Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA
Mostrando postagens com marcador #Crer. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #Crer. Mostrar todas as postagens

fevereiro 27, 2018

EU CREIO NA IGREJA

EU CREIO NA IGREJA
MAT. 16:13-19

Pr Flavio da Cunha Guimarães

Em que igreja você crê?

Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?newwindow=1&safe=active&biw=1366&bih=637&tbm=isch&sa=

Acessado em: 27/02/2018

Se eu não cresse na Igreja de Jesus Cristo, o que estou fazendo numa? Mas eu creio na igreja, não como instrumento de salvação como algumas religiões e seitas ensinam, porque a igreja não salva. Em qual igreja eu creio? Na igreja Católica? Assembleia de Deus? Mundial? Internacional da Graça? Deus é amor? Universal do Reino de Deus? Presbiteriana? Batista e tantas outras? Não!

Eu creio na igreja de Cristo. Mas qual igreja de Cristo? Já que em Goiás, onde foi o meu primeiro ministério havia uma igreja que tinha o nome de igreja de Cristo. Não creio nessa também. Eu creio na igreja, não como instituição, rotulada e denominação. Eu creio na igreja dos salvos. Os que foram verdadeiramente lavados pelo o sangue de Jesus Cristo, Apoc. 7:14. Creio na igreja visível e invisível.

Eu creio na igreja, não movida de sensacionalismo, mas na igreja crística. Eu creio na igreja, não movida de emoção, mas movida de oração e ação. Eu creio na igreja que, não só prostra e encurva-se para orar e adorar, mas que protesta e denuncia de pé, contra toda forma de pecados, como de injustiça; da falta de ética na igreja, na justiça, na economia, na política, na mídia em geral e etc. Eu creio na igreja, não omissa, mas na igreja que assume o compromisso de mudar a sociedade pela pregação do Evangelho que é o poder de Deus para transformar a sociedade, ainda que totalmente decaída. Na igreja como era no tempo de Pedro, de Estevão, de Paulo, de Policarpo e João. “Tertuliano, [...] dizia, que o sangue dos mártires era o adubo para o crescimento da igreja. Quanto mais os crentes eram massacrados, mais eles cresciam em número”, Kitilucas. Disponível em: http://naturalmentecurioso.blogspot.com.br/, Acessado em: 03/02/2018.

Eu creio na igreja que mudou o mundo romano e que pode mudar o mundo presente.

Eu creio na igreja que não vende as bênçãos do Senhor, a salvação, o Reino de Deus e o perdão dos pecados, que agindo assim ela está praticando a indulgência evangélica que a igreja católica praticou na Idade Média. Eu creio na igreja que não troca as bênçãos de Deus por nada como a salvação e o Reino do Senhor Jesus, por templo cheio, por status, por fama pessoais e por vaidade de seus líderes! Eu creio na igreja que ensina os seus fiéis que para desfrutarem das bênçãos, da salvação, do perdão do Senhor de seus pecados e estarem dentro do Reino de Deus, precisam passar pelo arrependimento, Luc. 13:1-3. Passarem pela conversão, mudança de vida, regeneração e vida de santidade, Heb. 12:14. Eu creio na igreja, não que ameaça, mas na que leva a graça, não a graça barata, a qual Dietrich Bonhoeffer, 1980, p. 9-11 refere-se, mas na graça abundante, preciosa e salvadora em nosso Senhor Jesus Cristo. Ele é a graça manifestada em sua plenitude.

