCULPA: “Igreja nenhuma presta. Todas tem defeitos!” É verdade! Todas as igrejas tem defeitos. As igrejas tem defeitos porque elas são compostas de pessoas cheias de defeitos como você, eu e todos nós. Por isso que o Evangelho diz em (Mat. 9:12) “Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes”.
        A Igreja de Jesus Cristo é o hospital para que os doentes, espirituais, sejam tratados com o Médico dos médicos. Enquanto não são curados, continuarão sendo tratados na Igreja.
        Não demos desculpas, busquemos uma igreja, frequentando-a, para sabermos fazer as nossas escolhas espirituais conforme a orientação do Senhor Jesus. As desculpas não mudam a nossa situação diante do Senhor, não traz salvação para nós. Pelo contrário, distancia-nos cada vez mais do Senhor Jesus Cristo. Quem pode, em alta voz, dizer que não tem defeitos e pecados?
        O texto que está em (Jo. 8:1-11) relata o pecado de adultério de uma mulher, que a pena era de morte, em que os líderes religiosos judeus trouxeram para J C julgá-la e dependendo do parecer de Jesus Cristo, o julgado e condenado seria Ele. Diante do episódio, Jesus Cristo desafiou os líderes religiosos que se achavam sem pecados, que fosse o primeiro atirar, jogar a pedra para matar a mulher. Saiu um por um, a começar pelos mais idosos, até ficarem somente Jesus Cristo e a pecadora. Logo, entendemos que todos se achavam pecadores. Portanto, os defeitos das igreja são os nossos defeitos que fazemos parte delas.

        A TERCEIRA DESCULPA: “A igreja fica longe.” Já ouvi essa desculpa aqui em Pereira Barreto. Que desculpa mais esfarrapada, mais fajuta! Jesus Cristo andava centenas de km para pregar o Reino de Deus. Os nossos antepassados andavam à pé ou de charrete, dezenas de km das fazendas e sítios para virem à Igreja, aqui em Pereira Barreto. Hoje as pessoas tem carro, moram na cidade e acham longe irem a igreja dentro da cidade. O nosso conselhos para essas pessoas é: Arranjem outra desculpa, se é que há desculpas para Deus, porque esta não cola.

        A QUARTA DESCULPA: “A igreja é fria, não tem revelações.” Fria mesma está a nossa vida sem salvação, sem a eternidade com o Senhor Jesus Cristo, que esquentará no fogo do inferno. Igreja fria, é igreja onde os pecados são praticados livremente como sendo normal; e três deles são: A infidelidade para com o Senhor; a fofocada da vida alheia e os pecados que tentam abafar, esconder da igreja, o que não conseguem esconder do Senhor Jesus Cristo.

        Quanto as revelações, para mim bastam duas, diante de tantas:

        A – A maior de todas, Jesus Cristo encarnado, como nos diz (Heb. 1:1-3) “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho, A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas”. A maior, a principal e a mais importantes de todas as revelações, Jesus Cristo.

        B – Eu não preciso de reveladas feitas por pessoas com vida espiritual duvidosa, às vezes. Para mim basta o que a Palavra de Deus nos revela. Ao ler a Palavra de Deus Ela revela toda a nossa vida pecaminosa que aborrece ao Senhor Jesus. Jesus Cristo e sua Palavra são as revelações das revelações. Quer saber como está a sua vida e não a dos outros, leia a Palavra.

        A QUINTA DESCULPA: “As igrejas pedem dinheiro.”
        É verdade! Mas nem todas as igrejas pedem dinheiro de maneira abusiva como algumas pedem. A Igreja Católica também pede. A Rede Globo pede. O S B T (Sistema de Brasileiro de Televisão pede dinheiro. A L B V (Legião da Boa Vontade) também pede. O Rotary Club pede. A Maçonaria, se tem tesoureiro é porque lida com dinheiro. Os donos de botecos e traficantes, não pedem dinheiro, arrancam o dinheiro da mão de muitos oferecendo produtos que destrói a vida das pessoas que são usuárias e dos familiares também! Os governos arrancam o nosso dinheiro através de impostos exorbitantes e fazem a farra na corrupção. Por que que as igrejas não podem pedir e ter dinheiro? Será que os ensinamentos do Evangelho são piores do que os ensinamentos da corrupção? Do que a maldita bebida alcoólica? A desgraçada devasta que as drogas fazem na vida dos usuários e dos familiares?
        Essa quinta desculpa há preconceitos, e fortes, contra as Igrejas Evangélicas! Por que só as Igrejas são motivos de contestação? Quantas organizações citadas acima que pedem dinheiro e não são contestadas? Pense nisso! Raciocina! Mude a maneira de pensar! Não dê desculpas, busque uma igreja, frequente a igreja para saber fazer as suas escolhas espirituais conforme a orientação do Senhor Deus. Paremos de dar desculpas, principalmente para o Senhor Jesus que morreu por nós, para nos salvar da condenação eterna. Vá para a Igreja de Jesus Cristo hoje. Faça isso enquanto ainda há tempo. Escolhe a vida eterna com o Senhor Deus.




       Pr Flávio da Cunha Guimarães

       Bibliografia

2 Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.
5 Bíblia de Promessas. Tradução João Ferreira de Almeida. RC. 2ª Edição, Co-edição JUERP e King's Cross Publicações, 2009.
3 Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.
4 BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.
1 HARRIS, R. Laird; Gleason L. Archer Junior e Bruce K. Waltke. Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. Tradução de Márcio Loureiro Redondo; Luiz A. T. Sayão e Carlos Osvaldo C. Pinto. 2008, Ed. Vida Nova, São Paulo, 1789 p, p. 235.
7 OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: < http://www.baixaki.com.br/download/a-biblia-sagrada-versao-digital.htm>. Acesso em: 28 Jan. 2015.