Eu creio na igreja, não que os homens querem, mas na igreja que o Filho do Homem quer. A igreja sem politicagem, sem ostentação de poder, sem disputa de posição e riquezas. Creio na igreja, não do tipo médico, hospital ou pronto socorro em que os homens vão a ela quando dela precisam, quando estão doentes ou muito mal. Como a igreja trata a doença espiritual e as pessoas não admitem que estão enfermas nesse sentido, logo não veem necessidade de ir à igreja. Mas pensar na igreja desse modo, é não pensar naquilo que você não sabe. E o que você não sabe, é que a igreja do tipo médico, hospital e pronto socorro, ela não existe, e se existisse, ela fecharia as portas logo, logo. Quando você precisasse dela, ela não estaria à sua disposição. A igreja existe porque há pessoas que pensam diferente de você. O que você não sabe é que somos doentes da alma, do espírito e espiritualmente; logo, precisamos de tratamento todos os dias. Somos doentes de uma doença grave e mortal, que se chama pecado. Rom. 6:23 diz o que? Que o salário do pecado é a morte. Então ele mata! Você morrerá! E para a doença do pecado só há tratamento dentro da igreja e um só medicamento. Tem doenças que há necessidade de tratamento por toda à vida, como Aids e diabetes. A doença grave precisa de internação e de medicamentos todos os dias. O tratamento é contínuo e em casa. A doença do pecado é grave porque mata; logo necessitamos de medicamento todos os dias e continuado por toda a vida. O médico para esse tratamento é o Senhor Jesus, o médico dos médicos. O hospital é a igreja. A receita é a Palavra. Logo, é preciso lê-la, meditar nela e orar.

Eu Creio na igreja, não do tipo banco ou poupança. Esta é a igreja que as pessoas creem. A igreja que as pessoas vão a hora que quer, no dia que querem para sacar as bênçãos. Mas como sacar se não tem depositado? Eu creio na igreja, não que ilude as pessoas a irem só para sacarem as bênçãos de Deus, essa igreja não existe. É enganação! Como vai sacar as bênçãos na igreja se não depositou? O maior depósito que podemos fazer, são as nossas vidas rendidas no altar do Senhor. Quem não fez isso não tem o que sacar. Eu creio na igreja, não nas que pregam que as pessoas entram pobres, miseráveis e quebradas na igreja, pouco tempo depois estão ricas, prósperos e cheias de grana. Essa igreja não existe. É enganação! Eu creio na igreja que ensina que o maior tesouro que temos é o Evangelho do Senhor Jesus que ela prega, a salvação, a vida eterna que ela anuncia e o Reino de Deus como o tesouro valioso que a igreja está inserida e anuncia, o tesouro que não se compra, mas se recebe e conquista-se; e o maior tesouro é o nosso Senhor Jesus em nossas vidas.

Eu creio na igreja, que seu ensino é transparente, ela deixa claro que as bênçãos materiais e a prosperidade vêm após a conversão, a salvação e um tempo de vida com Deus. As bênçãos de Cristo e a prosperidade, não vêm como milagres, como algumas igrejas apresentam, mas como resultado de crentes mordomos fiéis, bons administradores de tudo o que o Senhor lhes dá. Que não gastam além do que recebem. Não gastam com coisas desnecessárias, banais e supérfluas. Que sabem preservar o que recebem do Senhor como bênção. Que não destroem o que adquirem. E que não correm atrás de modismos e a comprar tudo o que é novidade.

Eu Creio na igreja que neste caso, ela entende que precisa instruir os seus membros e fiéis. Eu creio na igreja que não é alienada, que vive no mundo real como se estivesse no mundo celestial. Como se nenhum mal fosse lhe atingir. Pessoas desinformadas (não é bolo fora da forma), mas pessoas que espiritualizam tudo de ruim, de mal e as tragédias que acontecem como sendo assim mesmo e que isso é a vontade de Deus. Nem sempre o mal e o sofrimento são da vontade de Deus, mas dos homens; e Deus apenas permite acontecer, já que queremos e buscamos, e o Senhor tem propósitos usando o mal e o sofrimento para nos corrigir. Eu sei que o Senhor pode e tem poder para mudar o que é até impossível aos homens, mas Ele quer mudar sempre? É de sua vontade mudar? Nem sempre! É melhor sabermos que Ele pode, mas nem sempre Ele quer mudar; do que querer que Ele mude e Ele não mudar, e aí decepcionar-me quando descobrir que Ele não quis mudar. O sofrimento e a decepção serão menores. Eu creio na igreja, não internauta em que se contenta com as mensagens e estudos bíblicos que são três linhas falando de vitórias e de bênçãos. As bênçãos e vitórias existem? Sim! Mas a igreja não consiste só disso! Esta igreja é uma igreja desnutrida, raquítica, minguada porque é sem conhecimento do que o Senhor quer da igreja e a essência do Evangelho. Misericórdia quero e não sacrifício, Mat. 9:13 e Mat. 12:7. A igreja que atrai as pessoas pelas bênçãos materiais e prosperidade, ela quer forçar a barra para com o Senhor e impor a sua vontade sobre a vontade de Deus. Neste caso os papeis estão invertidos!

Eu creio na igreja antenada e conectada na internet, sim, para fazer a leitura e a interpretação do mundo real em que ela está inserida, e ser agente de transformação. Uma igreja que não está antenada com o que se passa no mundo político, econômico, judicial, moral e social, que não tem uma mente crítica a tudo que sente, lê e vê, ela não é e não será relevante para a sociedade. Mas a igreja foi criada para ser relevante nessa sociedade corrompida, podre e que cheira mal. A igreja alienada a tudo e a todos, se ela desaparecer ou for engolida por um terremoto, a sociedade não sentirá falta dela, visto que ela não é presente na sociedade. Se a sua, a minha e a nossa igreja desaparecesse, a sociedade sentiria falta dela? Se não sentir falta é porque ela não é relevante para a mesma! Isso tem nos feito pensar sobre a igreja e seu papel na sociedade. O que faz com que a sociedade sinta falta da igreja é ele ser relevante? São os seus membros atuantes e vivendo os ensinamentos que o Senhor deixou em seu Evangelho.

Eu creio na igreja, não que forma fiéis deformados, desinformados, angustiados, frustrados e decepcionados quando caem na real. Jesus Cristo não enganou a ninguém; pelo contrário, Ele foi muito claro em Mat. 10:39: “Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida, por amor de mim, achá-la-á”. Em Mat. 16:24: “Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me”. E Mat. 20:22-23: “Jesus, porém, respondendo, disse: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu hei de beber, e ser batizados com o batismo com que eu sou batizado? Dizem-lhe eles: Podemos. E diz-lhes ele: Na verdade bebereis o meu cálice e sereis batizados com o batismo com que eu sou batizado, mas o assentar-se à minha direita ou à minha esquerda não me pertence dá-lo, mas é para aqueles para quem meu Pai o tem preparado”. Os filhos de Zebedeu: Tiago foi morto por Herodes, Atos 12:1. João, seu irmão, segundo a tradição cristã, foi lançado vivo num tacho de óleo fervente, mas nada sofreu, porque o Senhor o livrou como fez com os três jovens na Babilônia, lançados na fornalha de fogo ardente. Pedro foi crucificado de cabeça para baixo segundo a tradição. E nós queremos só bênçãos, isentos de qualquer provação e sofrimento! Isso é sonhar e espiritualizar demais!

Eu creio na igreja que não se deixa levar pelo o que a sociedade pensa e diz sobre o Senhor Jesus, Mat. 16:13-16, mas na igreja que pensa de maneira correta sobre o seu cabeça, o Senhor Jesus. As perguntas feitas por Cristo foram propositais: “O que dizem os homens ser o Filho do Homem?” As respostas foram diversas. Para a sociedade dos dias de Jesus vivendo aqui, neste mundo em carne, foram que era João, o Batista; Elias; Jeremias ou algum outro profeta. Percebe-se que não havia consenso. Havia uma confusão entre o povão. Por ventura não é o que há em nossos dias na sociedade? Confusão de teologias. De ideologias. De conceitos. De estilos. De comportamentos. E de modismos. Confusão nas igrejas: O falar em línguas. Igrejas poderosas. Homens poderosos em dons espirituais, em visões, em revelações, que curam e que transmitem o Espírito Santo, será? Quem transmite o Espírito é o Senhor Jesus e não homens, João 14:16-17! O Brasil religiosamente é uma torre de Babel com os seus templos e lugares supostamente poderosos. Igreja ensinando de maneira confusa, salvação pela caridade e sacramentos. Salvação pela reencarnação. Salvação pela igreja. Salvação pelo esforço e méritos próprios. Ensinando como enriquecer e não a salvação como a mensagem central do Evangelho do Senhor. E a salvação pela graça onde está e fica? Ensinando que Jesus não é Deus. O Inferno não existe e se existe é aqui mesmo. Pecado é questão psicológica. Ninguém pode ter certeza da salvação. Morreu acabou porque o espírito evapora como a fumaça. O Diabo é lendário. Igreja que ensina que a solução para os nossos problemas, nós o temos e só adoecem se quiser, pois basta pensar de maneira positiva e otimista. Temos solução mesmo? Se o ser humano tivesse solução para o principal problema da humanidade, fome, pestes, violência, guerra e injustiça, que tudo isso tem uma só origem, o pecado, porque o mundo está desse jeito? Porque que diante de tantos séculos ainda não encontrou a solução? Todas as soluções que os governos das nações e a ONU já implementaram, nada se resolveu! Que confusão! Se temos a solução para os nossos problemas, porque até hoje não encontramos a solução em milhares de anos de nossa existência? Para a violência? Para a fome? Para as doenças incuráveis? E para a morte? Porque quanto mais se avança no conhecimento e nas descobertas, mas aparecem problemas insolucionáveis?

Eu creio na igreja que tem a mesma convicção dos Apóstolos, Mat. 16:16. A resposta deles foi: “E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Cristo é o ungido, o messias e o prometido de Deus Pai. Filho do Deus que vive. Só era possível a resposta dada pelos discípulos mediante uma grande convicção e por ter convivido com Ele. Para muitos, ainda hoje, Jesus Cristo continua um mistério. Não passa de profeta. Um homem bom, exemplar e sábio. Santo. Milagreiro. Só abençoador. Um homem qualquer. Um Deus menor. Se não é, mas tratam-no como se fosse. Poucos o veem e tratam-no como o único salvador de suas vidas. Se o leitor interessa saber sobre Jesus como o Único Salvador acesse o post aqui

Eu creio na igreja que está edificada sobre a pedra, que é o Senhor Jesus, nos princípios, ensinamentos da Palavra e que vive espiritualmente de maneira tal que o inferno não prevalece contra ela. Creio na igreja que ama o pecador perdido e sem salvação, de tal maneira, que trabalha e esforça-se de todas as formas para ligares as pessoas ao céu através de Jesus Cristo, independente de raça, cor, condição social, convicções, sexo e idade, (Ezequiel 18:32, Ezequiel 33:11). Eu creio na igreja que não tem prazer na morte de pessoas sem salvação. Ela quer cumprir o “IDE” de Jesus Cristo, porque ela ama os pecadores e não quer que ninguém se perca.

Essa é a igreja que eu creio.

Envie-me um e-mail

janeiro 16, 2018

JESUS, O ÚNICO SALVADOR!

JESUS, O ÚNICO SALVADOR!
Pastor Flávio da Cunha Guimarães

O nosso Texto está em (Jo. 4:39-42).


“E muitos dos samaritanos daquela cidade creram nele, pela palavra da mulher, que testificou: Disse-me tudo quanto tenho feito. Indo, pois, ter com ele os samaritanos, rogaram-lhe que ficasse com eles; e ficou ali dois dias. E muitos mais creram nele, por causa da sua palavra. E diziam à mulher: Já não é pelo teu dito que nós cremos; porque nós mesmos o temos ouvido, e sabemos que este é verdadeiramente o Cristo, o Salvador do mundo”. São no mínimo, 10 textos que falam e que apontam Jesus Cristo como o Único Salvador do Mundo. Por outro lado, não há nenhum texto bíblico que aponta outro meio de salvação, a não ser por Jesus Cristo. Diante de tantas evidências e provas bíblicas, ficamos a pesar naqueles grupos religiosos que insistem em ensinar sobre a salvação por outros meios.

1 – A SALVAÇÃO POR MEIO DE RELIGIÃO E IGREJA. Dizem algumas religiões e seitas, que só são salvos os que fazem parte da igreja e tem que ser da igreja deles. Tal pensamento e afirmação, contraria os ensinamentos bíblicos como o que está escrito em (Mateus 1:21; João 14:6; Atos 4:12 e João 4:42). Jesus Cristo se apresenta como sendo o único nome que pode salvar. O nome que Atos 4:12, se refere, é o nome do Senhor Jesus Cristo. Por muito grande que seja a religião ou a igreja, afamada, respeitada, dada a caridade e as obras sociais, nenhuma instituição tem o poder de salvar. Nenhuma instituição morreu em uma cruz, só Jesus. Isso significa que qualquer outro nome, ainda que bíblico, canonizado por Igreja, qualquer procedimento ou atitude, mesmo que a pessoa fora muito justa e caridosa, não tem o poder de salvar.

2 – A SALVAÇÃO ATRAVÉS DA JUSTIÇA PRÓPRIA. Encontramos muitas pessoas, mas muitas mesmos dizem que não mataram, não roubaram, não traíram, não mentiram, não cobiçaram, não deixaram de pagar as suas contas, por isso são melhores do que os outros, daí tem o direito de serem salvos. Assim pensam por que desconhecem o que Deus diz através do profeta (Is. 64:6) “Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades como um vento nos arrebatam”. Deus está dizendo que a nossa justiça de nada adianta para a salvação. Se ser justo salvasse, Jesus não precisaria morrer em uma cruz de maneira violento e humilhante para nos salvar! Ninguém é justo o suficiente, puro e incontaminável a ponto de não pecar e não precisar do perdão do Senhor. Ninguém é salvo por meio da justiça própria.

3 – A SALVAÇÃO ATRAVÉS DA CARIDADE. Os que assim creem, é porque desconhecem o ensinamento bíblico sobre a caridade. Em (Lv. 19:9-10), diz: “Quando também fizerdes a colheita da vossa terra, o canto do teu campo não segarás totalmente, nem as espigas caídas colherás da tua sega. Semelhantemente não rabiscarás a tua vinha, nem colherás os bagos caídos da tua vinha; deixá-los-ás ao pobre e ao estrangeiro. Eu sou o Senhor vosso Deus”. Desconhecem o ensinamento bíblico sobre a caridade, em (Deut. 15:10) onde diz: “Livremente lhe darás, e que o teu coração não seja maligno, quando lhe deres; pois por esta causa te abençoará o Senhor teu Deus em toda a tua obra, e em tudo o que puseres a tua mão”. Bem como (Deut. 24:19-21) que diz: “Quando no teu campo colheres a tua colheita, e esqueceres um molho no campo, não tornarás a tomá-lo; para o estrangeiro, para o órfão, e para a viúva será; para que o Senhor teu Deus te abençoe em toda a obra das tuas mãos. Quando sacudires a tua oliveira, não voltarás para colher o fruto dos ramos; para o estrangeiro, para o órfão, e para a viúva será. Quando vindimares a tua vinha, não voltarás para rebuscá-la; para o estrangeiro, para o órfão, e para a viúva será”. Quem ensina salvação pela caridade é porque desconhece o ensinamento bíblico sobre a caridade que está no Novo Testamento, em (Efésios 2:8-10), quando diz: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas”. A caridade é um dever moral e não um privilégio para receber a bênção da salvação. A salvação é presente de Deus e presente se recebe diretamente de Deus em Jesus Cristo, ou se recusa receber e não tem a salvação. Salvação não é um bem manipulável, de negociação e de compra. Se é presente de Deus não precisamos fazer caridade para recebê-lo. Quem faz caridade para ser salvo, demonstra que ama a si mesmo e não a pessoa necessitada da salvação ou da caridade. Quem faz caridade para ser salvo(a) não está preocupado(a) com a salvação de quem precisa da caridade, mas com a salvação dele(a) próprio(a) e não com a salvação do outro. Isso também é caracterizado como egoísmo.

4 – A SALVAÇÃO ATRAVÉS DA REENCARNAÇÃO. Os que creem desta forma desconhecem o texto bíblico de (Hebreus 9:26-28) que diz: “De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo. E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo, Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação”. O destaque está no (V. 27), que ao homem está ordenado a morrer uma só vez. Em morrendo aguarda o juízo final. A bíblia não ensina morrer e reencarnar; morrer e nascer de novo em outro corpo. Ela é clara ao dizer que ao morrer, o que vem depois é o juízo final. Jesus quando morreu crucificado, Ele não reencarnou, mas ressuscitou dos mortos em seu Próprio corpo e não em outro corpo, (Mateus 28: 5-6). Pense nisso!

5 – A SALVAÇÃO ATRAVÉS DOS SACRAMENTOS. Os que creem nesses ensinamentos DESCONHECEM o que a Bíblia fala sobre a salvação em Jesus Cristo. Nós poderíamos citar dezenas de textos que falam da salvação somente em Jesus Cristo. Todavia, citaremos apenas alguns, tais como: (Luc. 2:11) em que “o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor”. Em (Luc. 19:9) o Próprio Senhor Jesus diz: “E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão”. Ele se referia a sua presença na casa de Zaqueu. Ele estava falando de Si Mesmo, pois estava presente. Em (At. 13:23) diz: “Da descendência deste, conforme a promessa, levantou Deus a Jesus para Salvador de Israel” e de toda a humanidade.

Diante das evidências bíblicas apresentadas, se as pessoas ainda creem; ainda entendem que a salvação está em fazer parte de uma igreja; na justiça própria; na prática da caridade; na reencarnação; nos sacramentos, para mim demonstra uma das duas hipóteses: 1ª) Total desconhecimento do que a Bíblia ensina sobre a salvação em Jesus Cristo e uma profunda incredulidade no que a Bíblia diz sobre o assunto; Ou, 2ª) Tem conhecimento da verdade, mas ignora-a por completo para não dizer a verdade aos fiéis, por medo de perdê-los. Todavia, há uma verdade a ser dita aqui. O não conhecer a verdade não faz ninguém inocente no juízo final, pois o (Sal. 19:1) diz: “Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos”, bem como (Rom. 1:20) que é claríssimo: “Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis”. Portanto, busque a verdade bíblica para se livrar do juízo final. O que o Senhor Jesus Cristo exorta em (Jo. 5:39): “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam”. Assuma este propósito, em sua vida, enquanto há tempo, porque no momento em que morremos selamos o nosso destino final; se salvo, salvo eternamente e se perdido, perdido eternamente.

A razão de nosso tema: JESUS, O ÚNICO SALVADOR!

Queremos apresentar, textos bíblicos, de uma clareza tremenda, sobre Jesus Cristo, O único que pode salvar, porque foi o único que morreu em uma cruz com esse propósito, (Romanos 5:6,8; I Coríntios 15:3 e Gálatas 2:20).

Em Mateus 1:21 o anjo de Deus anunciou o nascimento de Jesus Cristo como salvador: “E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados”. Já em Lucas 2:11, o anjo do Senhor anunciou aos pastores o nascimento do salvador da seguinte maneiras: “Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor”. Em Atos 4:12, os Apóstolos se referindo a Jesus Cristo como salvador, eles disseram: “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”. O texto está se referindo ao nome de quem? Lógico e evidente que é ao nome de Jesus Cristo. O Próprio Jesus Cristo instruindo a Zaqueu disse: “Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”, Lucas 19:10. Aqui há um detalhe importante quanto a salvação: “buscar e salvar o que se havia perdido”. Só será salvo aqueles que se acham perdidos e sem salvação. Quem não se acha perdido e sem salvação, não sente necessidade dela. E se não sente necessidade dela, não a buscará! Diante das profecias e da mulher que encontrara Jesus Cristo, os samaritanos ao verem Jesus Cristo, afirmaram quem Ele era: “E diziam à mulher: Já não é pelo teu dito que nós cremos; porque nós mesmos o temos ouvido, e sabemos que este é verdadeiramente o Cristo, o Salvador do mundo”, João 4:42. E em Atos 5:31 se diz: “Deus com a sua destra o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados”. Atos 13:23: “Da descendência deste, conforme a promessa, levantou Deus a Jesus para Salvador de Israel”. Filipenses 3:20: “Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”. I João 4:14: “E vimos, e testificamos que o Pai enviou seu Filho para Salvador do mundo”. E Judas 25: “Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém”. São textos que formam um contexto e elos para não deixar dúvidas quanto a salvação em Jesus Cristo, o único salvador da humanidade em todos os tempos e não houve, não há e não haverá outro salvador, Aleluia!

Para encerrar, abordaremos Efésios 2:8-9 que diz: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie”. A palavra dom, no grego - δωρον - dóron, que significa"oferta", "oferenda", "dom" e "presente", que aqui a ênfase está em presentear. Portanto, tanto o Senhor Jesus e bem como a salvação, são presentes de Deus a nós. Com um destaque: Presente só é nosso quando aceitamo-lo, se não aceitarmos, ainda que a pessoa queira nos presentear, não teremos o presente. Quanto a salvação não é diferente. Só a teremos se aceitarmos a Jesus Cristo como o nosso salvador. Veja João 1:12: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome”. Poderíamos falar da remissão, do resgate, de Jesus ter nos comprado pelo seu sangue, mas isso fica como desafio para você descobrir. O Senhor os abençoem e quem não encontrou a salvação, possa encontrá-la em Cristo Jesus, nosso Senhor e único salvador.

Bibliografia:

1 - Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

2 - Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.

3 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

4 - Bíblia de Promessas. Tradução João Ferreira de Almeida. RC. 2ª Edição, Co-edição JUERP e King's Cross Publicações, 2009.

5 - Marcelo Ribeiro de Oliveira. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere, marcelo@blasterbit.com

agosto 03, 2015

A FÉ DE GERAÇÃO A GERAÇÃO

A FÉ DE GERAÇÃO A GERAÇÃO

A religião de Israel se fundamentava na aliança realizada por Deus com Abraão, Isaque, Jacó e ratificada, confirmada a seu povo através de Moisés no Monte Sinai. Crer, é aceitar como verdade a existência de Deus que falou a Adão, a Caim, a Enoque, a Noé, a Abraão, a Isaque, a Jacó, a Moisés, a Balaão, a Gideão, a Isaías, a Zacarias, a Paulo e “havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho, A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas”, (Heb. 1:1-3). Crer, é admitir que Deus existe, que Ele agiu no passado, está agindo no presente e agirá no futuro. Aqui vemos o contraste entre o Deus Criador e a criatura, que é o ser humano, nós os pecadores. Nós agimos no passado e estamos agindo no presente; todavia ninguém poderá afirmar que agirá no futuro, visto que poderemos ser apanhados pela morte a qualquer momento, o que não acontece com Deus. Crer, é confiar neste Deus que dirige a história universal, bem como o seu povo. Pela fé, nós como o povo de Deus, vemos o nosso destino final, o paraíso, o céu, o lugar de glória. Podemos dizer que o Senhor Deus está dirigindo as nossas vidas? Estamos vivendo pela fé? Pela fé estamos indo para o céu? Se cremos de todo coração, podemos dizer que sim. Se não cremos, precisamos buscar ao Senhor, como nos diz (Is. 55:6) "Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto".

 Pr Flávio da Cunha Guimarães

maio 09, 2015

UMA MÃE DE CAUSAR INVEJA

        Em (Êx. 2:2-3,10) diz assim: “E a mulher concebeu e deu à luz um filho; e, vendo que ele era formoso, escondeu-o três meses. Não podendo, porém, mais escondê-lo, tomou uma arca de juncos, e a revestiu com barro e betume; e, pondo nela o menino, a pôs nos juncos à margem do rio [...] E, quando o menino já era grande, ela o trouxe à filha de Faraó, a qual o adotou; e chamou-lhe Moisés, e disse: Porque das águas o tenho tirado”.

        A história da vida de Moisés todos nós já conhecemos, por isso não entraremos em detalhes aqui. Pois quero tratar do tema: UMA MÃE DE DAR INVEJA.


        Uma mãe de dar inveja, há de ter, há de nutrir algumas qualidades especiais em seu caráter, principalmente diante das adversidades da vida; diante de sua fé para com o Senhor Deus.

        Quem é essa mãe? Estou falando de Joquebede, a mãe de Moisés, que poderia ser, você mãe, que está a nos ouvir nesta manhã, através da Rádio Cidade.


         EM PRIMEIRO LUGAR: Uma mãe de dar inveja, é uma mãe precavida, que se antecipa antes que uma tragédia aconteça em sua família.
        Joquebede escondeu o seu filho por três meses. Quando não podia mais escondê-lo, tratou de providenciar um meio que ele pudesse ser salvo.
        Como seria bom, se todas as mães fossem como Joquebede! Antecipando diante das adversidades, dos perigos que a vida nos oferece, para proteger os seus filhos amados do que é pior ou até da morte.

        Joquebede era uma mãe cuidadosa para com os filhos.
        Além de esconder o filho por três meses, ela tomou uma arca, betumou-a, impermeabilizou-a para que o filho não morresse afogado e o colocou no Rio Nilo, história que já conhecemos.

        Há de se destacar aqui a palavra Arca, tanto em (Gênesis do capítulo 6-9), bem como em (Êx. 2:2-5), a Arca assume o papel do salvação do afogamento.
        Em gênesis, a salvação da raça humana. Em Êxodo, o texto lido acima, a salvação do povo escolhido de Deus.
        Joquebede, tem participação, portanto, no processo que o Sr Deus tem de salvar o seu povo da morte. Daí o nosso tema: Uma Mãe de dar Inveja. Ela se deixou ser usada pelo o Senhor.
        Quantas mães que poderiam se deixar ser usadas pelo o Senhor, mas preferem se deixar ser usadas pelo o inimigo de nossas vidas! Que não seja o seu caso!

        EM SEGUNDO LUGAR: Uma mãe de dar inveja é aquela mãe que crê na providencia de Deus em salvar o filho querido, como de fato, ele foi salvo. Não morreu afogado. Não foi comido por crocodilos do Rio Nilo. Nem morto pelo decreto de Faraó. Mas salvo pela filha de Faraó.
        Deus é tremando em suas ações. Por isso que (Is. 43:13) “parte c” diz: “Agindo eu quem impedirá?”
        Ele age como quer, quando quer, por meio que Ele quer, através de quem Ele quer!
        Queremos desafiar, você mamãe, a confiar nas providências divinas nos momentos difíceis de sua vida, de sua família, de seus filhos, deixando o Senhor Deus agir, para que você seja vitoriosa como mãe. Amém!


        EM TERCEIRO LUGAR: Uma mãe de dar inveja, é uma mãe amorosa para com os filhos.
        Joquebede criou o próprio filho, todavia sabendo que o criava para a filha de Faraó, a princesa. Nem por isso deixou de amá-lo.
        Uma mãe que ama o filho, mas que sabe dividir o filho amado com a princesa, para que o mesmo permanecesse com vida para ambas.
        Que você mamãe, que nos ouve, possa saber dividir o seu filho, a sua filha, com o genro ou com a nora, sem ciúmes que tem prejudicado tantos relacionamentos conjugais.
        Que saiba entregar o seu filho, a sua filha para o Senhor Jesus Cristo, para que seja abençoado(a), como Moisés o foi uma benção para o seu povo.

        Para terminar:
        Que possamos aprender algumas lições com a mãe Joquebede.
        Mães cuidadosas, zelosas e amorosas para com os filhos, que fazem de tudo para que os filhos vivam diante dos perigos, que para Moisés, era o extermínio da vida; que hoje são as mais variadas formas de vícios, de violência e a destruição da família.
        Mães que creem no poder sobrenatural de Deus, que é capaz de preservar com vida nossos filhos amados; que o Senhor Deus tem planos maravilhosos para eles. Podemos dizer amem! Assim seja! Faça este propósito para a sua vida.

        Pr Flávio da Cunha Guimarães

        Bibliografia

OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: < http://www.baixaki.com.br/download/a-biblia-sagrada-versao-digital.htm>. Acesso em: 15 dez. 2014.

HARRIS, R. Laird; Gleason L. Archer Junior e Bruce K. Waltke. Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. Tradução de Márcio Loureiro Redondo; Luiz A. T. Sayão e Carlos Osvaldo C. Pinto. 2008, Ed. Vida Nova, São Paulo, 1789 p.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

FALE CONOSCO

Nome:


Email:


Assunto:


Mensagem:


PAZ VERDADEIRA SÓ EM JESUS! Jo. 14:27 "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou..."